Fernando Andrade Pires de Lima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fernando Pires de Lima.

Fernando Andrade Pires de Lima GCCGCSECvIP (Santo Tirso, Santo Tirso, 20 de Setembro de 1906Santo Tirso, Santo Tirso, 4 de Setembro de 1970) foi um professor de Direito na Universidade de Coimbra, na qual se doutorou em 1930, e político durante o Estado Novo. Entre outras funções de relevo, foi Ministro da Educação Nacional (4 de Fevereiro de 1947 a 7 de Julho de 1955), Ministro da Justiça (interino, de 31 de Maio a 30 de Julho de 1955) e procurador à Câmara Corporativa.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Na pasta da educação, deu novo impulso ao ensino técnico, promoveu uma campanha contra o analfabetismo e o aumentou o apoio oficial concedido ao ensino das Belas Artes, mas a sua acção política ficou marcada pela expulsão, a 18 de Junho de 1947, de 26 professores universitários conhecidos pelas suas ideias democráticas.[2] Na sua carreira académica, foi um reputado civilista, assumindo uma posição de destaque no movimento da jurisprudência dos conceitos e no processo que esteve na génese do Código Civil Português de 1966.

A 26 de Junho de 1940 foi feito Cavaleiro da Ordem da Instrução Pública,[3] a 1 de Agosto de 1953 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo e a 8 de Fevereiro de 1967 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.[4] A 1949 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem de Isabel a Católica[5]

Referências e Notas

Ligações externas[editar | editar código-fonte]