Fibronectina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
editar
Fibronectina 1
Renderização baseada em PDB 1e88.
Estruturas disponíveis
PDB Busca de ortólogos: PDBe, RCSB
Identificadores
Símbolos FN1; CIG; ED-B; FINC; FN; FNZ; GFND; GFND2; LETS; MSF
IDs externos OMIM: 135600 MGI95566 HomoloGene1533 ChEMBL: 3810 GeneCards: FN1 Gene
Padrões de expressão do ARN
PBB GE FN1 210495 x at tn.png
PBB GE FN1 211719 x at tn.png
PBB GE FN1 212464 s at tn.png
Mais dados de expressão
Ortólogos
Espécies Humano Rato
Entrez 2335 14268
Ensembl ENSG00000115414 ENSMUSG00000026193
UniProt P02751 P11276
RefSeq (mRNA) NM_002026.2 NM_010233.1
RefSeq (proteína) NP_002017.1 NP_034363.1
Localização (UCSC) Chr 2:
216.23 – 216.3 Mb
Chr 1:
71.59 – 71.65 Mb
Busca PubMed [1] [2]

A fibronectina é uma família de glicoproteínas de elevado peso molecular, contendo cerca de 5% de carboidratos e que se liga a receptores proteícos da membrana celular chamados integrinas. Liga-se também à matriz extracelular. Pode estabelecer ligações com outras moléculas tais como: colagéneo, fibrina e heparina. É uma proteína adesiva que ajuda as células a aderirem à matriz, encontrada em todos os vertebrados. Existe uma forma solúvel que circula nos fluidos do corpo ativando a coagulação, cicatrização e fagocitose. A fibronectina mostra-se importante no que tange ao desenvolvimento embrionário. Ela é produzida pelos fibroblastos do tecido conjuntivo e apresenta sequencia de aminoácidos RGD (arginina, glicina e aspartato), sendo, portanto, específica para adesão à superfície celular.

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre proteínas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.