Filipe Zau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Filipe Zau
Nascimento 2 de novembro de 1950 (69 anos)
Lisboa
Nacionalidade angolano(a)
Ocupação Historiador, Investigador, Professor, Escritor, Letrista e Músico.

Filipe Zau (Lisboa, 2 de novembro de 1950) é um investigador em ciências da educação, professor, autor e compositor angolano[1].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Lisboa pois seu pai era marítimo, nascido em Cabinda, e a sua mãe era cabo-verdiana[1].

Foi músico tocando com grupos como o Duo Ouro Negro. Foi requisitado para a banda "Alerta Está", que dava concertos pelos quartéis. Um dos seus colegas foi o baterista Guilherme Inês (Zoo, José Cid).

Desembarcou em Luanda no dia 1 de abril de 1975. Contacta com músicos portugueses como Fausto, Zeca Afonso e a sua mulher Zélia, Vitorino Salomé ou Sérgio Godinho[1].

Em 1990 vai exercer as funções de adido cultural da Embaixada de Angola, em Lisboa[1].

Em 1996 é gravada a opereta intitulada "O Canto da Sereia: o Encanto" em homenagem ao seu pai e em que foi co-autor com Filipe Mukenga. Nesse ano lança o disco "Luanda Lua e Mulher"[1].

A cantora Celina Pereira grava "Raiva di vulcão" (letra de Filipe Zau e música de Filipe Mukenga) no seu disco "Harpejos e gorgeios" de 1998.

Grava com Celina Pereira o tema "Na breu di nha note" do disco "Estória, estória…: do tambor a Blimundo".

Filipe Zau e Filipe Mukenga receberam o prémio Common Ground Music Award 2008, atribuído pela associação Search for Common Ground, em maio de 2008, durante a sessão de apresentação do CD "Angola solta a tua voz", onde os dois músicos também colaboraram[2]. Ambos colaboraram ainda com a Associação Unidos do Caxinde em "Os Nossos Reis", música do Carnaval de Luanda 2008.

O hino do CAN 2010 "Angola, país de futuro" é da autoria da dupla Filipe Mukenga/Filipe Zau, acompanhados pela banda Maravilha[1].

Obra editada[editar | editar código-fonte]

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Encanto de um Mar que eu Canto (poesia, Universitária, 1996)
  • Meu canto à razão e à quimera das circunstâncias (poesia, Universitária, 2005)
  • Marítimos africanos e um clube com história (2007)
  • Notas fora da pauta (prosa, Chá de Caxinde/Prefácio, 2007)
  • Angola – Trilhos para o Desenvolvimento (tese; Universidade Aberta)
  • Educação em Angola. Novos Trilhos de Desenvolvimento (tese, Movilivros, 2009)

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Congresso/Tania (Single, CDA, 197)
  • Luanda Lua e Mulher (CD, Strauss, 1996)

Referências

  1. a b c d e f João Armando. «Filipe Zau: Historiador, Investigador, Professor, Autor de Letras e Músico». Vida: online. Consultado em 29 de maio de 2010 [ligação inativa]
  2. «Prémio internacional para Zau e Mukenga». Folha de angola. Consultado em 29 de maio de 2010 [ligação inativa]