Fernanda Melchionna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fernanda Melchionna
Fernanda Melchionna em 2019
Deputada Federal pelo Rio Grande do Sul
Período 1º de fevereiro de 2019
até atualidade[1]
Legislatura 56ª (2019 - 2023)
Vereadora de Porto Alegre
Período 1º de janeiro de 2009
até 31 de janeiro de 2019
Legislaturas 15ª (2009 - 2013)
16ª (2013 - 2017)
17ª (2017 - 2018)
Dados pessoais
Nascimento 2 de fevereiro de 1984 (38 anos)
Alegrete, RS
Alma mater Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Partido PT (2001-2004)
PSOL (2005-presente)
Profissão Bibliotecária e bancária
Website fernandapsol.com.br

Fernanda Melchionna e Silva (Alegrete, 2 de fevereiro de 1984) é uma bibliotecária, bancária e política brasileira filiada ao Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). Atualmente exerce seu primeiro mandato de deputada federal pelo Rio Grande do Sul.[1] Até maio de 2021, Fernanda divergiu do governo Bolsonaro 84% das vezes nas votações da câmara.[2]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Fernanda Melchionna começou a se interessar por política desde jovem; aos treze anos, participou dos protestos contra as privatizações realizadas pelos governos de Antônio Britto e Fernando Henrique Cardoso.[3] De volta a Alegrete, participou, ao lado do pai, Raul Silva da Silva, da implementação do Partido dos Trabalhadores (PT).[3][4]

Trabalhou como bancária no Banrisul[4], cargo do qual está licenciada para atuar na política.[5] Foi aprovada no vestibular para o curso de biblioteconomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)[6], atuando no diretório acadêmico e no Diretório Central de Estudantes.[3][4] Durante o primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva na presidência, decidiu sair do PT, em razão de decepção com o partido.[4] Próxima de Luciana Genro, participou da fundação do PSOL, em 2005.[3][4]

Vereadora[editar | editar código-fonte]

Identificada com movimentos sociais, na sua primeira candidatura a cargos eletivos, no pleito de 2008, Fernanda elegeu-se vereadora, com 2.984 votos.[4] Em 2012, se elegeu novamente, recebendo 7.214 votos, a melhor marca entre as mulheres eleitas.[7] Na eleição municipal de Porto Alegre em 2016, Fernanda novamente ao cargo de vereadora, tendo obtido 14.630 votos, a maior votação do pleito para vereador.[8][6][3]

Como vereadora, destacou-se defendendo pautas ligadas ao transporte coletivo, como a redução de tarifa de ônibus, o passe livre e a melhoria do serviço, e aos direitos humanos.[3] Em parceria com o vereador Pedro Ruas, também do PSOL, foi a autora do projeto que rebatizou a Avenida Presidente Castelo Branco como Avenida da Legalidade e da Democracia.[3] Presidiu a Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal em 2013.[4]

Deputada federal[editar | editar código-fonte]

Fernanda concorreu pelo PSOL ao cargo de deputada federal pelo Rio Grande do Sul nas eleições estaduais de 2018, sendo eleita com 114.302 votos[9], a maior votação entre as mulheres eleitas.[10] Em abril de 2019, tomou posse no Parlamento do Mercosul.[11] Melchionna foi confirmada pré-candidata pelo PSOL em novembro de 2019 em reunião ampliada da executiva municipal.[12] Entre fevereiro e agosto de 2020, foi a líder da bancada do PSOL na Câmara dos Deputados[13][14] Em junho de 2020, o PSOL anunciou o ex-árbitro de futebol Márcio Chagas da Silva como vice na sua chapa à prefeitura.[15] A decisão de concorrer foi tomada depois que PCdoB, PT e PSOL não tiveram êxito na formação de uma frente ampla de esquerda, defendida por Melchionna.[16][17] Segundo a deputada, ela propôs a realização de prévias entre os três partidos em Porto Alegre, mas as duas outras legendas rechaçaram a proposta.[18] Fernanda terminou a eleição em quinto lugar.

Em seu mandato na Câmara, Fernanda cronologicamente votou contra a MP 867 (que segundo ambientalistas alteraria o Código Florestal anistiando desmatadores);[19] a favor de criminalizar responsáveis por rompimento de barragens;[20] contra a PEC da Reforma da Previdência e a favor de excluir os professores nas regras da mesma;[20] contra a MP da Liberdade Econômica;[20] contra Alteração no Fundo Eleitoral;[20] contra aumento do Fundo Partidário;[21] contra cobrança de bagagem por companhias aéreas;[20] contra o PL 3723 que regulamenta a prática de atiradores e caçadores;[20] a favor do "Pacote Anti-crime" de Sergio Moro;[20] contra o Novo Marco Legal do Saneamento;[20] contra redução do Fundo Eleitoral;[20] a favor da suspensão do mandato do deputado Wilson Santiago (PTB/PB), acusado de corrupção;[20] a favor de ajuda financeira aos estados durante a pandemia de COVID-19;[20] contra o Contrato Verde e Amarelo;[20] contra a MP 910 (conhecida como MP da Grilagem);[22] contra a flexibilização de regras trabalhistas durante a pandemia;[20] contra o congelamento do salário dos servidores;[20] contra a anistia da dívida das igrejas;[23] a favor da convocação de uma Convenção Interamericana contra o Racismo;[20] duas vezes contra destinar verbas do novo FUNDEB para escolas ligadas às igrejas;[24][25] contra a autonomia do Banco Central;[20] a favor da manutenção da prisão do deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL/RJ);[20] contra a validação da PEC da Imunidade Parlamentar;[26] contra a PEC Emergencial (que trata do retorno do auxílio emergencial por mais três meses e com valor mais baixo);[20] contra permitir que empresas possam comprar vacinas da COVID-19 sem doar ao SUS;[20] contra classificar a educação como "serviço essencial" (possibilitando o retorno das aulas presenciais durante a pandemia);[27] contra acabar com o Licenciamento Ambiental para diversas atividades;[20] a favor da suspensão de despejos durante a pandemia[20] e contra a privatização da Eletrobras.[20]

Desempenho eleitoral[editar | editar código-fonte]

Ano Eleição Cargo Partido Coligação Suplentes/Vice Votos Resultado[28]
2008 Municipal de Porto Alegre Vereadora PSOL sem coligação proporcional Lúcio Barcelos (PSOL),
Emerson Dutra (PSOL)
2.984
(0,49%)
Eleita
(35ª pessoa mais votada,
2ª na coligação)
2012 Municipal de Porto Alegre Vereadora PSOL sem coligação proporcional Alex Fraga (PSOL),
João Ezequiel (PSOL)
7.214
(1,09%)
Reeleita
(18ª pessoa mais votada,
2ª na coligação)
2014 Estadual do Rio Grande do Sul Deputada estadual PSOL PSOL / PSTU 23.310
(0,42%)
Suplente
(81ª pessoa mais votada,
3ª na coligação)
2016 Municipal de Porto Alegre Vereadora PSOL PSOL / PCB / PPL Karen Santos (PSOL),
Marcelo Rocha (PSOL)
14.630
(2,35%)
Reeleita
(a pessoa mais votada)
2018 Estadual do Rio Grande do Sul Deputada federal PSOL PSOL / PCB Karen Santos (PSOL),
Fernanda Miranda (PSOL)
114.302
(2,08%)
Eleita
(8ª pessoa mais votada,
a mulher mais votada)
2020 Municipal de Porto Alegre Prefeita PSOL PSOL / PCB / UP Márcio Chagas (PSOL) 27.994
(4,34%)
Não eleita
(5º lugar)

Referências

  1. a b Câmara dos Deputados. «Biografia da deputada federal Fernanda Melchionna». Consultado em 10 de junho de 2021 
  2. Congresso em Foco (4 de junho de 2021). «Radar do Congresso: perfil da deputada federal Fernanda Melchionna». Consultado em 10 de junho de 2021 
  3. a b c d e f g ZH - ClicRBS - Fernanda Melchionna é a vereadora mais votada em Porto Alegre (02/10/2016) Acessado em 22 de maio de 2017
  4. a b c d e f g G1 - Fernanda Melchionna é a vereadora mais votada em Porto Alegre - Breve perfil de Melchionna (03/10/2016) Acessado em 22 de maio de 2017
  5. «Conheça Fernanda Melchionna». fernandapsol.com.br. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  6. a b «Fernanda Melchionna é a vereadora mais votada de Porto Alegre». Correio do Povo. 2 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 13 de maio de 2020 
  7. «Apuração das Eleições 2012 em Porto Alegre | Rio Grande do Sul». G1. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  8. «Fernanda Melchionna 50500 PSOL (Vereadora) Porto Alegre». Gazeta do Povo. Cópia arquivada em 17 de maio de 2020 
  9. «Fernanda Melchionna 5050 (PSOL) Deputada Federal». Gazeta do Povo. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2019 
  10. «Deputados federais eleitos no Rio Grande do Sul». Gazeta do Povo. Cópia arquivada em 6 de agosto de 2019 
  11. «Deputada vai denunciar no Parlasul ataques de Bolsonaro à democracia». Rede Brasil Atual. 28 de março de 2019. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  12. «Manuela lança movimento para atrair pessoas 'comuns' para a política». Sul21. 10 de novembro de 2019. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  13. «Fernanda Melchionna é a nova líder do Psol na Câmara». Congresso em Foco. 4 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2020 
  14. Comércio, Jornal do. «Fernanda Melchionna deixa a liderança do PSOL na Câmara dos Deputados para se dedicar à pré-campanha para Prefeitura de Porto Alegre». Jornal do Comércio. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  15. «PSOL anuncia Márcio Chagas como vice de Melchionna». 1 de junho de 2020 
  16. Guaíba, Lucas Rivas / Rádio. «Melchionna critica chapa Manuela/Rossetto, sem prévias, em Porto Alegre». Correio do Povo. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  17. «Frente de esquerda em Porto Alegre é possível? Presidentes de partidos avaliam cenário eleitoral». Sul 21. 21 de novembro de 2019. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  18. «"Propus prévias em Porto Alegre, mas nem o PT e nem o PCdoB aceitaram", diz Fernanda Melchionna». Revista Fórum. 3 de setembro de 2020. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  19. Rafael Neves (29 de maio de 2019). «Veja os deputados favoráveis à MP que muda Código Florestal». Congresso em Foco. Consultado em 10 de junho de 2021 
  20. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v G1. «O Voto dos Deputados - 56ª Legislatura (2019 - 2023)». Consultado em 10 de junho de 2021 
  21. Vem pra Rua (4 de setembro de 2019). «Lista dos deputados que votaram para aumentar o Fundão Eleitoral». Consultado em 10 de junho de 2021 
  22. Ana Carolina Amaral (12 de maio de 2020). «341 deputados votaram pela 'MP da grilagem'». Folha de S. Paulo. Consultado em 10 de junho de 2021 
  23. Flávia Said (9 de setembro de 2020). «Veja como cada deputado votou na emenda que perdoa dívidas de igrejas». Congresso em Foco. Consultado em 10 de junho de 2021 
  24. Guilherme Mendes e Larissa Calixto (10 de dezembro de 2020). «Deputados destinam dinheiro público a escolas ligadas a igrejas. Veja como cada um votou». Congresso em Foco. Consultado em 10 de junho de 2021 
  25. Marina Oliveira (17 de dezembro de 2020). «Veja como cada deputado votou na regulamentação do Fundeb». Congresso em Foco. Consultado em 10 de junho de 2021 
  26. Guilherme Amado (25 de fevereiro de 2021). «Saiba como cada deputado votou na validade da PEC da Imunidade». Época (Globo). Consultado em 10 de junho de 2021 
  27. Congresso em Foco (21 de abril de 2021). «Como votou cada deputado em PL que aprovou educação como serviço essencial». Consultado em 10 de junho de 2021 
  28. Poder360. «Candidaturas de Fernanda Melchionna». Consultado em 10 de junho de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]