Festa de Agosto de São Roque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

São Roque, o santo padroeiro dessa festividade, nasceu no sul da França, no ano de 1295, alegadamente um filho do governador de Montpellier, que teria perdido seus pais aos vinte anos de idade, e dividido os seus bens entre os pobres, indo a pé em peregrinação até Roma.

As origens desta tradição nos remetem à metade do século XVII e estão ligadas à história da fundação dessa cidade às margens do rio Carambeí, quando o bandeirante Pedro Vaz de Barros construiu sua casa e ao lado, uma capelinha, onde hoje está a Praça da Matriz, elegendo como padroeiro São Roque por sua devoção.

Em seu testamento, o fundador da cidade, Pedro Vaz de Barros, também conhecido como “Vaz-Guaçu”, fez uma valiosa doação de imóveis à capela, contanto que a conservassem sempre limpa e trouxessem um sacerdote ao povoado, ao menos uma vez por ano, na festa do padroeiro.

Nessa época, como a população era ainda pequena, a localidade não contava com a assistência de um padre. De Araçariguama que vinham os sacerdotes para as celebrações religiosas.

Para celebrar a data, a cidade conta com atrações variadas que vão desde a missa campal, o enfeite dos tapetes e a procissão de São Roque a aguardados shows artísticos.

Nos dias 15 e 16 de agosto a Paróquia de São Roque promove o Episódio das Alvoradas, quando ao nascer do sol a população acorda com uma grande queima de fogos e replicar dos sinos das igrejas locais.

Os participantes da Festa são recebidos ao som de uma banda e um café da manhã. Simultaneamente a essa confraternização, o Bando Precatório, composto por crianças e jovens, geralmente meninas, veste-se de branco, caminhando pelas ruas da cidade. Ao percorrer os logradouros, entregam medalhas de São Roque e de Nossa Senhora da Assunção. Essa é uma tradição portuguesa que chegou ao Município também para angariar fundos, sendo que hoje elas distribuem as medalhinhas e convidam o público para a missa das 10 horas.

No dia 16, feriado municipal (é o dia da solenidade litúrgica em honra de São Roque) há a missa campal às 10 horas, na Praça da Igreja Matriz. Em seguida, os são-roquenses e os turistas podem ajudar na preparação dos tapetes que enfeitam todo o centro histórico da cidade. Para a fabricação desses enfeites, são utilizados mais de 800 sacos de serragem (de 10 quilos cada um). Uma boa quantia é tingida à mão pelos próprios paroquianos e o restante é utilizado ao natural. Os desenhos trazem passagens religiosas e remetem às histórias do Santo Padroeiro e pontos turísticos da cidade.

Referências

[1]

  1. SILVEIRA, Ayr. Festa de São Roque. In: ______. Projeto Memória. Editora: Samber, São Roque/SP. Vol. 1, 1949, p.59-64.