Festival Eurovisão da Canção 1968

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Festival Eurovisão da Canção 1968
Reino Unido no Festival Eurovisão da Canção Reino Unido
Royal Albert Hall, London - Nov 2012.jpg
Royal Albert Hall ,sede da edição.
Edição
13.ª edição
Datas
Final 6 de abril de 1968
Anfitrião
Local Royal Albert Hall, Londres
Apresentador(es) Reino Unido Itália Katie Boyle
Diretor Reino Unido Stewart Morris
Maestro Reino Unido Norrie Paramor
Supervisor executivo Reino Unido Clifford Brown
Produtor executivo Reino Unido Tom Sloan
Transmissão BBC logo (70s).svg BBC
Atuações
Atuações nos intervalos Impressions from London, vídeo sobre Londres.
Participantes
Número de entradas 17 países
Países estreantes Nenhum
Países de regresso Nenhum
Países de saída Nenhum
Mapa dos países participantes
Predefinição:Info/Eurovisão/Festival Eurovisão da Canção 1968

     Países que já escolheram o seu artista e/ou canção     Países que não se classificaram para a final     Países que participaram no passado mas não em 1968

Votação
Sistema de
voto
A votação baseou-se em 10 júris por país que atribuíram 1 ponto cada à canção que mais lhes agradou.
Vencedor(a) Espanha no Festival Eurovisão da Canção Espanha
Massiel
"La, la, la"
Cronologia
Fleche-defaut-gauche-gris-32.png  1967 Wiki Eurovision Heart (Infobox).svg 1969  Fleche-defaut-droite-gris-32.png

O Festival Eurovisão da Canção 1968 (em inglês: Eurovision Song Contest 1968 e em francês: Concours Eurovision de la chanson 1968) foi o 13º Festival Eurovisão da Canção e realizou-se a 6 de abril de 1968, em Londres, no Reino Unido. Katie Boyle foi a apresentadora do evento, pela terceira vez na história (já tinha apresentado as edições de 1960 e de 1963), que foi ganho pela canção espanhola "La, la, la" por Massiel. Originalmente, a Espanha seria representada por Joan Manuel Serrat, mas o seu desejo em cantar em catalão (a língua proibida de Francisco Franco) foi uma afronta ao regime ditatorial franquista que jamais permitiria semelhante ousadia. Serrat acabaria por ser substituído por Massiel que cantou a mesma canção em castelhano. Massiel, que estava em turnê no México, só teve 10 dias para se preparar antes do concurso.[1]

Local[editar | editar código-fonte]

Mais sobre a cidade anfitriã: Londres
Royal Albert Hall, em Londres, no Reino Unido.

O Festival Eurovisão da Canção 1968 ocorreu em Londres, no Reino Unido, que já tinha sido sede das edições de 1960 e de 1963. Londres é uma das maiores cidades da Europa e já liderou a lista das maiores cidades do mundo. De uma cidade romana chamada Londínio, a capital da região administrativa romana Britannia, a cidade acabou por se tornar o centro do império britânico, contribuindo hoje com 17% do PNB de um país que é a quarta maior economia do mundo. Londres tem sido um dos mais importantes centros da política e do comércio mundiais por quase dois milénios (apesar de a capital de Inglaterra ter sido Winchester durante grande parte da idade média).

O festival em si realizou-se no Royal Albert Hall, uma sala de concertos situado na Cidade de Westminster em Londres, a capital e a maior cidade da Inglaterra e do Reino Unido. O Royal Albert Hall é conhecido por ali terem lugar várias exposições de vários artistas de vários géneros, desportos, cerimónias de entrega de prémios, concertos diversos e outros eventos desde a sua abertura em 1871 e tornou-se um dos mais importantes edifícios de Londres.

Formato[editar | editar código-fonte]

1968 foi a primeira vez em que o Festival Eurovisão da Canção foi transmitido a cores. Os países que o emitiram a cores foram a França (através da Antenne 2), a então Alemanha Ocidental, Países Baixos, a Finlândia, a Noruega, a Suíça, a Suécia e o Reino Unido. A título de curiosidade, em Portugal só no dia 7 de março de 1980 estrearam as emissões regulares a cores, com a transmissão do Festival RTP da Canção desse ano. [2] Também todos os países de leste e a Tunísia transmitiram o festival. Katie Boyle apresentou o festival pela terceira vez.[1]

No primeiro dia de ensaios, um trio de albaneses invadiu o gabinete do chefe de produção da BBC e disseram: "somos albaneses e queremos apresentar a nossa canção ao Festival", proposta que foi de imediato recusada. De repente, começaram a tocar "Congratulations"" em versão jazz. Era apenas uma brincadeira, ou uma jogada de marketing, de alguns responsáveis da BBC.[3]

Pela Jugoslávia, o grupo Dubrovački Trubaduri, apareceu em trajes de jograis medievais. Foi um grupo originalmente formado por seis pessoas. No entanto, o regulamento só permitia que solistas e duplas competissem, então oficialmente cinco foram para Londres, dois deles intérpretes oficiais, Luči Kapurso & Hamo Hajdarhodžić, e os outros três como coristas.

Como acontecia de ano para ano, o número de espetadores aumentou: cerca de 300 milhões de pessoas viram o espetáculo, não só nos países concorrentes como também no leste europeu e na América, onde o certame passou em diferido. Em Portugal, os cafés tornaram a encher para assistir à final.

Vitória polémica[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2008, um documentário do realizador espanhol Montse Fernández Villa 1968. Yo viví el mayo español ("Eu vivi o maio espanhol)", centrado nos efeitos do maio de 1968 na Espanha franquista [4] alegou que o Festival Eurovisão da Canção 1968 foi fraudado pelo ditador espanhol, o General Francisco Franco, que teria enviado funcionários por toda a Europa oferecendo dinheiro e prometendo comprar séries de televisão e contratar artistas desconhecidos.[5] A alegação foi baseada no testemunho do jornalista José María Íñigo, um funcionário da TVE na época que reclamou que a fraude era de conhecimento geral e sugeriu que a gravadora espanhola da canção de Massiel oferecia-se para lançar álbuns de artistas da então Checoslováquia e da Bulgária (países que na época não faziam parte da União Europeia de Radiodifusão).[6]

O documentário considera que o festival deveria ter sido ganho pela canção do britânica– "Congratulations" interpretada por Cliff Richard – que terminou em segundo lugar a apenas um ponto de distância.[7] Massiel, a intérprete da canção vencedora, sentiu-se ofendida pelas acusações e disse que "outros cantores que eram mais afiados pelo regime franquista teriam sido beneficiados". José María Iñigo, autor da declaração do documentário, defendeu pessoalmente Massiel e disse que ele tinha espalhado o rumor. Tanto Massiel e Iñigo acusaram o canal La Sexta, emissor do documentário, de fabricar o escândalo.[8]

Visual[editar | editar código-fonte]

O vídeo introdutório começou com uma visão do palco, que se ampliou, revelando a orquestra e o público. A orquestra tocou um cover da música vencedora do ano anterior, "Puppet on a String".

A apresentadora da edição foi novamente Katie Boyle, que apresentava o certame pela terceira vez, depois de 1960 e de 1963. Mais tarde, ela contou que teve de enfrentar a edição toda, pois o seu casamento estava a passar por uma fase difícil e que tinha chorado tanto que no dia do certame ela teve que deitar-se várias horas antes com batatas cruas sobre os olhos.[9]

A orquestra foi conduzida por Norrie Paramor.

A orquestra foi instalada num buraco ao pé do palco, que apresentava três pódios separados, um no centro para os artistas, um à esquerda para os coristas e outro à direita para a apresentadora. Os artistas fizeram a sua apresentação pela parte de trás do palco, passando por uma ampliação metálica e dourada do logótipo da Eurovisão, que serviu de fundo. Atrás do logótipo, uma tela mostrava um retrato dos artistas, antes de tomar tons azulados. A mesa do supervisor executivo foi posto à direita do palco. O palco estava cercado por cortinas azuis claras. Katie apresentou as canções sem aparecer em frente às câmaras.

O intervalo foi preenchido por um vídeo intitulado "Impressions from London". Consistia em vários pontos turísticos da capital britânica, dia e noite, como o Palácio de Westminster, o Big Ben, a Tower Bridge, a Torre de Londres, o Palácio de Buckingham, a Hyde Park, a Catedral de São Paulo, a Abadia de Westminster, a Trafalgar Square e a Piccadilly Circus. O acompanhamento musical foi tocado ao vivo pela orquestra.

Votação[editar | editar código-fonte]

Mais uma vez os países votaram pela mesma ordem à da sua actuação, algo que foi feito aparentemente para acelarar o espetáculo, pois os países a actuar não podiam (nem podem) atribuir pontos a si mesmo, sendo assim poderiam acabar a sua votação a tempo de serem os primeiros a serem chamados. O sistema de votação foi o mesmo utilizado em edições anteriores, em que cada país tinha um júri composto por dez membros, e cada um desses dez jurados atribuiam um ponto à sua canção preferida.

O supervisor delegado pela UER foi, mais uma vez, Clifford Brown, que teve que intervir, no final da votação.

A votação começou com a França na liderança, antes de ser ultrapassada pelo Reino Unido, sob os aplausos do público. A Espanha gradualmente diminuiu a diferença e ganhou a vitória, depois de um final surpreendente. O penúltimo júri, o júri alemão, concedeu dois votos ao Reino Unido e seis na Espanha. A Espanha então totalizava 29 votos e o Reino Unido 28. Mas o último júri, o júri jugoslavo, não atribuiu nenhum ponto a esses dois países. Houve gritos de surpresa no público. Naquele momento, Clifford Brown pediu a Katie Boyle que se lembrasse do júri jugoslavo que havia concedido uma votação supranumerária. Depois de uma comunicação confusa com Skopje, os resultados foram validados pelo supervisor e Espanha foi proclamada vencedora.

Pela primeira vez desde 1961, nenhum país terminou a votação com "null point".

Participações individuais[editar | editar código-fonte]


Participantes[editar | editar código-fonte]

  Países participantes

O processo de seleção de participantes foi realizado nos meses anteriores ao festival. Dos 17 países participantes, 10 organizaram uma final nacional e 7 elegeram seu representante internamente.

Entre os representantes mais conhecidos estavam Wencke Myhre, cantora norueguesa que tentou representar seu país várias vezes e foi finalmente escolhida para representar a Alemanha Ocidental; Isabelle Aubret, vencedora do Festival Eurovisão da Canção 1962; Sergio Endrigo, vencedor do Festival de Sanremo naquele ano; Karel Gott, cantor checoslovaco que representou a Áustria; e Cliff Richard, o grande favorito para ganhar este festival de acordo com uma grande parte da imprensa europeia e que alcançaria uma importante projeção internacional. Uma ainda não muito conhecida Massiel, embora já tivesse dois sucessos no México e participações em outros festivais europeus, se consolidou na Espanha e na América Latina após sua vitória na Eurovisão.

A canção representante do Mónaco, "À chacun sa chanson", participara na final nacional francesa.

País Título original da Canção Artista Processo Data da Selecção
Tradução em Português Idiomas de Interpretação
Áustria no Festival Eurovisão da Canção Áustria "Tausend fenster" Karel Gott Seleção interna -
Milhares de janelas Alemão
Alemanha no Festival Eurovisão da Canção Alemanha "Ein Hoch der Liebe" Wencke Myhre Deutsche Vorentscheidung 1968 16 de março de de 1968
Um brinde ao amor Alemão
Bélgica no Festival Eurovisão da Canção Bélgica "Quand tu reviendras" Claude Lombard Avant-première Eurovision 1968 13 de fevereiro de 1968
Quando tu voltares Francês
Espanha no Festival Eurovisão da Canção Espanha "La, la, la" Massiel Selecção Interna de 1968 -
La, la, la Castelhano
Finlândia no Festival Eurovisão da Canção Finlândia "Kun kello käy" Kristina Hautala Euroviisut 1968 10 de fevereiro de de 1968
Quando o tempo passa Finlandês
França no Festival Eurovisão da Canção França "La source" Isabelle Aubret Sélection française 1968 -
A fonteí Francês
Irlanda no Festival Eurovisão da Canção Irlanda "Chance of a Lifetime" Pat McGeegan Irish Final 1968 3 de março de 1968
Oportunidade de uma vida Inglês
Itália no Festival Eurovisão da Canção Itália "Marianne" Sergio Endrigo Seleção Interna -
Marianne Italiano
Jugoslávia no Festival Eurovisão da Canção Jugoslávia "Jedan dan" (Један дан) Luči Kapurso & Hamo Hajdarhodžić Pjesma Eurovizije 1968 25 de fevereiro de 1968
Um dia Servo-croata
Luxemburgo no Festival Eurovisão da Canção Luxemburgo "Nous vivrons d'amour" Chris Baldo & Sophie Garel Selecção Interna -
Nós viveremos de amor Francês
Mónaco no Festival Eurovisão da Canção Mónaco "À chacun sa chanson" Line & Willy Selecção Interna -
A cada uma um a sua canção Francês
Noruega no Festival Eurovisão da Canção Noruega "Stress" Odd Børre Melodi Grand-Prix 1968 3 de março de 1968
Stress Norueguês
Países Baixos no Festival Eurovisão da Canção Países Baixos "Morgen" Ronnie Tober Nationaal Songfestival 1968 28 de fevereiro de 1968
Amanhã Holandês
Portugal no Festival Eurovisão da Canção Portugal "Verão" Carlos Mendes Grande Prémio TV da Canção Portuguesa 1968 4 de março de 1968
Verão Português
Reino Unido no Festival Eurovisão da Canção Reino Unido "Congratulations" Cliff Richard A Song For Europe 1968 5 de março de 1968
Parabéns Inglês
Suécia no Festival Eurovisão da Canção Suécia "Det börjar verka kärlek, banne mig" Claes-Göran Hederström Melodifestivalen 1968 9 de março de 1968
Está começando a ver como amor, maldito seja Sueco
Suíça no Festival Eurovisão da Canção Suíça "Guardando il sole" Gianni Mascolo Finale suisse 1968 27 de janeiro de 1968
Olhando o sol Italiano

Festival[editar | editar código-fonte]

# País Idioma Artista Canção Tradução Lugar Pontos
Portugal no Festival Eurovisão da Canção 1968 Portugal Português Carlos Mendes "Verão" Verão 11º 5
Países Baixos no Festival Eurovisão da Canção 1968 Países Baixos Holandês Ronnie Tober "Morgen" Amanhã 16º 1
Bélgica no Festival Eurovisão da Canção 1968 Bélgica Francês Claude Lombard "Quand tu reviendras" Quando tu voltares 8
Áustria no Festival Eurovisão da Canção 1968 Áustria Alemão Karel Gott "Tausend fenster" Milhares de janelas 13º 2
Luxemburgo no Festival Eurovisão da Canção 1968 Luxemburgo Francês Chris Baldo & Sophie Garel "Nous vivrons d'amour" Nós viveremos de amor 11º 5
Suíça no Festival Eurovisão da Canção 1968 Suíça Italiano Gianni Mascolo "Guardando il sole" Olhando o sol 13º 2
Mónaco no Festival Eurovisão da Canção 1968 Mónaco Francês Line & Willy "À chacun sa chanson" A cada uma um a sua canção 8
Suécia no Festival Eurovisão da Canção 1968 Suécia Sueco Claes-Göran Hederström "Det börjar verka kärlek, banne mig" Está começando a ver como amor, maldito seja 15
Finlândia no Festival Eurovisão da Canção 1968 Finlândia Finlandês Kristina Hautala "Kun kello käy" Quando o tempo passa 16º 1
10º França no Festival Eurovisão da Canção 1968 França Francês Isabelle Aubret "La source" A fonte 20
11º Itália no Festival Eurovisão da Canção 1968 Itália Italiano Sergio Endrigo "Marianne" Marianne 10º 7
12º Reino Unido no Festival Eurovisão da Canção 1968 Reino Unido Inglês Cliff Richard "Congratulations" Parabéns 28
13º Noruega no Festival Eurovisão da Canção 1968 Noruega Norueguês Odd Børre "Stress" Stress 13º 2
14º Irlanda no Festival Eurovisão da Canção 1968 Irlanda Inglês Pat McGeegan "Chance of a Lifetime" Oportunidade de uma vida 18
15º Espanha no Festival Eurovisão da Canção 1968 Espanha Castelhano Massiel "La, la, la" Lá, lá, lá 29
16º Alemanha no Festival Eurovisão da Canção 1968 Alemanha Alemão Wencke Myhre "Ein Hoch der Liebe" Um brinde pelo amor 11
17º Jugoslávia no Festival Eurovisão da Canção 1968 Jugoslávia Servo-croata Luči Kapurso & Hamo Hajdarhodžić "Jedan dan" (Један дан) Um dia 8

Resultados[editar | editar código-fonte]

A ordem de votação no Festival Eurovisão da Canção 1968, foi a seguinte:[10]

  Vencedor
  2º classificado
  3º classificado
Países Votantes Países Pontuados
Portugal Países Baixos Bélgica Áustria Luxemburgo Suíça Mónaco Suécia Finlândia França Itália Reino Unido Noruega República da Irlanda Espanha Alemanha Iugoslávia
Portugal no Festival Eurovisão da Canção 1968 Portugal 1 1 1 1 1 4 1
Países Baixos no Festival Eurovisão da Canção 1968 Países Baixos 1 2 1 3 2 1
Bélgica no Festival Eurovisão da Canção 1968 Bélgica 6 2 1 1
Áustria no Festival Eurovisão da Canção 1968 Áustria 1 2 4 2 1
Luxemburgo no Festival Eurovisão da Canção 1968 Luxemburgo 1 3 1 1 1 1 1 1
Suíça no Festival Eurovisão da Canção 1968 Suíça 3 2 4 1
Mónaco no Festival Eurovisão da Canção 1968 Mónaco 1 5 4
Suécia no Festival Eurovisão da Canção 1968 Suécia 1 3 4 2
Finlândia no Festival Eurovisão da Canção 1968 Finlândia 1 3 1 2 3
França no Festival Eurovisão da Canção 1968 França 1 1 4 4
Itália no Festival Eurovisão da Canção 1968 Itália 1 3 2 1 3
Reino Unido no Festival Eurovisão da Canção 1968 Reino Unido 1 1 1 2 5
Noruega no Festival Eurovisão da Canção 1968 Noruega 2 6 1 1
Irlanda no Festival Eurovisão da Canção 1968 Irlanda 1 4 1 1 3
Espanha no Festival Eurovisão da Canção 1968 Espanha 3 1 2 1 2 1
Alemanha no Festival Eurovisão da Canção 1968 Alemanha 2 2 6
Jugoslávia no Festival Eurovisão da Canção 1968 Jugoslávia 2 2 6
Total 5 1 8 2 5 2 8 15 1 20 7 28 2 18 29 11 8
Lugar 11º 16º 13º 11º 13º 16º 10º 13º
Países Votantes Portugal Países Baixos Bélgica Áustria Luxemburgo Suíça Mónaco Suécia Finlândia França Itália Reino Unido Noruega República da Irlanda Espanha Alemanha Iugoslávia
Países Pontuados

Maestros[editar | editar código-fonte]

Em baixo encontra-se a lista de maestros que conduziram a orquestra, na respectiva actuação de cada país concorrente.

País Maestro
Portugal no Festival Eurovisão da Canção 1968 Portugal Joaquim Luís Gomes
Países Baixos no Festival Eurovisão da Canção 1968 Países Baixos Dolf van der Linden
Bélgica no Festival Eurovisão da Canção 1968 Bélgica Henri Segers
Áustria no Festival Eurovisão da Canção 1968 Áustria Robert Opratko
Luxemburgo no Festival Eurovisão da Canção 1968 Luxemburgo André Borly
Suíça no Festival Eurovisão da Canção 1968 Suíça Mario Robbiani
Mónaco no Festival Eurovisão da Canção 1968 Mónaco Michel Colombier
Suécia no Festival Eurovisão da Canção 1968 Suécia Mats Olsson
Finlândia no Festival Eurovisão da Canção 1968 Finlândia Ossi Runne
França no Festival Eurovisão da Canção 1968 França Alain Goraguer
Itália no Festival Eurovisão da Canção 1968 Itália Giancarlo Chiaramello
Reino Unido no Festival Eurovisão da Canção 1968 Reino Unido Norrie Paramor
Noruega no Festival Eurovisão da Canção 1968 Noruega Øivind Bergh
Irlanda no Festival Eurovisão da Canção 1968 Irlanda Noel Kelehan
Espanha no Festival Eurovisão da Canção 1968 Espanha Rafael Ibarbia
Alemanha no Festival Eurovisão da Canção 1968 Alemanha Horst Jankowski
Jugoslávia no Festival Eurovisão da Canção 1968 Jugoslávia Miljenko Prohaska
Maestro anfitrião Norrie Paramor

Artistas repetentes[editar | editar código-fonte]

Em 1967, os repetentes foram:

País (1967) Foto Artista Ano Anterior País Representado Canção Tradução Pontuação Classificação
França no Festival Eurovisão da Canção França Isabelle Aubret sur la tournée Âge Tendre.jpg Isabelle Aubret ESC 1962 França "Un premier amour" Um primeiro amor 26

Transmissão do Festival[editar | editar código-fonte]

Países participantes[editar | editar código-fonte]

País Canal Comentador(es) Porta-voz
Portugal no Festival Eurovisão da Canção Portugal RTP Fialho Gouveia Maria Manuela Furtado
Países Baixos no Festival Eurovisão da Canção Países Baixos Nederland 1[11] Elles Berger Willem Duys
Bélgica no Festival Eurovisão da Canção Bélgica RTB Janine Lambotte André Hagon
BRT Herman Verelst
Áustria no Festival Eurovisão da Canção Áustria ORF Emil Kollpacher TBC
Luxemburgo no Festival Eurovisão da Canção Luxemburgo Télé-Luxembourg Jacques Navadic TBC
Suíça no Festival Eurovisão da Canção Suíça TV DRS Theodor Haller Alexandre Burger
TSR Georges Hardy
TSI Giovanni Bertini
Mónaco no Festival Eurovisão da Canção Mónaco Télé Monte Carlo Pierre Tchernia TBC
Suécia no Festival Eurovisão da Canção Suécia Sveriges Radio-TV Christina Hansegård[12] Edvard Matz[13]
Finlândia no Festival Eurovisão da Canção Finlândia TV-ohjelma 1 Aarno Walli[14] Poppe Berg[15]
França no Festival Eurovisão da Canção França Deuxième Chaîne ORTF Pierre Tchernia[16] TBC
Itália no Festival Eurovisão da Canção Itália Secondo Programma Renato Tagliani Mike Bongiorno
Reino Unido no Festival Eurovisão da Canção Reino Unido BBC1 Sem commentador Michael Aspel
BBC Radio 1 Pete Murray[17]
Noruega no Festival Eurovisão da Canção Noruega NRK[18][19] Roald Øyen Sverre Christophersen[18]
Irlanda no Festival Eurovisão da Canção Irlanda RTÉ Television Brendan O'Reilly Gay Byrne
Radio Éireann Kevin Roche
Espanha no Festival Eurovisão da Canção Espanha TVE1[20] Federico Gallo Joaquín Prat
Alemanha no Festival Eurovisão da Canção Alemanha ARD Deutsches Fernsehen Hans-Joachim Rauschenbach[21] Hans-Otto Grünefeldt
Jugoslávia no Festival Eurovisão da Canção Jugoslávia Televizija Beograd Miloje Orlović Snežana Lipkovska-Hadžinaumova
Televizija Zagreb Mladen Delić
Televizija Ljubljana Tomaž Terček

Países não participantes[editar | editar código-fonte]

País Canal Comentador(es)
Bulgária Bulgária BNT 1 TBC
 Checoslováquia Československá televize TBC
 Alemanha Oriental Deutscher Fernsehfunk TBC
Hungria Hungria MTV TBC
Polónia no Festival Eurovisão da Canção Polónia TVP TBC
Romênia Roménia TVR TBC
 União Soviética CT USSR TBC
Tunísia no Festival Eurovisão da Canção Tunísia ERTT TBC

Referências

  1. a b «Eurovision Song Contest 1968». EBU. Consultado em 29 de novembro de 2015 
  2. Mota, Isabel Teixeira da (7 de março de 2010). «Quando o Mundo chegou com cor a casa». JN.pt. Consultado em 29 de novembro de 2015 
  3. KENNEDY O’CONNOR John, The Eurovision Song Contest. 50 Years. The Official History, Londres, Carlton Books Limited, 2005, p.32.
  4. «Massiel sí, Madelman no: así fue el Mayo del 68 en España» (em Castelhano). Público. 3 de maio de 2008. Consultado em 30 de novembro de 2015 
  5. «TVE 'compró' los votos para que Massiel ganará Eurovisión» (em Castelhano). 20 minutos. 5 de maio de 2008. Consultado em 30 de novembro de 2015 
  6. «Vea el vídeo donde José Maríá Iñigo 'descubre' a Massiel» (em Castelhano). 20 minutos. 5 de maio de 2008. Consultado em 30 de novembro de 2015 
  7. Govan, Fiona (4 de maio de 2008). «How Franco cheated Cliff out of Eurovision title». The Telegraph. Consultado em 26 de abril de 2012 
  8. «Massiel e Iñigo acusan a La Sexta de "urdir todo para favorecer a Chiquilicuatre"» (em Castelhano). El Mundo. 6 maio de 2008. Consultado em 30 de novembro de 2015 
  9. KENNEDY O’CONNOR John, op.cit., p. 33.
  10. A ordem de votação foi efectuada através da visualização de vídeos da edição do festival, à semelhança de outras secções deste artigo
  11. «Nederlandse televisiecommentatoren bij het Eurovisie Songfestival». Eurovision Artists (em Dutch) 
  12. Leif Thorsson. Melodifestivalen genom tiderna ["Melodifestivalen through time"] (2006), p. 74. Stockholm: Premium Publishing AB. ISBN 91-89136-29-2
  13. Infosajten.com Arquivado em 18 de julho de 2012 no Wayback Machine.
  14. The Eurovision Song Contest (1968) - Full cast and crew IMDb
  15. Selostajat ja taustalaulajat läpi vuosien? Predefinição:Fi icon Viisukuppila, 18 April 2005
  16. CONCOURS EUROVISION DE LA CHANSON 1968 (em francês) SongContest
  17. Eurovision Song Contest 1968 Songs4Europe.com
  18. a b Dyrseth, Seppo (OGAE Norway)
  19. NRK.no [ligação inativa]
  20. Uribarri comentarista Eurovision 2010 (em castelhano) FORO FESTIVAL DE EUROVISIÓN
  21. Rau, Oliver (OGAE Germany)

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Os mapas presentes neste artigo, respeitam as fronteiras geográficas estabelecidas na altura em que o festival ocorreu.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Festival Eurovisão da Canção 1968