Feira Nacional do Doce

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Fenadoce)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde dezembro de 2012).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Doceira prepara doces na exposição em Pelotas, Rio Grande do Sul.

A Feira Nacional do Doce, popularmente conhecida como Fenadoce, é um evento que ocorre no município de Pelotas, no estado do Rio Grande do Sul, Brasil.

Em 2011 (15 de junho a 3 de julho), a feira pelotense terá a sua 19ª edição realizada novamente no Parque de Eventos Fenadoce, nas proximidades da BR-116 e avenida João Goulart, rodovia responsável pelo fluxo de acesso no sentido Pelotas - Rio Grande.

A primeira edição da festa foi realizada no ano de 1986, e desde então consagrou-se como a principal atração turística da região sul do Rio Grande do Sul, com uma mistura de shows, gastronomia, lazer e turismo. Pelotas recebe uma grande parcela de turistas durante a realização do evento, vindos das mais diversas localidades do país.

Doces e a gastronomia[editar | editar código-fonte]

Os doces, em sua maioria, têm origem portuguesa, sendo até hoje cultivada a herança repassada entre as famílias desta descendência. Entretanto, constata-se também a existência de alguns doces de origem germânica e italiana no cardápio. Dentre os doces mais vendidos, na edição de 2007, estão: Pastel de Santa Clara, bem-casado, ninhos, babas-de-moça, camafeus, papos-de-anjo, canudinhos recheados entre outros, sendo que sem sombra de dúvidas o mais vendido em todas as edições é o bombom de morango. Além disso, produtos caseiros como geléias, doces cristalizados e doces em pasta também têm uma importância significativa na gastronomia típica da região.

O evento[editar | editar código-fonte]

A Fenadoce há anos vem desempenhando um papel ímpar para os ramos turístico e gastronômico da região, e por diversas vezes já foi notícia nos principais veículos de comunicação do país. No ano de 2006 foi tema de uma reportagem especial no telejornal mais assistido do Brasil, o Jornal Nacional. Todos os anos também é pauta para uma edição especial do Jornal do Almoço, da RBS TV do Rio Grande do Sul, com matérias especiais sobre a cidade e a feira.

A Feira conta com um espaço diversificado de 17 hectares, com dois auditórios com capacidade média para mais de 300 pessoas, estacionamento com 5 mil vagas para carros e 150 ônibus, 22 mil m² de área coberta e público estimado de mais de 300 mil pessoas por ano.

Diversos eventos paralelos e atrações internas são realizados juntamente com a Fenadoce, como por exemplo:

  • Fenashow

Série de eventos musicais jovens programados em dias específicos da feira, com bandas nacionais e gaúchas. É considerada por muitos uma das poucas opções de shows de bandas relativamente famosas na cidade, e geralmente tem a promoção da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Pelotas e Rádio Atlântida FM (Pelotas).

  • Cidade do Doce

Um ambiente diferenciado que remete à Pelotas histórica dos séculos XIX e XX, onde tradicionalmente são realizadas a produção e venda dos doces da Feira.

  • Praça de Alimentação

Amplo espaço para as empresas do ramo de alimentação da cidade promoverem e comercializarem seus produtos, como comidas rápidas e lanches variados.

Espaço destinado à demonstrações tipicamente gaúchas de grupos de CTG da região e do estado. Diariamente são expostas novas atrações e realizadas novas atividades relacionadas ao estilo tradicional de vida gaúcho.

  • Parque de diversões

Para público das mais diversas idades, com atrações novas e empolgantes a cada ano.

  • Atrações paralelas na cidade de Pelotas

É possível sempre perceber uma interação da cidade com a Feira do Doce. Portanto, vários eventos são realizados no Centro Histórico e nos bairros em comemoração ao evento, a fim de demonstrar o potencial turístico, artístico e gastronômico da cidade.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]