Fernando Marroni

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fernando Marroni
Deputado Estadual pelo Rio Grande do Sul
Período 1° de janeiro de 2019
até 31 de dezembro de 2022
33° Prefeito de Pelotas
Período 1° de janeiro de 2001
até 31 de dezembro de 2004
Antecessor Otelmo Demari Alves
Sucessor Bernardo Olavo Gomes de Souza
Dados pessoais
Nascimento 31 de julho de 1956 (62 anos)
Pelotas, Rio Grande do Sul
Alma mater Universidade Federal de Pelotas
Partido PT

Fernando Stephan Marroni (Pelotas, 31 de julho de 1956) é um político brasileiro filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT). Foi prefeito de Pelotas e atualmente é Deputado Estadual.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Marroni iniciou sua trajetória política nos anos 80 na Associação dos Funcionários da Universidade Federal de Pelotas (Asufpel), que presidiu entre 1987 e 1991. Em 1989 assumiu a direção nacional da Federação dos Trabalhadores das Universidades Brasileiras (Fasubra).

Em 1992 concorreu a vereador pelo PT em Pelotas. Em 1998, foi o quarto deputado federal mais votado pelo partido no Rio Grande do Sul, com 47 mil votos. Em 2000 trocou a Câmara dos Deputados pela prefeitura de Pelotas. Depois de não obter a reeleição à prefeitura, concorreu novamente à Câmara dos Deputados (2006) e, com 70 mil votos, ficou na primeira suplência, assumindo o mandato em janeiro de 2009.

Em 2010, Fernando Marroni foi reeleito deputado federal com 87 mil votos, entrando para a história como o candidato a deputado mais votado de Pelotas em todos os tempos.[1]

No ano de 2012 concorreu novamente ao posto de prefeito na eleição municipal de Pelotas. No primeiro turno obteve 28,54% dos votos, passando à disputa do segundo turno com o candidato do PSDB, Eduardo Leite (39,89% dos votos).[2] No segundo turno Marroni conquistou 42,85% dos votos válidos (83.079), perdendo a eleição para Leite, que ficou com 57,15% (110.823 votos).

Em 2014 foi eleito como Deputado Federal, contudo por decisão do TSE em 2015 ele passou a ser primeiro suplente do PT, perdendo o cargo para José Otávio Germano (PP). A mudança ocorreu pelo fato de o TSE ter validado os 45.559 votos do candidato a deputado federal Claudio Janta (SD), que faz parte da mesma coligação de Germano, alterando o quociente eleitoral, que determina o número de votos para cada cadeira na Câmara.[3]

Em 2018 foi eleito Deputado Estadual do Rio Grande do Sul, com 0.53% dos votos válidos (30.704 votos).[4]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Engenheiro eletricista formado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), é também servidor da universidade. É casado com a psicóloga e deputada estadual pelo Rio Grande do Sul Miriam Marroni, sendo pai de duas filhas (Camila e Otávia) e avô de uma neta (Maria Eduarda).

Referências

  1. «Jornal Tradição Regional entrevista o deputado federal Fernando Marroni (PT)». Jornal Tradição. 16 de maio de 2014. Consultado em 30 de outubro de 2018 
  2. «Eduardo Leite e Fernando Marroni disputam segundo turno em Pelotas (28/10/2012)». Globo.com. G1. Consultado em 30 de outubro de 2018 
  3. «Decisão do TSE tira Fernando Marroni e coloca José Otávio na Câmara dos Deputados». Sul21. Consultado em 14 de julho de 2016 
  4. «Fernando Marroni». Eleições 2018. Consultado em 30 de outubro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.