Fernanda Abreu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2011). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Fernanda Abreu
Fernanda Abreu no 26° Prêmio da Música Brasileira em 2015, no Theatro Municipal, no centro do Rio de Janeiro/RJ.
Informação geral
Nome completo Fernanda Sampaio de Lacerda Abreu
Nascimento 8 de setembro de 1961 (54 anos)
Local de nascimento Rio de Janeiro, RJ
Brasil
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Gravadora(s)
Afiliação(ões) BLITZ
Página oficial www.fernandaabreu.com.br

Fernanda Sampaio de Lacerda Abreu (Rio de Janeiro, 8 de setembro de 1961) é uma cantora e compositora brasileira de música pop. Iniciou a carreira como vocal de apoio na banda BLITZ, com Evandro Mesquita e, posteriormente, seguiu carreira solo, influenciada pelo samba, sambalanço, samba-rock, disco music, rap, funk e funk carioca - estilo musical que ajudou a popularizar - e abandonando o pop rock da Blitz. Ganhou grande popularidade ao lançar a canção "Rio 40 Graus", em 1992.

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

A cantora foi casada com Luiz Stein, com quem tem duas filhas chamadas Sofia e Alice.

É uma ilustre torcedora do Vasco, tendo lançado na festa de 113 anos do clube a canção "Vou Subir a Colina",[1][2] e do Sporting Clube de Portugal, pelo que depois de o assumir em direto num programa da televisão pública portuguesa (RTP), 5 Para a Meia-Noite, foi recebida pelo presidente Bruno de Carvalho, tendo sido agraciada com uma camisa do time autografada pelo próprio.[3] [4][5]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Filha de pai português e de mãe carioca,[6] Fernanda lançou-se em carreira solo em 1990 com o álbum SLA Radical Dance Disco Club, produzido por Herbert Vianna e Fábio Fonseca. A primeira canção executada nas rádios foi "A Noite", também presente na trilha sonora da novela Mico Preto da Rede Globo. Com forte inspiração disco, a faixa é uma das mais dançantes do álbum[7]. Em seguida, Fernanda alcançou o topo das paradas com a balada "Você pra Mim", tema do personagem de Luma de Oliveira em Meu Bem, Meu Mal. O álbum conta ainda com uma versão de "Got to Be Real" de Cheryl Lynn, intitulada "Luxo Pesado". Dele saiu ainda o videoclipe de "Speed Racer", veiculado nos primórdios da MTV Brasil.

Em 1992, a disco foi substituída por ritmos mais brasileiros em SLA 2 - Be Sample, seu segundo álbum. A faixa carro-chefe do mesmo foi "Jorge da Capadócia", mas foi "Rio 40 Graus", de autoria de Fausto Fawcett, Fernanda Abreu e Laufer, a canção que marcaria a carreira da cantora. Exaltando e ao mesmo tempo criticando sua cidade natal, Fernanda compôs um mosaico dos "tipos cariocas", de sua música, de seus hábitos e preferências. É com essa canção que Fernanda aproximava-se pela primeira vez do funk, gênero ao qual ficaria bastante associada futuramente.

Do álbum seguinte, Da Lata (1995) sairiam "Garota Sangue Bom", "Brasil É o País do Suingue" e "Veneno da Lata", o maior sucesso do CD. Em "É Hoje", Fernanda expõe o seu gosto pelo samba, regravando um famoso samba-enredo da Escola de Samba União da Ilha, sucesso nos anos 80 na voz de Caetano Veloso.

Uma outra regravação de Fernanda faria ainda mais sucesso em 1997, lançada em seu álbum Raio X, uma coletânea com seus maiores sucessos: "Kátia Flávia, a Godiva do Irajá". Contando a história de uma contraventora de parar, literalmente, o trânsito, o cantor Fausto Fawcett (autor da música junto com Laufer) já havia entrado nas paradas de sucesso ao lançar originalmente a canção em 1987. Com uma veiculação bastante grande na MTV, o clipe fez sucesso com Fernanda colocando-se na pele de Kátia Flávia.

Entidade Urbana (2000) foi seu quarto álbum de inéditas e, aqui, ela combina o sambalanço dos álbuns anteriores com uma necessidade de falar das metrópoles, do universo asfixiante, dinâmico e apaixonante das grandes cidades. Os títulos das canções traduzem a homogeneidade do álbum: "Sou da Cidade", "São Paulo-SP", "Meu CEP É o Seu", "Urbano Capital", "Megalópole-Cidade".

A canção "Eu Vou Torcer" de Jorge Ben Jor foi a única do álbum Na Paz (2004) a ter certa rotação nas rádios.

Em 2006, Fernanda gravou o CD MTV ao Vivo, dando nova roupagem aos seus sucessos solo e fazendo uma releitura de "A Dois Passos do Paraíso", sucesso de 1983 de sua antiga banda, BLITZ.

Amor Geral[editar | editar código-fonte]

Recentemente, ela voltou aos estúdios e gravou 10 canções inéditas para o novo álbum Amor Geral, primeiro de inéditas após 12 anos, que foi lançado no dia 20 de maio de 2016. Segundo as informações da página do fã-clube oficial da cantora no Facebook, Fernanda escolheu o nome pensando naquilo que acredita que o mundo precisa exatamente no momento: de amor. Fernanda acertou com a Sony Music o lançamento do álbum, através do seu selo "Garota Sangue Bom", onde também foi produzido o álbum Na Paz.

Fernanda Abreu assina duas das dez músicas do álbum em parceria com os compositores Gabriel Moura e Jovi Joviniano. O trio assina Outro sim - a música que abre o disco e será o primeiro single do CD - e Tambor, sendo que Tambor também tem a assinatura do DJ norte-americano Afrika Bambaataa. Qinho é parceiro da artista em outras duas músicas, O que ficou e Por quem. Sozinha, a cantora e compositora carioca assina Antídoto. A única música do álbum sem a autoria de Fernanda é Double love, música composta por Fausto Fawcett e Carlos Laufer, parceiros dela no sucesso Rio 40 graus (1992). A música-título Amor geralDeliciosamenteSaber chegar e Valsa do desejo completam o repertório.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns com a Blitz[editar | editar código-fonte]

Álbuns solo[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Megashow irá comemorar os 113 anos do Vasco». O Globo. 6 de agosto de 2011. Consultado em 7 de setembro de 2011. 
  2. «Fernanda Abreu lança música em homenagem ao Vasco no MegaShow». SuperVasco. 24 de agosto de 2011. Consultado em 7 de setembro de 2011. 
  3. «5 Para a Meia-Noite (VII) - Episódio 76 - 29 Abr 2013». RTP Play (www.rtp.pt). 29 de abril de 2013. Consultado em 2 de maio de 2013. 
  4. «Fernanda Abreu recebeu camisola autografada por Bruno de Carvalho (fotos)». A Bola. 1 de maio de 2013. Consultado em 2 de maio de 2013. 
  5. «Fernanda Abreu recebe camisola oficial». sporting.pt. 2 de maio 2013. Consultado em 2 de maio de 2013. 
  6. http://www.belasletras.com.br/autores_detalhes.php?id=54
  7. «Fernanda Abreu 08/09/1961». CliqueMusic. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre uma cantora é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.