Festival RTP da Canção 1989

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Festival RTP da Canção 1989
Festival Eurovisão da Canção
Edição
XXV
Datas
Final 7 de março de 1989
Produção
Local Portugal Teatro Garcia de Resende, Évora, Portugal
Transmissão Portugal Televisão: RTP1
Portugal Rádio: Antena 1
Abertura Marie Myriam, José Cid, José Viana, Octávio de Matos, Nicolau Breyner e do Coro dos Mineiros de Aljustrel
Actuações nos intervalos Homenagem a Ary dos Santos por Carlos do Carmo, Simone de Oliveira e Tonicha
Maestro Fernando Correia Martins
Participantes
Número de participantes 5 intérpretes e 5 canções
Votação
Sistema de voto A votação baseou-se num júri por distrito que atribuiu 1 a 6 pontos às suas canções favoritas, por ordem de preferência.
Canção vencedora "Conquistador", Da Vinci
Cronologia
Fleche-defaut-gauche-gris-32.png  [[Festival RTP da Canção ◄1988|◄1988]] EuroPortugal.svg [[Festival RTP da Canção 1990►|1990►]]  Fleche-defaut-droite-gris-32.png

O XXV Festival RTP da Canção 1989 foi o vigésimo-quinto Festival RTP da Canção e teve lugar no dia 7 de Março de 1989 no Teatro Garcia de Resende, em Évora.

Os apresentadores foram António Vitorino de Almeida e Manuela Carlos.

Festival[editar | editar código-fonte]

Em 1989 o Festival da Canção cumpria a sua 25ª edição. A RTP escolheu a cidade de Évora para ser a grande anfitriã desta edição.

O XXV Festival da Canção decorreu a 7 de março no Teatro Garcia de Resende. A apresentação esteve a cargo do do maestro António Vitorino de Almeida e da atriz Manuela Carlos.

A estação pública de televisão convidou algumas editoras discográficas a apresentarem um tema para o Festival da Canção, sendo da responsabilidade das editoras a escolha dos autores, compositores, intérpretes e canções. As seguintes cinco editoras aceitaram este desafio e apresentaram as suas propostas: A MBP apresentou Marina Mota, a SBK concorreu com os Eccos, a Ovação com Lenita Gentil, a Valentim de Carvalho trouxe ao festival José Alberto Reis e a Discossete os Da Vinci.

Esta foi uma emissão algo longa que contou com as presenças de Marie Myriam, José Cid, José Viana, Octávio de Matos, Nicolau Breyner e do Coro dos Mineiros de Aljustrel. Um dos momento altos de toda a emissão foi a homenagem a Ary dos Santos protoganizada por Carlos do Carmo, Simone de Oliveira e Tonicha. Nesta edição do Festival da Canção foi feita uma pequena retrospetiva dos vencedores das edições anteriores. Também foram feitos sketches, assinados por Mário Zambujal e interpretados por José Viana e Octávio Matos.

A orquestra, com 40 elementos, foi dirigida por Fernando Correia Martins. O palco que recebeu os artistas e os músicos era móvel, o que permitia haver mais espaço e criar um fosso entre os artistas e a orquestra. Moniz Ribeiro foi o encenador deste espaço.

Este festival foi ganho pelo tema Conquistador, da autoria de Ricardo Landum (música) e de Pedro Luís (letra), defendido pelos Da Vinci que também alcançaram o Prémio de Interpretação. O Prémio da Melhor Orquestrção foi entregue a Armindo Neves ("Partir de mim") e a Carlos Alberto Moniz ("Palavras cruzadas"). O diretor oficial do Festival foi o maestro José Correia Martins.

Final - 7 de março de 1988
# Artista Canção Letra (l) / Música (m) Pontuação Classificação
Marina Mota "Partir de mim" Luís Filipe (m & l) 87
Eccos "Assim recordo-me de ti" Francisco Teotónio Pereira (m), Jan Van Dijck (l) 59
Lenita Gentil "Canção de roda e fantasia" João Cavadinhas (m), António Prata (l) 31
José Alberto Reis "Palavras cruzadas" Carlos Paião (m & l) 54
Da Vinci "Conquistador" Ricardo Landum (m), Pedro Luís (l) 121

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]