Filhos de Ivaldi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"O terceiro presente — um enorme martelo" (1902) por Elmer Boyd Smith.

Na mitologia nórdica, os filhos de Ivaldi são três anões, filhos do anão Ívaldi.[1] Seus nomes são desconhecidos.

Na versão poética da Edda, os filhos de Ivaldi construíram o navio Skithblathnir, que poderia ser dobrado até chegar ao tamanho de um lenço.[2]

Pelo texto Skáldskaparmál, os filhos de Ívaldi fizeram um cabelo mágico para Sif, para substituir o cabelo original que Loki havia cortado, o navio Skídbladnir e Gungnir, a lança de Odin. Em seguida, Loki apostou a própria cabeça com Brokkr, de que o irmão de Brokkr, Sindri (também chamado Eitri), não seria capaz de fazer três outros objetos tão preciosos quanto estes. Loki perdeu a aposta quando Sindri fez Draupnir, o anel de ouro de Odin, o javali de Freyr (Gullinbursti) e o martelo de Thor (Mjölnir). Loki, apesar de perder a aposta, não perdeu a cabeça, alegando que poderiam ferir sua garganta no corte, sendo que foi combinado de levarem somente sua cabeça.[3]

Referências

  1. Arthur Gilchrist Brodeur, tradutor de The Prose Edda para o inglês (1916), Índice [em linha]
  2. The Poetic Edda, tradução de Henry Adams Bellows (1936), Grimnismol: a balada de Grimnir [em linha]
  3. The Prose Edda, tradução de Arthur Gilchrist Brodeur (1916), Skáldskaparmal: A poesia dos Skalds [em linha]
Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia nórdica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.