Fernando, Príncipe das Astúrias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fernando
Príncipe das Astúrias
Retrato por Sánchez Coello, c. 1575
Casa Habsburgo
Nascimento 4 de dezembro de 1571
  Madrid, Espanha
Morte 18 de outubro de 1578 (6 anos)
  Madrid, Espanha
Enterro Mosteiro e Sítio do Escorial, San Lorenzo de El Escorial, Espanha
Pai Filipe II de Espanha
Mãe Ana da Áustria
Religião Catolicismo

Fernando de Áustria, Infante de Espanha, Príncipe das Astúrias (Madrid, 4 de dezembro de 1571 - Madrid, 18 de outubro de 1578), era filho do rei Filipe II de Espanha e de sua quarta esposa Ana da Áustria.[1]

Nascimento[editar | editar código-fonte]

Fernando foi o segundo filho nascido de Filipe II. Ele foi precedido por Dom Carlos, nascido da primeira esposa de Filipe, Maria Manuela. Mas quando Fernando nasceu em 4 de dezembro de 1571, seu irmão mais velho, mentalmente instável e inapto para o governo, já estava morto há três anos.

Para Filipe, a doença e a morte de seu primogênito eram uma fonte de grande preocupação em relação à sucessão. Depois de Dom Carlos, ele não teve outros filhos em nenhum dos seus dois casamentos seguintes, mas apenas duas filhas da terceira esposa, Isabel de Valois, que havia morrido no parto como Maria Manuela (sua segunda esposa Maria I da Inglaterra morreu sem filhos): Isabel Clara Eugênia e Catarina Micaela.

Para agradecer a Deus pelo nascimento do tão esperado filho, os prisioneiros foram libertados, como comemorado na pintura de Ticiano, Filipe II oferecendo Don Fernando à vitória.

Afeição paterna[editar | editar código-fonte]

Depois de Fernando, nasceram mais quatro filhos: Carlos Lourenço em 1573, Diego em 1575, Filipe em 1578 e Maria em 1580, cujo nascimento levou à morte de sua mãe por insuficiência cardíaca. Devido aos compromissos governamentais de seus pais, mas também aos hábitos da época, os filhos viveram e cresceram separados dos pais. Além disso, a consciência de Filipe e Ana da taxa de mortalidade infantil muito alta da época pode ter criado uma espécie de indiferença aos filhos. É possível que eles tenham medo de formar um vínculo estreito com os filhos, apenas para que morram mais tarde, deixando-os devastados.

Apesar da Lenda Negra, na qual Filipe era retratado como um monstro, ele era um pai muito carinhoso e afetuoso. Ele comprou bonecas, miniaturas e brinquedos para seus filhos e, durante sua estadia em Portugal entre 1581 e 1982, escrevia regularmente para as meninas mais velhas em cartas ainda preservadas, para saber sobre sua saúde e educação. Quando ele voltou de Portugal, ele trouxe muitos doces e geleias com ele.

Doença e morte[editar | editar código-fonte]

No verão de 1578, enquanto ele estava na cidade de Galapagar, Fernando ficou gravemente doente com disenteria. Os médicos se viram incapazes de concordar com o melhor tratamento a ser administrado, e o rei, que estava em Madrid e se mantinha constantemente atualizado sobre sua condição, aconselhou que seu filho come tortilhas. Lentamente, ele se recuperou, mas depois recaiu três dias depois e morreu. Ele tinha seis anos.

O título Príncipe das Astúrias foi então passado para seu irmão mais novo, Diego, mas quatro anos depois ele morreu de varíola.

Seu irmão mais novo, Filipe, foi o único filho de Ana a sobreviver à infância e, em 1598, sucedeu seu pai como Filipe III da Espanha.

Referências

  1. «Fernando, Príncipe das Astúrias». VIAF (em inglês). Consultado em 18 de novembro de 2019 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Fernando, Príncipe das Astúrias

Referências[editar | editar código-fonte]


Fernando de Áustria
Casa de Habsburgo
4 de dezembro de 1571 – 18 de outubro de 1578
Precedido por
Carlos
Coat of Arms of the Prince of Asturias-Azur Label (1580-1665).svg
Príncipe das Astúrias
4 de dezembro de 1571 – 18 de outubro de 1578
Sucedido por
Diego
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.