Fernando O. Assunção

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Fernando Octavio Assunção Formica (Montevidéu, 12 de janeiro de 1931São Paulo, 3 de maio de 2006) foi um historiador uruguaio[1][2].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Especializou-se em antropologia social,[2] escreveu obras sobre o folclore uruguaio e do Rio da Prata.[3]

Destacou-se nos estudos e projetos para a Colônia do Sacramento[2] entre 1968 e 1981,[4] e pela contribuição à criação do Museu do Gaucho;[3] com Jorge Páez Vilaró, foram responsávels pela criação do Museo de Arte Americano de Maldonado.[4] Fou um destacado historiógrafo;[3] membro do Instituto Histórico y Geográfico del Uruguay e do Instituto Panamericano de Geografía e Historia.[2]

Morreu repentinamente num aeroporto de São Paulo em 2006. A Cámara de Representantes[1] e o Senado do Uruguai o homenagearam.[4]

Família[editar | editar código-fonte]

Filho do imigrante português Octávio Assunção e de María Dolores Formica Corsi.[1]

Cassado com Margarita Corallo,[3] tiveram duas filhas, Margarita e Cecilia.

Obras[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Sesión de homenaje de la Cámara de Representantes». Diario de Sesiones de la Cámara de Representantes de la República Oriental del Uruguay. Consultado em 23 de maio de 2012. 
  2. a b c d «Obituario del Prof. Assunção». Consultado em 23 de maio de 2012. 
  3. a b c d e «En memoria de Assunção, un señor gaucho». La Nación. 22 de julho de 2006. Consultado em 23 de maio de 2012. 
  4. a b c d e f g h i j k l «Sesión de homenaje del Senado». Diario de Sesiones de la Cámara de Senadores de la República Oriental del Uruguay. Consultado em 23 de maio de 2012. 
  5. Colonia - UNESCO
  6. Historia del gaucho
  7. Bailes criollos rioplatenses