Filipe van Artevelde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Filipe van Artevelde
Nascimento 18 de julho de 1340
Ghent
Morte 27 de novembro de 1382 (42 anos)
Westrozebeke, Flandres Ocidental
Nacionalidade Generieke vlag van Vlaanderen.svg Condado da Flandres
Ocupação ativista político

Filipe van Artevelde Loudspeaker.svg? ouça (Ghent, 18 de julho de 1340 – Westrozebeke, 27 de novembro de 1382) foi um ativista político flamengo, capitão de Ghent em 1381-1382 e governador de Flandres em 1382.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filipe era o filho mais novo de Jacob van Artevelde, e afilhado da rainha Filipa da Inglaterra, que o segurou nos braços em seu batismo. Viveu no anonimato até 1381, quando os habitantes de Ghent, nesse ano, se revoltaram contra a opressão de Luís II, Conde de Flandres, Filipe, agora com quarenta anos de idade, e sem qualquer experiência militar ou política, foi nomeado comandante supremo dos revoltosos.[1] Seu nome despertou entusiasmo geral.[2] No início os seus esforços foram acompanhados de sucesso considerável. Derrotou Luís II de Flandres em Bruges. Entrou naquela cidade em triunfo, e logo foi admirado por todos os flamengos.[3]

Porém, a França assumiu a causa do Conde de Flandres, e um exército francês atravessou a fronteira comandado pelo jovem rei Carlos VI em pessoa. Artevelde avançou para enfrentar o inimigo à frente de um exército burguês de cerca de cinquenta mil flamengos. Em 27 de novembro de 1382 os exércitos se encontraram em Roosebeke, perto de Courtrai, e os flamengos foram derrotados após sofrerem muitas baixas, o próprio Filipe estava entre os mortos. Seu corpo foi exibido diante do rei francês Carlos VI e depois pendurado em uma árvore.[4] Após sua morte, o comando de Ghent foi retomado por Frans Ackerman.

Sua vida foi comemorada em uma peça trágica para o teatro, Philip van Artevelde, escrita pelo dramaturgo inglês Sir Henry Taylor em 1834.[5]

Notas

  1. Artevelde, Philippe van em John A. Wagner, Encyclopedia of the Hundred Years War, Greenwood Publishing Group, 2006, 374 páginas, p. 32-33.
  2. Trecho da Chronicle de Froissart.
  3. Encyclopædia Britannica (1911) entrada para Philip Van Artevelde.
  4. Jean Froissart, Chroniques, Livro II.
  5. Trechos de "Philip Van Artevelde" de Sir Henry Taylor.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]