Filipe, o Evangelista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


São Filipe, o Evangelista[1][2]
Rembrandt, O Batismo do Eunuco, 1626, Museum Catharijneconvent, Utrecht.
Evangelista ou diácono
Nascimento c. Desconhecido (século I) em Cesareia, Palestina
Morte 11 de outubro (século I) em Éfeso
Veneração por Igreja Ortodoxa Copta
Igreja Apostólica Armênia
Igreja Ortodoxa Etíope
Igreja Ortodoxa Siríaca Ortodoxia Oriental,
Luteranismo
Festa litúrgica 11 de outubro
Gloriole.svg Portal dos Santos

Filipe, o Evangelista (em grego clássico: Φίλιππος; transl.: Philippos), foi um missionário cristão do século I e um dos Setenta Discípulos. Ele é citado diversas vezes no Atos dos Apóstolos, mas não deve ser confundido com Filipe (apóstolo).

Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” (veja Sete Diáconos), escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).

Quando a perseguição espalhou a maioria dos cristãos, Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres, e com muita alegria muitos aceitaram a mensagem e foram batizados, inclusive Simão, que praticava artes mágicas. (Atos 8:4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia.

Por todas estas obras ele realizou a obra dum “evangelizador” em Atos 21:8. Anos mais tarde, viveu em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56 d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.

A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. see further George Salmon, Introduction to the New Testament, 7th ed., p. 313 sqq.
  2. Este artigo incorpora texto da Encyclopædia Britannica (11ª edição), publicação em domínio público.