Fernanda Venturini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde março de 2013). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Fernanda VenturiniVolleyball (indoor) pictogram.svg
Fernanda Venturini
Voleibol
Nome completo Fernanda Porto Venturini Rezende
Nascimento 24 de outubro de 1970 (48 anos)
Araraquara, SP
Nacionalidade brasileira
Compleição Peso: 68 kg Altura: 1,80 m
Posição Levantadora
Período em atividade 1984 - 2012

Fernanda Porto Venturini (Araraquara, 24 de outubro de 1970) é uma ex-jogadora de vôlei brasileira, que destacou-se na posição de levantadora, tanto em clubes quanto pela Seleção Brasileira. Foi 12 vezes campeã brasileira, bicampeã mundial de clubes, campeã espanhola, bicampeã mundial sub-20 pela seleção brasileira, disputou 4 Olimpíadas, faturou o bronze na Olimpíada de Atlanta-1996 e conquistou três títulos do Grand Prix (1994, 1996 e 2004). É a única brasileira entre as 4 melhores jogadoras do século XX, de acordo com a Federação Internacional de Vôlei (FIVB).

Carreira[editar | editar código-fonte]

Fernanda começou a praticar voleibol aos onze anos, por indicação médica, para corrigir um problema de escoliose. Em 1984, estreia competindo pela Sociedade Recreativa e de Esportes de Ribeirão Preto. Em 1987, sagrou-se campeã mundial pela primeira vez em Seul, Coreia do Sul. Em 1988, como atacante disputou as Olimpíadas de Seul, na posição de ponteira-passadora. Após o sexto lugar em 1988, devido à sua técnica apurada, habilidade e precisão nos fundamentos foi convencida a mudar de posição e aceitou o desafio de atuar armando as jogadas do time. Em 1989, torna-se bicampeã mundial em Lima, Peru, derrotando Cuba na final já na função de levantadora. Nos Jogos Olímpicos de Barcelona ficou em quarto lugar.[1]

Conquistou seu primeiro título sob o comando de Bernardo Rezende no Grand Prix de 1994,além de receber o prêmio de melhor levantadora. Na era Bernardinho ainda conquistou: três pratas no Campeonato Mundial de 1994, no Grand Prix de 1995 e na Copa do Mundo de 1995; o bronze nos Jogos Olímpicos de Atlanta, além de uma segunda medalha de ouro no Grand Prix de 1996.[1]

Em 1998, Fernanda decidiu não disputar o Grand Prix, porém retornou no segundo semestre para a disputa do Campeonato Mundial no qual o Brasil entrava como franco favorito para a medalha de ouro. A equipe, todavia, não se apresentou bem, e terminou a competição apenas com o quarto lugar. Ao final da disputa, Fernanda anunciou sua aposentadoria da seleção, mas continuou jogando em clubes. Depois de conquistar o vice-campeonato nacional jogando pelo Club de Regatas Vasco da Gama, ficou dezoito meses sem jogar, período em que deu à luz Júlia, sua filha com o técnico Bernardinho.[1]

Em 2000, na premiação feita pela Federação Internacional de Vôlei (FIVB) aos melhores atletas, equipes e técnicos do vôlei mundial, Fernanda Venturini foi a única brasileira entre as 4 maiores jogadoras do século XX. As outras três foram a cubana Regla Torres (vencedora), a russa Inna Ryskal e a chinesa Lang Ping.

Em 2002, contudo, foi convencida pelo técnico José Roberto Guimarães a buscar mais um título da Superliga e a voltar para a seleção, voltou a integrar a equipe a pedido do técnico. No retorno, estava em plena forma, com 2,5 kg a menos do que apresentava antes do afastamento e afiada na parte técnica. Tanto que não apenas conquistou mais um título da Superliga, como foi eleita a melhor levantadora e a melhor jogadora da competição. Fernanda, então, liderou o Brasil na conquista da medalha de prata na Copa do Mundo de 2003 e do título do Grand Prix do ano seguinte.[1]

Fernanda despediu-se pela segunda vez da seleção após as Olimpíadas de Atenas, quando a equipe brasileira deixou escapar uma vitória praticamente assegurada na semifinal contra a Rússia e terminou a competição em um inesperado quarto lugar. Aposentou-se em 30 de abril de 2006, após a vitória do Rexona-Ades na final da Superliga, que lhe garantiu o 12º título do campeonato nacional.

Em janeiro de 2007, interrompeu, pela segunda vez, sua aposentadoria. A jogadora assinou contrato com o Grupo Murcia 2002, equipe européia formada por grandes estrelas mundiais, entre elas a polonesa Małgorzata Glinka, a russa Lioubov Sokolova e as dominicanas Annerys Vargas e Prisilla Rivera. Fernanda liderou suas companheiras do Grupo 2002 Murcia na conquista dos principais torneios da Espanha: a Copa da Rainha e a Superliga Espanhola. Na Copa da Rainha, inclusive, Fernanda foi eleita a melhor levantadora do torneio.[1]

Em junho do mesmo ano, Fernanda Venturini foi contratada pela Rede Record, para atuar como comentarista durante as partidas da seleção feminina nos Jogos Pan-Americanos de 2007. Fernanda também foi contratada pelo Portal Terra, para contar os bastidores da competição e comentar o desempenho das jogadoras brasileiras.[1]

Durante os Jogos Olímpicos de 2008, Fernanda novamente comentou a competição de voleibol feminino no seu blog no Portal Terra.[1][2]

Em 2011, Fernanda Venturini voltou às quadras pela terceira vez e reforçou a equipe do Unilever para a temporada 2011/2012. Ela deixou a camisa 14 de lado e usou a camisa número 1. A equipe carioca, que além de Fernanda tinha estrelas como a oposta Sheilla e a ponteira Mari, ficou com o vice-campeonato da competição.

Em 2012, Fernanda foi homenageada pela Mattel do Brasil com uma versão olímpica da Barbie, inspirada em suas feições. A boneca, produzida especialmente para a ex-levantadora, usa uniforme da seleção brasileira e tem o número 14 estampado na camiseta.

Em 2014, participou da novela "Chiquititas", do SBT. Fernanda interpretou ela mesma, atuando como professora de vôlei na escola onde as chiquititas estudam e ensinando técnicas para uma boa partida.

Em 2016, Fernanda participou do quadro "Super Chef Celebridades", do programa "Mais Você", apresentado por Ana Maria Braga na Rede Globo. Ela disputou a competição com Julianne Trevisol (campeã), Minotauro, André Gonçalves, Eri Johnson, Mumuzinho, Danielle Winits e Carolina Oliveira.

Fernanda é casada desde 1999 com o técnico Bernardo Rezende (Bernardinho), com quem tem duas filhas, Julia e Vitória.[1] Atualmente, ela se dedica ao ciclismo, participa de competições como o L'Étape Brasil e o GNFY Brasil e diariamente posta fotos e vídeos da rotina de ciclista em sua página no Instagram (fernandaventurini_oficial). Ela também pratica, eventualmente, o beach tennis – esporte que mistura vôlei de praia, tênis e frescobol.

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube País De Até
S.R.E Ribeirão Preto  Brasil 1984 1985
Pão de Açúcar E.C.  Brasil 1986 1987
Sadia E.C.  Brasil 1987 1991
Minas T.C.  Brasil 1991 1992
Nossa Caixa/Recra  Brasil 1992 1994
Leites Nestlé  Brasil 1994 1996
União E.C.  Brasil 1996 1997
Rexona/Curitiba  Brasil 1997 2000
C.R. Vasco da Gama  Brasil 2000 2001
A.D.C. BCN  Brasil 2002 2003
A.D.C. Finasa  Brasil 2003 2004
Rexona/Ades  Brasil 2004 2006
C.A.V. Murcia 2005 Flag of Spain.svg Espanha 2007 2007
Unilever  Brasil 2011 2012

Títulos[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Sciences de la terre.svg Mundial de Clubes

  • Bicampeã: 1991 e 1994

South America (orthographic projection).svg Sul-Americano de Clubes

  • Campeã: 1989, 1990, 1991 e 1992

Brasil Superliga/Liga Nacional

  • Campeã: 1989, 1990, 1991, 1994, 1995, 1996, 1997, 1998, 2000, 2003, 2004 e 2006
  • Vice-campeã: 1992, 1999, 2005 e 2012

Espanha Campeonato Espanhol

  • Campeã: 2007

Espanha Copa da Rainha

  • Campeã: 2007

São Paulo Campeonato Paulista

  • Campeã: 1988, 1989, 1990, 1992, 1995, 2002 e 2003
  • Vice-campeã: 1986, 1994 e 1997

Rio de Janeiro Campeonato Carioca

  • Campeã: 2000, 2004, 2005 e 2011

Seleção[editar | editar código-fonte]

Participantes Olímpicos Independentes Jogos Olímpicos

  • Bronze: 1996

Sciences de la terre.svg Campeonato Mundial

  • Vice-campeã: 1994

Sciences de la terre.svg Campeonato Mundial Sub-20

  • Campeã: 1987 e 1989

Sciences de la terre.svg Copa do Mundo

  • Vice-campeã: 1995 e 2003

Sciences de la terre.svg Copa dos Campeões

  • Terceiro lugar: 1997

Sciences de la terre.svg Grand Prix

  • Campeã: 1994, 1996 e 2004
  • Vice-campeã: 1995

South America (orthographic projection).svg Campeonato Sul-Americano

  • Campeã: 1991, 1995, 1997 e 2003

South America (orthographic projection).svg Campeonato Sul-Americano Sub-18

  • Campeã: 1986

Flag of PASO.svg Jogos Pan-Americanos

  • Vice-campeã: 1991

Suíça Montreux Volley Masters

  • Campeã: 1994 e 1995

Premiações individuais[editar | editar código-fonte]

Sciences de la terre.svg Grand Prix

Brasil Superliga

Espanha Copa da Rainha

Referências

  1. a b c d e f g h «Que Fim Levou?-Fernanda Venturini». Consultado em 19 de maio de 2013 
  2. «Fernanda Biography and Olympic Results/Olympics at Sports Reference.com». Consultado em 19 de maio de 2013