Filipe V de Espanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Filipe V
Rei da Espanha
1º Reinado 1 de novembro de 1700
a 15 de janeiro de 1724
Antecessor(a) Carlos II
Sucessor(a) Luís I
2º Reinado 9 de setembro de 1724
a 9 de julho de 1746
Predecessor Luís I
Sucessor Fernando VI
 
Esposas Maria Luísa de Saboia
Isabel Farnésio
Descendência Luís I de Espanha
Fernando VI de Espanha
Carlos III de Espanha
Mariana Vitória da Espanha
Filipe, Duque de Parma
Maria Teresa Rafaela de Espanha
Luís, Conde de Chinchón
Maria Antonieta da Espanha
Casa Bourbon
Nascimento 19 de dezembro de 1683
  Palácio de Versalhes, Versalhes, França
Morte 9 de julho de 1746 (62 anos)
  San Lorenzo de El Escorial,
El Escorial, Espanha
Enterro Palacio Real de La Granja de San Ildefonso, San Ildefonso, Espanha
Pai Luís, Delfim da França
Mãe Maria Ana Vitória da Baviera
Assinatura Assinatura de Filipe V

Filipe V (Versalhes, 19 de dezembro de 1683El Escorial, 9 de julho de 1746) foi o Rei da Espanha em duas ocasiões diferentes, primeiro de 1700 até sua abdicação em janeiro de 1724 em favor de seu filho Luís I, e depois ao assumir o trono novamente em setembro de 1724 até sua morte. Era filho de Luís, Delfim da França e sua esposa Maria Ana Vitória da Baviera.

Filipe era o neto do rei Luís XIV de França. Seu pai tinha a reivindicação mais forte ao trono espanhol quando este ficou vago em 1700 com a morte do rei Carlos II. Entretanto, como ele e seu irmão Luís, Duque da Borgonha, não podiam perder seu lugar na sucessão francesa, Filipe foi nomeado sucessor de Carlos. Como a união da França e da Espanha sob um único monarca poderia desequilibrar o poder na Europa, as outras potências tomaram passos para impedir isso. Sua ascensão ao trono espanhol causou a Guerra da Sucessão Espanhola durante catorze anos, terminando apenas com o Tratado de Utrecht que proíbia que os dois reinos fossem unidos.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Filipe nasceu no Palácio de Versalhes na França, ele era o segundo filho de Luís, Grande Delfim, o herdeiro aparente ao trono da França, e de sua esposa Maria Ana Vitória de Baviera. Era era o irmão mais novo de Luís, Duque da Borgonha, pai de Luís XV de França. Ao nascer, Filipe recebeu o título de Duque de Anjou, um título tradicional para filhos mais novos na família real francesa. Ele seria conhecido por esse título até se tornar rei da Espanha. Desde que o irmão mais velho de Filipe, o duque de Borgonha, era o segundo na linha ao trono francês atrás somente de seu pai, havia pouca expectativa que ele ou seu irmão mais novo Carlos, Duque de Berry, viessem governar a França.

Herdeiro do trono espanhol[editar | editar código-fonte]

Proclamação de Filipe V como Rei de Espanha no Palácio de Versalhes em 16 de novembro de 1700.

Em 1700 o rei Carlos II de Espanha morreu sem deixar filhos. Filipe foi nomeado seu herdeiro, pelo fato de ser neto da meia-irmã de Carlos, Maria Teresa, a primeira esposa de Luís XIV de França. Em caso de qualquer eventual recusa de Filipe a coroa espanhola, o trono seria oferecido ao irmão mais novo de Filipe, o Duque de Berry, ou então ao arquiduque Carlos da Áustria, mais tarde imperador do Sacro Império Romano-Germânico com o nome Carlos VI. Filipe teve a melhor reivindicação genealógica ao trono espanhol, porque sua avó espanhola e bisavó eram mais velhas do que os antepassados ​​do arquiduque Carlos da Áustria. No entanto, o ramo austríaco alegou que a avó de Filipe havia renunciado ao trono espanhol para si e seus descendentes como parte de seu contrato de casamento. Isto foi contrariado pela alegação da filial francesa que era na base de um dote que nunca tinha sido pago.

Após uma reunião do Conselho Real, Carlos II de Espanha decidiu nomear Filipe rei da Espanha, o embaixador espanhol foi chamado e apresentado ao seu novo rei. O embaixador, junto com seu filho, ajoelhou-se diante Filipe e fez um longo discurso em espanhol que Filipe não compreendeu.

Primeiro casamento[editar | editar código-fonte]

Em 2 de novembro de 1701 com treze anos de idade, Felipe casou-se com Maria Luísa de Saboia, filha de Vítor Amadeu II da Sardenha. O casamento por procuração aconteceu em Turim, a capital do Ducado de Saboia, a cerimônia religiosa aconteceu na capela real do em Palácio de Versalhes no 11 de setembro.

Como rainha de Espanha, Maria Luisa mostrou-se muito popular com seus súditos. Serviu como regente para seu marido em diversas ocasiões. Em 1714, morreu na aos 26 anos de idade devido a uma tuberculose, a morte da esposa foi um golpe devastador para Filipe.

Guerra de Sucessão Espanhola[editar | editar código-fonte]

Filipe na Batalha de Villaviciosa

As demais potências europeias receavam a união de dois Estados tão poderosos, tanto quanto a França temia uma reunião da Espanha e da Áustria de novo sobre a cabeça de um Habsburgo. Daí ter-se gerado um conflito, motivado pela sucessão de Carlos II de Espanha, que morrera sem filhos, mas designara como sucessor o neto de Luís XIV, Filipe de Anjou, que era neto de sua meio-irmã mais velha. O imperador Leopoldo I da Áustria, parente próximo do rei defunto, julgando-se com direitos ao trono de Espanha, iniciou as hostilidades, e assim teve início a Guerra de Sucessão da Espanha.

Embora tivesse saído vencedor e permanecido como rei de Espanha, teve que ceder à Grã-Bretanha a ilha de Menorca, nas Baleares, assim como o rochedo de Gibraltar, e aos Habsburgos da Áustria os Países Baixos espanhóis. A perda dos territórios mencionados marcou o início do declínio espanhol na Europa, por oposição ao da França, agora senhora praticamente incontestada no Continente Europeu, e da Grã-Bretanha, que dominava as rotas do comércio mundial.

Segundo casamento[editar | editar código-fonte]

Pouco depois da morte da rainha Maria Luisa em 1714, o rei decidiu se casar novamente. Sua segunda esposa era Isabel Farnésio, filha de Eduardo, Príncipe herdeiro de Parma e Doroteia Sofia de Neuburgo. Aos vinte e um anos, em 24 de dezembro de 1714, casou-se por procuração em Parma. O casamento foi celebrado pelo Cardeal Giulio Alberoni.

Abdicação[editar | editar código-fonte]

Em 14 de Janeiro de 1724, Filipe abdicou do trono a favor do seu filho mais velho, Luís, mas voltaria a assumir a coroa de Espanha sete meses mais tarde, quando o seu filho faleceu, vítima de varíola.

Último reinado[editar | editar código-fonte]

Filipe V de Espanha

Por Louis-Michel van Loo, 1739

Filipe ajudou os seus familiares em França a conseguir significativos ganhos territoriais durante as guerras de sucessão na PolóniaÁustria.

Embora o seu governo tenha contribuído para uma melhoria significativa do Estado da Espanha, que ficara muito enfraquecida durante o ocaso da dinastia de Habsburgo, para o fim da vida, Filipe viu-se afligido por uma depressão, caindo como outros antecessores do trono espanhol, num estado de grande melancolia. Sua segunda esposa, Isabel Farnésio, dominava o monarca.

Por sua morte, viria a ser sucedido por Fernando VI, seu filho segundo da sua primeira esposa, Maria Luísa de Saboia; quando este também morreu sem descendentes, foi sucedido pelo filho que teve do segundo casamento, Carlos III.

Morte[editar | editar código-fonte]

Filipe foi afligido por ataques de depressão maníaca e cada vez mais vítima de uma profunda melancolia. Sua segunda esposa, Isabel Farnésio, dominou completamente seu marido passivo. Ela deu-lhe outros filhos, incluindo outro sucessor, Carlos III de Espanha. A partir de agosto de 1737, sua aflição foi aliviada pelo cantor de castrados Farinelli, que se tornou o "Musico de Camara de Suas Majestades". Farinelli cantava oito ou nove árias para o rei e a rainha todas as noites, geralmente com um trio de músicos.

Filipe morreu em 9 de julho de 1746 em El Escorial, em Madrid, mas foi enterrado em seu Palácio Real favoritoo Palacio Real de La Granja de San Ildefonso, perto de Segóvia.

Por sua morte, viria a ser sucedido por Fernando VI, seu filho segundo da sua primeira esposa, Maria Luísa de Saboia; quando este também morreu sem descendentes, foi sucedido pelo filho que teve do segundo casamento, Carlos III.

Descendência[editar | editar código-fonte]

A Família de Felipe V, por Louis-Michel van Loo em 1743 no Museu do Prado. Esquerda para direita: as infantas Mariana Vitória e Maria Bárbara, o infante Fernando junto ao rei Filipe V e o infante Luís junto a rainha Isabel Farnésio, o infante Filipe e sua esposa Luísa Isabel de França, as infantas Maria Teresa Rafaela e Maria Antonieta, os reis de Nápoles e Sicília, Maria Amália e Carlos VII & V.
Imagem Nome Nascimento Morte Notas
Luis I, rey de España.jpg Luís I de Espanha 25 de Agosto de 1707 31 de Agosto de 1724 Casou-se com Luísa Isabel de Orleães, sem descendência.
Ferdinand VI of Spain.jpg Fernando VI de Espanha 23 de Setembro de 1713 10 de Agosto de 1759 Casou-se com Maria Bárbara de Portugal, sem descendência.
Charles III of Spain high resolution.jpg Carlos III de Espanha 20 de janeiro de 1716 14 de dezembro de 1788 Casou-se com Maria Amália da Saxônia, com descendência.
María Ana Victoria de Borbón.jpg Mariana Vitória de Espanha 31 de março de 1718 15 de janeiro de 1781 Casou-se com José I de Portugal, com descendência.
Felipe de Parma.jpg Filipe I de Parma 15 de março de 1720 8 de junho de 1765 Casou-se com Luísa Isabel de França, com descendência.
The Infanta María Teresa Rafaela of Spain, future Dauphine of France by Louis Michel Van Loo.jpg Maria Teresa Rafaela de Espanha 11 de junho de 1726 22 de julho de 1746 Casou-se com Luís, Delfim da França, sem descendência.
Don Luis de Borbón, Infante of Spain (1727-1785) by Anton Raphael Mengs.jpg Luís, Conde de Chinchón 25 de julho de 1727 7 de agosto de 1785 Casou-se com Maria Teresa de Vallabriga, com descendência.
Maria Antonia Ferdinanda of Spain.png Maria Antonieta de Espanha 17 de novembro de 1729 19 de Setembro de 1785 Casou-se com Vítor Amadeu III da Sardenha, com descendência.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Filipe V de Espanha


Filipe V de Espanha
Casa de Bourbon
Ramo da Casa de Capeto
19 de dezembro de 1683 – 9 de julho de 1746
Precedido por
Carlos II
Full Ornamented Royal Coat of Arms of Spain (1700-1761).svg
Rei da Espanha
1 de novembro de 1700 – 15 de janeiro de 1724
Sucedido por
Luís I
Coat of Arms of Philip V of Spain as Monarch of Naples.svg
Rei de Nápoles e Sardenha
1 de novembro de 1700 – 7 de março de 1714
Sucedido por
Carlos VI
Coat of Arms of Philip IV of Sicily.svg
Rei da Sicília
1 de novembro de 1700 – 7 de março de 1714
Sucedido por
Vítor Amadeu II
Precedido por
Luís I
Full Ornamented Royal Coat of Arms of Spain (1700-1761).svg
Rei da Espanha
6 de setembro de 1724 – 9 de julho de 1746
Sucedido por
Fernando VI
Precedido por
Luís Francisco
Coat of Arms of the Spanish House of Bourbon Dukedoms.svg
Duque de Anjou
19 de dezembro de 1683 – 1 de novembro de 1700
Sucedido por
Luís XV