Filipe Ferrer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Filipe Ferrer
Nome completo Luís Filipe Martins Lopes do Rosário
Nascimento 25 de agosto de 1936
Faro
Nacionalidade Portugal portuguesa
Morte 26 de junho de 2007 (70 anos)
Lisboa
Ocupação actor e encenador

Luís Filipe Martins Lopes do Rosário[1] (Faro, 25 de Agosto de 1936 - Lisboa, Nossa Senhora de Fátima, 26 de Junho de 2007), conhecido pelo pseudônimo Filipe Ferrer, foi um actor e encenador português[2].

Filipe Ferrer nasceu em Faro, onde o pai, foi durante muitos anos, gerente do Banco Nacional Ultramarino daquela cidade. Estudou no liceu da capital algarvia e, no Colégio de Santo Tirso, onde iniciou a sua carreira artística aos 13 anos, tendo aí estudado declamação e teatro, e mais tarde viajou para o Brasil, Paris e Londres.

De regresso a Portugal, a partir da década de 1980, participou em mais de 60 filmes para cinema, nomeadamente "Camarate" e "A Bomba" (ambos de 2001), entrou em 15 telenovelas e séries de televisão, como por exemplo "Casino Royal", "Médico de Família", "Repórter X" (1987), "Querido Lilás" (1987) ou "Bocage" (2006)[3].

Realizou filmes publicitários e reportagens para a RTP, fez pelo menos 14 peças de teatro para palco e para televisão, como por exemplo "As Pestanas de Greta Garbo", um "one-man-show" original do artista "sobre a história secreta de alguns rapazes e raparigas" da sua geração, "nascidos em Portugal, em meados dos anos 30".

Foi director de vários grupos amadores de teatro e trabalhou como actor em companhias tão distintas como a Companhia Nacional de Teatro, Teatro do Nosso Tempo ou Casa da Comédia.

Faleceu no Hospital Curry Cabral, aos 70 anos de idade, vítima de doença prolongada, numa altura em que planeava regressar em definitivo à sua terra-natal.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências