Fenómeno da voz eletrónica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde outubro de 2015).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde outubro de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

Fenômeno da voz eletrônica (FVE), termo geralmente conhecido pelas suas iniciais em inglês - EVP (electronic voice phenomena) - são sons semelhantes à fala capturados electronicamente, mas não de forma intencional.

Interesse em EVPs envolve principalmente alegações de que eles são comunicações paranormais provocadas por espíritos desencarnados. Essa interpretação foi a defendia pelo psicólogo e parapsicólogo Konstantīns Raudive, o popularizador do electronic voice phenomena.[1]

Os que não concordam com as interpretações paranormais para esses fenômenos, defendem seu ponto vista geralmente com alegações sobre pareidolia.

Organizações relacionadas a pesquisa de EVP[editar | editar código-fonte]

Atualmente há várias organizações que se dedicam a investigação de EVP e a pesquisa no campo da TCI (transcomunicação instrumental) em geral, ou que expressam de outra forma o interesse no assunto. Indivíduos dentro dessas organizações podem participar nas investigações, autoria de livros/e ou artigos de revistas, conferências, etc. [2]

A Association TransCommunication (ATransC) - anteriormente denominada "American Association of Electronic Voice Phenomena" (AA-EVP) -[3] , e a International Ghost Hunters Society (IGHS) têm conduzido muita pesquisa de EVP e TCI , inclusive disponibilizado coletas de EVP na internet.[4]

Modernos espiritualistas, bem como muitas outras pessoas que acreditam na vida após a morte, possuem um interesse contínuo em EVP.[5] De acordo com a National Spiritualist Association of Churches, "um importante desenvolvimento atual da mediunidade é a comunicação dos espíritos através de dispositivo eletrônico[...]". [6]

No Brasil, as organizações mais ligadas a pesquisa de EVP e TCI em geral são a Associação Nacional de Transcomunicadores (ANT) e o Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofísicas (IBPP).[7] [8]

Referências

  1. «Glossary of Psi». Consultado em 16-10-2013. 
  2. «Report on the 2006 AA-EVP Conference». Consultado em 2007-09-22. 
  3. «AA-EVP:Electronic Voice Phenomena and Instrumental TransCommunication». Consultado em 2007-09-22. 
  4. «International Ghost Hunters Society». Consultado em 2007-09-22.  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (Ajuda)
  5. «About The Campaign for Philosophical Freedom». Consultado em 2007-09-22. 
  6. «Phenomenal Evidence Department of the National Spiritualist Association of Churches Concepts Involved in Spiritualism». Arquivado desde o original em 2007-08-31. Consultado em 2007-09-22. 
  7. http://www.istoe.com.br/reportagens/37623_MUITO+ALEM+DO+JARDIM
  8. ANDRADE, Hernani G. Transcomunicação Instrumental, ed. FE, 1992

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • BRUNE. François (Pe.). Os Mortos nos Falam. Sobradinho (DF): Edicel, 1991.
  • BRUNE, François; CHAUVIN, Rémy. Linha Direta com o Além. Sobradinho (DF): Edicel, 1994.
  • JÜRGENSON, Friedrich. Telefone para o Além. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972.
  • RAUDIVE, Konstantin. Breakthrough. New York: Taplinger, 1971.
  • SCHÄFER, Hildegard. Ponte entre o Aqui e o Além. São Paulo: Pensamento, 1992.
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.