Fernão Álvares Pereira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes está sujeito a remoção.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Fernão Álvares Pereira

Fernão Álvares Pereira, ou simplesmente Fernão Pereira (? - a. 30 de Julho de 1385), foi um nobre português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Fernão Álvares Pereira era filho primogénito de D. Álvaro Gonçalves Pereira e de Iria Gonçalves do Carvalhal, meio-irmão mais novo de Rodrigo Álvares Pereira, D. Frei Pedro Álvares Pereira e Diogo Álvares Pereira, e irmão mais velho de D. Nuno Álvares Pereira.

Foi legitimado por Carta Real de D. Pedro I de Portugal de 24 de Julho de 1361 como Fernão Álvares.

Como Fernando Álvares Pereira teve de D. Fernando I de Portugal o Castelo de Elvas, Carta de Privilégio de Fidalgo e doação dum lugar em Portalegre.

A 30 de Julho de 1385, D. João I de Portugal doou a «eirea gllz madre do destabre» todos os bens móveis e de raiz que ficaram por morte de seu filho Fernão Pereira, os quais bens foram de Paio Rodrigues Marinho, Alcaide de Campo Maior, e os perdeu por dar o dito castelo e vila ao Rei de Castela.

A 20 de Agosto de 1385, D. João I de Portugal confirma a Martim Gonçalves, tio materno de Fernão Pereira, a doação dos bens que este tinha em Tavira (quartos, quintos, oitavas, direitos de pão, vinho, adega e louça, moinhos da Ribeira, fornos, hortas, foros do Figueiral dos Arroios) que, com sua Autorização Real, lhe doara seu sobrinho materno D. Nuno Álvares Pereira.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]