Feniprazina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Feniprazina
Alerta sobre risco à saúde
Pheniprazine.png
Nome IUPAC (1-Methyl-2-phenyl-ethyl)hydrazine
Identificadores
Número CAS 55-52-7
PubChem 5929
DrugBank DB06282
ChemSpider 5716
KEGG D07402
ChEBI 94559
DCB n° Feniprazina
Primeiro nome comercial ou de referência Catron, Cadovil
Propriedades
Fórmula química C9H14N2
Massa molar 150.22 g mol-1
Farmacologia
Via(s) de administração Oral
Página de dados suplementares
Estrutura e propriedades n, εr, etc.
Dados termodinâmicos Phase behaviour
Solid, liquid, gas
Dados espectrais UV, IV, RMN, EM
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

A feniprazina (DCI; nomes comerciais: Catron, Cavodil, entre outros) é um inibidor da monoamina oxidase (IMAO) irreversível e não seletivo da classe química das hidrazinas.[1] Foi usada principalmente como antidepressivo na década de 1960.[2][3] Ainda, também era utilizada em tratamento de angina (dor torácica) e esquizofrenia.[4][5] A feniprazina foi amplamente descontinuada devido a preocupações com sua toxicidade, que está relacionada a complicações como icterícia, ambliopia e neurite óptica.[6][7][8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Lear TE, Browne MW, Greeves JA (novembro de 1962). «A controlled trial of cavodil (pheniprazine) in depression». The Journal of Mental Science. 108 (457): 856–58. PMID 13928843. doi:10.1192/bjp.108.457.856 
  2. Fagervall I, Ross SB (abril de 1986). «Inhibition of monoamine oxidase in monoaminergic neurones in the rat brain by irreversible inhibitors». Biochemical Pharmacology. 35 (8): 1381–7. PMID 2870717. doi:10.1016/0006-2952(86)90285-6 
  3. Eberson LE, Persson K (julho de 1962). «Studies on Monoamine Oxidase Inhibitors. I. The Autoxidation of β-Phenylisopropylhydrazine as a Model Reaction for Irreversible Monoamine Oxidase Inhibition». Journal of Medicinal and Pharmaceutical Chemistry. 91 (4): 738–52. PMID 14056405. doi:10.1021/jm01239a006 
  4. Sandler G (março de 1961). «Clinical evaluation of pheniprazine in angina pectoris». British Medical Journal. 1 (5228): 792–4. PMC 1953879Acessível livremente. PMID 13746179. doi:10.1136/bmj.1.5228.792 
  5. Wickstrom L, Hahn N (setembro de 1962). «[beta-Phenylisoprophlhydrazine (Catran) in schizophrenia]». Nordisk Medicin. 68: 1165–7. PMID 14000469 
  6. Fentem PH, Howitt G (dezembro de 1961). «Fatal jaundice after administration of pheniprazine». British Medical Journal. 2 (5267): 1616–7. PMC 1970739Acessível livremente. PMID 13892290. doi:10.1136/bmj.2.5267.1616 
  7. Frandsen E (1962). «Toxic amblyopia during antidepressant treatment with pheniprazine (Catran)». Acta Psychiatrica Scandinavica. 38 (1): 1–14. PMID 13894598. doi:10.1111/j.1600-0447.1962.tb01780.x 
  8. Thomsen NJ (janeiro de 1963). «[Optic neuritis after treatment with Catran]». Ugeskrift for Laeger. 125: 138–9. PMID 13981222