Feijão-da-flórida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaMucuna pruriens
Mucuna pruriens inflorescence

Mucuna pruriens inflorescence
Classificação científica
Reino: Plantae
Ordem: Fabales
Família: Fabaceae
Subfamília: Faboideae
Tribo: Phaseoleae
Género: Mucuna
Espécie: M. pruriens
Nome binomial
Mucuna pruriens
Sinónimos
Muitos, veja texto

O feijão-da-flórida (Mucuna pruriens) é uma planta tropical da família Fabaceae, nativa da África e da Ásia tropical, amplamente naturalizada e cultivada.[1]

É uma espécie anual que chega a medir até 20 metros, e possui flores roxas ou purpúreas e vagens oblongas. É cultivada em outras regiões do planeta, inclusive no Brasil, como ornamental, forrageira e como adubo verde. Também é conhecida pelos nomes de feijão-cabeludo-da-índia, feijão-de-gado, feijão-mucuna,feijão-macaco, feijão-maluco, feijão-veludo e mucuna-vilosa.

A planta é notório pela a coceira extrema que produz em contato,[2] particularmente com as folhagens jovens e as vagens. Ela tem valor agrícola e hortícola, além de possuir uma gama de propriedades medicinais.

Sinônimos[editar | editar código-fonte]

  • Carpogon capitatus Roxb.
  • Carpogon niveus Roxb.
  • Carpopogon capitatus Roxb.
  • Carpopogon niveum Roxb.
  • Carpopogon pruriens (L.) Roxb.
  • Dolichos pruriens L.
  • Macranthus cochinchinensis Lour.
  • Marcanthus cochinchinense Lour.
  • Mucuna aterrima (Piper & Tracy) Holland
  • Mucuna atrocarpa F.P.Metcalf
  • Mucuna axillaris Baker
  • Mucuna bernieriana Baill.
  • Mucuna capitata Wight & Arn.
  • Mucuna cochinchinense (Lour.) A.Chev.
  • Mucuna cochinchinensis (Lour.) A.Chev.
  • Mucuna deeringiana (Bort) Merr.
  • Mucuna esquirolii H. Lév.
  • Mucuna esquirolii H.Lev.
  • Mucuna hassjoo (Piper & Tracy) Mansf.
  • Mucuna hirsuta Wight & Arn.
  • Mucuna luzoniensis Merr.
  • Mucuna lyonii Merr.
  • Mucuna martinii H.Lev. & Vaniot
  • Mucuna minima Haines
  • Mucuna nivea (Roxb.) DC.
  • Mucuna nivea (Roxb.) Wight & Arn.
  • Mucuna prurita (L.) Hook.
  • Mucuna prurita Wight
  • Mucuna sericophylla Perkins
  • Mucuna utilis Wight
  • Mucuna velutina Hassk.
  • Negretia mitis Blanco
  • Stizolobium aterrimum Piper & Tracy
  • Stizolobium capitatum (Roxb.) Kuntze
  • Stizolobium cochinchinense (Lour.) Burk
  • Stizolobium deeringianum Bort
  • Stizolobium hassjoo Piper & Tracy
  • Stizolobium hirsutum (Wight & Arn.) Kuntze
  • Stizolobium niveum (Roxb.) Kuntze
  • Stizolobium pruriens (L.) Medik.
  • Stizolobium pruritum (Wight) Piper
  • Stizolobium utile (Wall. ex Wight) Ditmer
  • Stizolobium velutinum (Hassk.) Piper & Tracy[3]

Referências

  1. «USDA GRIN Taxonomy». Consultado em 8 March 2015. 
  2. Andersen, Hjalte Holm; Elberling, Jesper P.; Arendt-Nielsen, Lars (2015). «Human Surrogate Models of Histaminergic and Non-histaminergic Itch». Acta Dermato-Venereologica [S.l.: s.n.] Epub ahead of print: 771–7. doi:10.2340/00015555-2146. PMID 26015312. 
  3. «The Plant List: A Working List of All Plant Species». Consultado em 8 March 2015. 
Ícone de esboço Este artigo sobre leguminosas (família Fabaceae), integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.