Fernando de Almada, 4.º conde de Avranches

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outro significado de Fernando de Almada, veja Fernando de Almada.
Pintura das Armas dos Almadas, mandadas executar no tempo de D. Manuel I no Palácio Nacional de Sintra, editada por Anselmo Braamcamp Freire no seu Livro dos Brasões da Sala de Sintra

Fernando de Almada (c. 1490), 4.º conde de Abranches, escudeiro fidalgo da Casa Real[1], foi um nobre e militar português. Foi o 7º Senhor dos Lagares d’El-Rei e teve os cargos de Alcaide-mor de Lisboa[2].

Foi o último na família Almada a obter o cargo de Capitão-Mor do Mar[3] que era exercida desde o tempo de D. João I pelos primogénitos da família Almada. Segundo a "História Genealógica", vol. 2º liv. 3º pg. 28, "este cargo foi lhe dado por carta passada por D. Sebastião, em Évora a 25 de Agosto de 1563".[4]

Dados históricos[editar | editar código-fonte]

Armas de D. Fernando de Almada, chefe da Casa de Almada, na «Grammatica da lingoagem portuguesa» de Fernão Doliveira, 27 de Janeiro de 1536.

A primeira gramática conhecida em língua portuguesa, "Gramática da Linguagem Portuguesa" de Fernão de Oliveira, impressa em Lisboa, em 1536, por Germão Galharde, foi-lhe dedicada, a ele D. Fernando. Conhece-se apenas um exemplar, pertencente à Biblioteca Nacional, e tem na página do frontispício o seu brasão de armas, com Almada em "chefe" (como se diz em heráldica).[5]

Acompanhou a infanta D. Brites a Sabóia para esta se casar com Carlos III, Duque de Saboia[6].

Dados genealógicos[editar | editar código-fonte]

D. Fernando de Almada (4º Conde de Avranches).

Filho de

e de: D. Maria de Menezes

1º Casamento
Tiveram
2º Casamento
  • Com: D. Maria de Meneses, filha de Henrique de Sá, Senhor de Sever, Matosinhos, etc., Alcaide-Mor do Porto, e de D. Brites de Meneses. Sem geração.
Teve (ilegítimo)

Controvérsia[editar | editar código-fonte]

Segundo alguns ele não terá sido conde de Avranches ou Abranches, tal como tinham sido seus antepassados, apesar de representar a varonia Vaz de Almada e Abranches e o respectivo título nobiliárquico, mas na verdade num documento oficial existente na Torre do Tombo faz referência a esse seu título[11].

Referências

  1. «Genealogias das Famílias de Portugal», por Afonso Torres e continuada por Luís Vieira da Silva, capitulo dos Almadas, ano de 1694
  2. A D. ANTÃO DE ABRANCHES, FIDALGO DA CASA D'EL-REI E CAPITÃO-MOR DE LISBOA, E A UM SEU FILHO BARÃO, TENÇA ANUAL DE 400, Arquivo nacional da Torre do Tombo
  3. «D. Fernando de Almada». Roglo.eu 
  4. Vide Torre do Tombo, Livro das confirmações do ano de 1163 a 1577, Escrivão João Costa, p. 87 - confere: Conde de Almada, in «Relação dos Feitos de Dom Antão Dalmada», no ano de 1940, pág. 76
  5. «Grammatica da Lingoagem Portuguesa de Fernão de Oliveira». Purl.pt 
  6. «Genealogias das Famílias de Portugal», por Afonso Torres e continuada por Luís Vieira da Silva, capitulo dos Almadas, ano de 1694
  7. «Catarina de Albuquerque». Roglo.eu 
  8. «Genealogias das Famílias de Portugal», por Afonso Torres e continuada por Luís Vieira da Silva, capitulo dos Almadas, ano de 1694
  9. «Genealogias das Famílias de Portugal», por Afonso Torres e continuada por Luís Vieira da Silva, capitulo dos Almadas, ano de 1694
  10. «Genealogias das Famílias de Portugal», por Afonso Torres e continuada por Luís Vieira da Silva, capitulo dos Almadas, ano de 1694
  11. A D. ANTÃO DE ABRANCHES, FIDALGO DA CASA D'EL-REI E CAPITÃO-MOR DE LISBOA, E A UM SEU FILHO BARÃO, Arquivo nacional da Torre do Tombo

Bibliografia[editar | editar código-fonte]