Filisteia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Filisteia

Filístia (Pentápole)

Blank.png
1 175 a.C.722 a.C. 
Blank.png
Philistines pentapolis.jpg
Cidades filisteias de Gaza, Asdode, Ascalão, Ecrom e Gate, conforme descrito na Bíblia
Continente Ásia
Atualmente parte de  Egito
 Israel
Faixa de Gaza

Língua oficial Língua filisteia
Língua cananita
Língua hebraica
Religião Religião cananeia

Forma de governo Federação

Período histórico Idade do Ferro
• 1 175 a.C.  Colapso da Idade do Bronze
• 722 a.C.  Conquista Assíria do Levante

Filístia ou Filisteia (em hebraico: פלשת; transl. Pleshet) refere-se à terra dos Cinco Senhores dos Filisteus, descrita em Josué 13:3 e 1 Samuel 6:17, compreendendo Ascalão, Asdode, Ecrom, Gate e Gaza no sudoeste do Levante.[1]

Os Cinco Senhores dos Filisteus são descritos na Bíblia Hebraica como estando em constante luta e interação com os vizinhos Israelitas, Canaanitas e Egípcios, sendo gradualmente absorvidos pela cultura Cananéia.[2] Eles governaram grandes partes do sul de Canaã no auge de sua expansão, mas acabaram sendo conquistados e subjugados pelos vizinhos Israelitas.[3]

Os Filisteus não foram mencionados após a conquista do Levante pelo Império Neoassírio (911–605 a.C.).

Leste de Gaza[editar | editar código-fonte]

Filisteia (em vermelho) e Estados vizinhos ca. 830 a.C.

A área a leste de Gaza, particularmente ao redor de Nahal Besor, que chega às colinas até Bersebá, tinha uma presença filistéia muito substancial. Esta área é uma parte do deserto de Neguev. Também inclui Nahal Gerar ao norte que se une a Nahal Besor antes de desembocar no Mar Mediterrâneo.[4]

Esta era uma área densamente povoada durante o início da Idade do Ferro. Inclui sítios arqueológicos como Tell Beit Mirsim, Tel Haror, Tel Sera (Ziclague) ao longo de Nahal Gerar, e Tel Gamma e Tell el-Farah (Sul) ao longo de Nahal Besor.[5] Todos esses locais e outros na área tinham assentamentos filistinos.[6]

No que diz respeito à política Neoassíria, quando invadiram a área pela primeira vez, deram autonomia considerável às cidades dos Filisteus em troca de tributo. Mas mais tarde, ao responder a várias revoltas, a sua política endureceu.[7]

Reis[editar | editar código-fonte]

Aquis o rei de Gate

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Nota - "Senhores" é uma tradução de seren ou ceren (סַרְנֵ֣י) em Hebraico, ou sátrapa (σατραπείαις) do Grego do Septuaginta
  2. Library, National Public. "Philistia | National Public Library - eBooks | Read eBooks online". nationalpubliclibrary.info. Retrieved 2016-11-01.
  3. Library, National Public. "Philistia | National Public Library - eBooks | Read eBooks online". nationalpubliclibrary.info. Retrieved 2016-11-01.
  4. David Ben-Shlomo, Tell Jemmeh, Philistia and the Neo-Assyrian Empire during the Late Iron Age. Levant 2014; 46(1), 58-88 doi:10.1179/0075891413Z.00000000031
  5. Gunnar Lehmann, Steven A. Rosen, Angelika Berlejung, Bat-Ami Neumeier and Hermann M. Niemann, Excavations at Qubur al-Walaydah, 2007–2009 academia.edu
  6. «Tell el-Far'ah, South -- Israel Excavation Project Website». Farahsouth.cgu.edu. Consultado em 4 de Julho de 2018 
  7. David Ben-Shlomo, Tell Jemmeh, Philistia and the Neo-Assyrian Empire during the Late Iron Age. Levant 2014; 46(1), 58-88 doi:10.1179/0075891413Z.00000000031

Links externos[editar | editar código-fonte]