Filipe Duarte Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Filipe Duarte Santos
Nome completo Filipe Duarte Branco da Silva Santos
Nascimento 15 de março de 1942 (80 anos)
Lisboa
Residência Lisboa
Nacionalidade Portuguesa
Ocupação Docente e Investigador

Filipe Duarte Santos (Lisboa, 15 de março de 1942) é um geofísico e professor universitário português, conhecido pelo o seu trabalho de investigação na área das ciências do ambiente e em particular sobre as alterações climáticas. Em 2005, foi condecorado com o grau de Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada pelo Estado Português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

É licenciado em Geofísica pela Universidade de Lisboa, doutorado em Física Nuclear com agregação em Física Teórica pela Universidade de Londres e desde 1979 é docente de Física na Universidade de Lisboa, regendo disciplinas nas áreas da Física, Ambiente e Alterações Climáticas, além de professor convidado em várias Universidades prestigiadas dos Estados Unidos e Europa.[1][2][3]

Foi vice-presidente do Instituto de Meteorologia de Portugal entre 1987 e 1988, tendo posteriormente coordenado a redação do primeiro e único Livro Branco sobre o Estado do Ambiente em Portugal, publicado em 1991 pelo Ministério do Ambiente.[4]

É sócio fundador da Sociedade Portuguesa de Física, da European Physical Society e da American Physical Society desde 1980.

Membro do EASAC – European Academies Science Advisory Council, em representação da Academia das Ciências de Lisboa da qual é membro efetivo desde 1999.

Foi diretor do Centro de Física Nuclear da Universidade de Lisboa.

É diretor e docente do Programa de Doutoramento em Alterações Climáticas e Políticas de Desenvolvimento Sustentável desde 2009.

Foi eleito Vice-Presidente (2008-2010) da “United Nations Commission on the Peaceful Uses of Outer Space”

Review Editor do 5º Relatório do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC) em 2014.

Em 2017, foi nomeado presidente do Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável (CNADS) pelo Primeiro Ministro de Portugal, António Luís Santos da Costa.

Ao longo dos anos tem coordenado diversos projetos nacionais e internacionais nas áreas do ambiente e alterações globais, dos quais se destacam a sua ação como investigador coordenador do Projeto SIAM – Climate Change in Portugal. Scenarios, Impacts and Adaptation Measures, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FC-UL) (1999-2002) e do Climate Change Impacts, Adaptation and Modelling - CCIAM.

Prémios e Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

A 21 de novembro de 2005, foi agraciado com o grau de Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.[5]

Foi galardoado em 2008 com Prémio Universidade de Lisboa.[6][7]

Em 2015, a Quercus distinguiu-o com o Prémio Quercus pelo o seu trabalho de investigação na àrea das Ciências do Ambiente. [8]

Obra Seleccionadas[editar | editar código-fonte]

Entre as suas obras encontram-se: [9][10]

Referências

  1. «Filipe Duarte Santos - WOOK». wook.pt. Consultado em 24 de maio de 2012 
  2. «Filipe Duarte Santos». itn.pt. Consultado em 24 de maio de 2012 
  3. «Filipe Duarte Santos - FCUL - MIT Portugal Program». MIT Portugal. Consultado em 24 de maio de 2012 
  4. «Frequência de tornados pode aumentar - JN». jn.pt. Consultado em 24 de maio de 2012 
  5. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Filipe Duarte Santos". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 17 de julho de 2019 
  6. «Filipe Duarte Santos recebe Prémio Universidade de Lisboa 2008». Jornal Público. Consultado em 24 de maio de 2012 
  7. «Prémio Universidade de Lisboa» 
  8. «Prémios Quercus – Quercus». Consultado em 1 de novembro de 2021 
  9. «Filipe Duarte Santos | Wook». www.wook.pt. Consultado em 4 de novembro de 2021 
  10. «Biblioteca Nacional de Portugal: Obras de Filipe Duarte Santos». catalogo.bnportugal.gov.pt. Consultado em 4 de novembro de 2021