Final da Copa Libertadores da América de 2022

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Final da Copa Libertadores da América de 2022
Data 29 de outubro[1][2]
Local Estádio Monumental, Guayaquil
Melhor em campo Gabriel (Flamengo)
Árbitro ArgentinaARG Patricio Loustau (FIFA)

A final da Copa Libertadores da América de 2022 foi a última partida que decidiu o vencedor da competição. Esta foi a 63ª edição da Copa Libertadores da América, torneio continental sul-americano de futebol de clubes organizado pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL).

A partida foi disputada no Estádio Monumental em Guayaquil, Equador,[3][4][5] entre Flamengo e Athletico Paranaense, sendo a terceira vez consecutiva que a final se dará entre equipes brasileiras e quinta vez no geral.[6]

O campeão foi o Flamengo, que venceu o Athletico pelo placar de 1–0,[7] com o gol sendo marcado por Gabriel, que também foi eleito o melhor jogador em campo na partida.[8]

Por conta da Copa do Mundo FIFA de 2022, que será realizada em novembro, a final foi antecipada para o final de outubro do mesmo ano.[1][2] O vencedor — o Flamengo — se classificou diretamente para a Copa do Mundo de Clubes da FIFA de 2022 e ganhou o direito de jogar contra o clube vencedor da Copa Sul-Americana de 2022 na Recopa Sul-Americana de 2023. Também se classificou automaticamente para a fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2023.

Sede[editar | editar código-fonte]

Locais de licitação para a final da Copa Libertadores da América de 2022[9][10]
País Estádio Cidade Capacidade
 Argentina Estádio Presidente Perón Avellaneda 61 000
Estádio Monumental de Núñez Buenos Aires 70 074
La Bombonera 54 000
Estádio Libertadores de América 48 069
Estádio Mario Alberto Kempes Córdova 57 000
 Brasil Arena da Baixada Curitiba 42 372
Estádio Beira-Rio Porto Alegre 50 128
Estádio do Maracanã Rio de Janeiro 78 838
Estádio do Morumbi São Paulo 67 052
Neo Química Arena 49 205
 Chile Estádio Nacional de Chile Santiago 58 665
Equador Estádio Monumental Guayaquil 59 283
 Peru Estádio Monumental Lima 80 093
Estádio Nacional do Peru 50 000
Uruguai Estádio Centenario Montevidéu 60 235

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Foi a primeira vez que Flamengo e Athletico Paranaense se enfrentam em uma final de Libertadores, mas eles já foram finalistas do torneio em outras ocasiões. O Flamengo chegou a final em 1981, 2019 e 2021, conquistando o título nas duas primeiras e perdendo a final da edição anterior.[11] Já o Athletico chegou novamente a uma final após 17 anos, quando perdeu para outra equipe brasileira, o São Paulo.[12]

Equipe Aparições em finais anteriores (negrito indica título)
Brasil Flamengo 3 (1981, 2019, 2021)
Brasil Athletico Paranaense 1 (2005)

Caminhos até à final[editar | editar código-fonte]

Brasil Flamengo Fase Brasil Athletico Paranaense
Oponente Resultados Grupos Oponente Resultados
Peru Sporting Cristal 2–0 (F) 2–1 (C) Venezuela Caracas 0–0 (F) 5–1 (C)
Argentina Talleres 3–1 (C) 2–2 (F) Bolívia The Strongest 1–0 (C) 0–5 (F)
Chile Universidad Católica 3–2 (F) 3–0 (C) Paraguai Libertad 0–1 (F) 2–0 (C)
Grupo H
Pos. Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Brasil Flamengo 16 6 5 1 0 15 6 +9
2 Argentina Talleres 11 6 3 2 1 6 5 +1
3 Chile Universidad Católica 4 6 1 1 4 5 10 –5
4 Peru Sporting Cristal 2 6 0 2 4 3 8 –5
Grupo B
Pos. Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Paraguai Libertad 10 6 3 1 2 8 6 +2
2 Brasil Athletico Paranaense 10 6 3 1 2 8 7 +1
3 Bolívia The Strongest 6 6 1 3 2 8 7 +1
4 Venezuela Caracas 6 6 1 3 2 4 8 –4
Oponente Resultados Fase final Oponente Resultados
Colômbia Tolima 1–0 (F) 7–1 (C) Oitavas Paraguai Libertad 2–1 (C) 1–1 (F)
Brasil Corinthians 2–0 (F) 1–0 (C) Quartas Argentina Estudiantes 0–0 (C) 1–0 (F)
Argentina Vélez Sarsfield 4–0 (F) 2–1 (C) Semifinal Brasil Palmeiras 1–0 (C) 2–2 (F)

Legenda: (C) casa; (F) fora

Flamengo[editar | editar código-fonte]

O Flamengo se classificou diretamente para a fase de grupos da competição por ter sido vice-campeão do Campeonato Brasileiro de 2021. Sorteado como cabeça-de-chave do grupo H, com Talleres, da Argentina, Universidad Católica, do Chile, e Sporting Cristal, do Peru, se classificou em primeiro lugar do grupo, com 16 pontos (cinco vitórias e um empate, marcando 15 gols, sofrendo seis e com saldo positivo de nove gols), sendo o terceiro colocado entre todos os classificados.

No sorteio das oitavas de final, enfrentou o Tolima, da Colômbia. Na partida de ida, em Ibagué, vitória por 1–0. Já no Maracanã, na partida de volta, uma goleada por 7–1, com quatro gols do atacante Pedro.

Nas quartas de final, um confronto entre as maiores torcidas do Brasil: Corinthians. Na partida de ida, em São Paulo, vitória por 2–0. No retorno, no Rio de Janeiro, nova vitória, por 1–0. Classificação para as semifinais.

Nas semifinais, o adversário foi o Vélez Sarsfield, da Argentina. Vitória expressiva na partida, em Buenos Aires, por 4–0. E nova vitória, no Rio de Janeiro, de virada, por 2–1 e a classificação para a segunda final consecutiva e a quarta na história do clube na competição.

O Flamengo chegou a final de forma invicta, com um dos melhores aproveitamentos da história da Libertadores e o melhor aproveitamento no formato atual.[13]

Athletico Paranaense[editar | editar código-fonte]

Por ter sido campeão da Copa Sul-Americana de 2021, o Athletico Paranaense se classificou diretamente para a fase de grupos da Libertadores.[14] Sorteado como cabeça-de-chave do grupo B,[14] junto com Libertad, do Paraguai, The Strongest, da Bolívia, e Caracas, da Venezuela, o Rubro-Negro classificou-se na segunda vaga do seu grupo, com dez pontos (três vitórias, um empate e duas derrotas, oito gols marcados, sete gols sofridos e saldo positivo de um gol). O desempate com o Libertad, primeiro do grupo, foi no saldo de gols — o clube paraguaio possui um saldo positivo de dois gols.

No sorteio das oitavas de final, o Athletico Paranaense — 12.º colocado na classificação geral — encarou novamente o Libertad, primeiro colocado do seu próprio grupo.[15] Na primeira partida, em Curitiba, vitória por 2–1. Na partida de volta, em Assunção, empate em 1–1, com gol aos 90 minutos.

Na etapa seguinte, quartas de final, enfrentou o Estudiantes, da Argentina. Empate em Curitiba por 0–0 e vitória, aos 6 minutos de acréscimo do segundo tempo, na partida de volta, em La Plata, por 1–0.[16][17]

Na semifinal, confronto de brasileiros, enfrentando o Palmeiras. Vitória na partida de ida, também em Curitiba, por 1–0. Na partida de volta, em São Paulo, conseguiu reverter um placar desfavorável, de 2–0 no primeiro tempo, para o resultado final de 2–2 e a classificação para a final da competição.[18][19]

Partida[editar | editar código-fonte]

Detalhes[editar | editar código-fonte]

29 de outubro Flamengo Brasil 1 – 0 Brasil Athletico Paranaense Estádio Monumental, Guayaquil
15:00 (UTC−5)
Gabriel Gol marcado aos 45+4 minutos de jogo 45+4' Relatório (CONMEBOL)
ge
Árbitro: ArgentinaARG Patricio Loustau (FIFA)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Flamengo[20]
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Athletico[20]
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
G 20 Brasil Santos
LD 22 Brasil Rodinei
Z 23 Brasil David Luiz
Z 4 Brasil Léo Pereira
LE 16 Brasil Filipe Luís Substituído após 20 minutos de jogo 20'
V 8 Brasil Thiago Maia Substituído após 71 minutos de jogo 71'
M 7 Brasil Éverton Ribeiro Capitão
V 35 Brasil João Gomes
M 14 Uruguai Giorgian De Arrascaeta Penalizado com cartão amarelo após 68 minutos 68' Substituído após 84 minutos de jogo 84'
A 9 Brasil Gabriel Substituído após 84 minutos de jogo 84'
A 21 Brasil Pedro
Substitutos:
G 1 Brasil Diego Alves
Z 15 Brasil Fabrício Bruno
Z 26 Brasil Ayrton Lucas Entrou em campo após 20 minutos 20'
Z 30 Brasil Pablo
Z 34 Brasil Matheuzinho
M 2 Chile Erick Pulgar
M 5 Chile Arturo Vidal Penalizado com cartão amarelo após 75 minutos 75' Entrou em campo após 71 minutos 71'
M 10 Brasil Diego
M 29 Brasil Victor Hugo Entrou em campo após 84 minutos 84'
M 42 Brasil Matheus França
A 18 Brasil Everton Entrou em campo após 84 minutos 84'
A 31 Brasil Marinho
Técnico:
Brasil Dorival Júnior
G 1 Brasil Bento
LD 13 Brasil Khellven
Z 34 Brasil Pedro Henrique Penalizado a 28 minutosPenalizado a 43 minutosExpulso a 43 minutos 28', 43'
LE 44 Brasil Thiago Heleno Capitão
V 16 Brasil Abner
M 50 Brasil Fernandinho
M 17 Brasil Hugo Moura Substituído após 75 minutos de jogo 75'
M 38 Brasil Alex Santana Penalizado com cartão amarelo após 43 minutos 43' Substituído após 46 minutos de jogo 46'
M 8 Brasil Vitor Bueno Substituído após 57 minutos de jogo 57'
A 11 Brasil Vitinho Substituído após 57 minutos de jogo 57'
A 27 Brasil Vitor Roque Substituído após 65 minutos de jogo 65'
Substitutos:
G 12 Brasil Anderson
Z 22 Colômbia Nicolás Hernández
Z 24 Colômbia Luis Orejuela
Z 42 Brasil Matheus Felipe Entrou em campo após 46 minutos 46'
Z 48 Brasil Pedrinho
M 18 Brasil Léo Cittadini
M 26 Brasil Erick
M 28 Argentina Tomás Cuello
A 5 Brasil Pablo Entrou em campo após 65 minutos 65'
A 9 Uruguai Agustín Canobbio Entrou em campo após 57 minutos 57'
A 20 Uruguai David Terans Entrou em campo após 75 minutos 75'
A 35 Brasil Rômulo Penalizado com cartão amarelo após 73 minutos 73' Entrou em campo após 57 minutos 57'
Técnico:
Brasil Luiz Felipe Scolari

Homem do jogo: Gabriel (Flamengo)

Árbitros assistentes:[21]
ArgentinaARG Diego Bonfá
ArgentinaARG Ezequiel Brailovsky
Quarto árbitro:
ArgentinaARG Facundo Tello
Quinto árbitro:
ArgentinaARG Facundo Rodríguez
Árbitro de vídeo:
ArgentinaARG Mauro Vigliano
Árbitro assistente de vídeo 1:
ParaguaiPAR Éber Aquino
Árbitro assistente de vídeo 2:
ParaguaiPAR José Cuevas
Árbitro assistente de vídeo 3:
ColômbiaCOL Nicolás Gallo

Regulamento:[22]

  • 90 minutos.
  • 30 minutos de prorrogação caso haja empate no tempo normal.
  • Persistindo o empate, o vencedor será decidido nas disputa por pênaltis.
  • Doze jogadores substitutos.
  • Máximo de cinco substituições, com uma sexta sendo permitida em caso de prorrogação.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Libertadores 2022 terá final realizada em outubro por conta da Copa do Mundo no Catar». ge. 17 de agosto de 2021. Consultado em 7 de setembro de 2022 
  2. a b «Por Copa do Catar, Conmebol decide antecipar final da Libertadores para outubro de 2022». Gazeta Esportiva. 17 de agosto de 2021. Consultado em 7 de setembro de 2022 
  3. «Libertadores de 2022 terá final em estádio de Guayaquil, decide Conmebol». Universo Online. 13 de maio de 2021. Consultado em 7 de setembro de 2022 
  4. «Ecuador será sede de tres eventos Conmebol en 2022» (em espanhol). Primicias. Consultado em 7 de setembro de 2022 
  5. «Guayaquil será sede de la final de la Copa Libertadores 2022» (em espanhol). Página12. 4 de janeiro de 2022. Consultado em 7 de setembro de 2022 
  6. «Flamengo e Athletico-PR disputam 5ª final brasileira da Libertadores». Agência Brasil. 7 de setembro de 2022. Consultado em 8 de setembro de 2022 
  7. «Flamengo bate o Athletico-PR e conquista sua terceira Copa Libertadores». www.uol.com.br. Consultado em 30 de outubro de 2022 
  8. «Gabigol é eleito melhor da final, e Pedro recebe prêmio de craque da Libertadores». www.sbt.com.br. Consultado em 30 de outubro de 2022 
  9. «POSTULANTES A LAS FINALES 2021, 2022 Y 2023» (PDF) (em espanhol). CONMEBOL. 20 de maio de 2020. Consultado em 27 de maio de 2022 [ligação inativa] 
  10. «CONMEBOL Confirms Candidates to Host 2021-2023 Libertadores Finals» (em inglês). CopaLibertadores.com. Consultado em 27 de maio de 2022 [ligação inativa] 
  11. «Flamengo x Athletico: data, hora e local e onde assistir a final da Libertadores 2022». Yahooǃ Esportes. 7 de setembro de 2022. Consultado em 20 de setembro de 2022 
  12. «17 anos após 2005, Athletico-PR chega à final da Libertadores invicto há oito jogos». Terra. 7 de setembro de 2022. Consultado em 20 de setembro de 2022 
  13. «Libertadores: Flamengo é o sétimo campeão invicto da história». ge. Consultado em 4 de novembro de 2022 
  14. a b «Athletico será cabeça de chave na Libertadores 2022». Bem Paraná. 19 de dezembro de 2021. Consultado em 7 de setembro de 2022 
  15. Saboya, Davi (7 de julho de 2022). «Chaveamento da Libertadores 2022: Saiba quem o Athletico Paranaense enfrenta nas quartas de final». NE 10 Interior. Consultado em 7 de setembro de 2022 
  16. «Fernandinho e Vitor Roque comemoram classificação do Athletico-PR na Libertadores». Terra. 12 de agosto de 2022. Consultado em 7 de setembro de 2022 
  17. «Com gol nos acréscimos, Athletico-PR bate Estudiantes e está na semifinal». Placar. 11 de agosto de 2022. Consultado em 7 de setembro de 2022 
  18. Mazarin, Julia (6 de setembro de 2022). «Athletico busca reação, empata com o Palmeiras no Allianz e avança à final da Libertadores». Lance!. Consultado em 7 de setembro de 2022 
  19. «Athletico leva 2 a 0, busca empate contra o Palmeiras e é finalista da Liberta». Rede Bandeirantes. 6 de setembro de 2022. Consultado em 7 de setembro de 2022 
  20. a b «Reunião entre clubes e Conmebol define uniformes da final da Libertadores». UmDois Esportes. 27 de outubro de 2022. Consultado em 28 de outubro de 2022 
  21. «Árbitros para la Final de la CONMEBOL Libertadores 2022» (em espanhol). CONMEBOL. 21 de outubro de 2022. Consultado em 22 de outubro de 2022 
  22. «Manual de Clubes / Reglamento CONMEBOL Libertadores 2022» (em espanhol). CONMEBOL. 22 de dezembro de 2021. Consultado em 22 de outubro de 2022 
  23. a b c «Flamengo - Athletico». Sofascore. Consultado em 31 de outubro de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]