Final da Copa do Mundo FIFA de 1998

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Final da Copa do Mundo FIFA de 1998
Euro 2016 stade de France France-Roumanie (27307532960).jpg
Evento Copa do Mundo de 1998
Data Domingo, 12 de julho de 1998
Local Stade de France, Saint-Denis
Melhor em campo França Zidane
Árbitro Marrocos Said Belqola
Público 80 000

A final da Copa do Mundo FIFA de 1998 foi disputada em 12 de julho no Stade de France, na cidade de Saint-Denis na França. A França derrotou o Brasil por 3-0 e sagrou-se campeã pela primeira vez.

Contexto[editar | editar código-fonte]

A Copa do Mundo FIFA de 1998 foi a 16ª edição da Copa do Mundo, competição de futebol da FIFA para as seleções masculinas, realizada na França entre 10 de junho e 12 de julho de 1998.[1][2] O torneio contou com 32 equipes pela primeira vez, contra 24 na Copa do Mundo de 1994. Tanto a França quanto o Brasil se classificaram automaticamente para aquela edição - a França como anfitriã do torneio e o Brasil porque vencera em 1994. As 30 vagas restantes foram decididas através das eliminatórias realizadas entre março de 1996 e novembro de 1997, organizadas pelas seis confederações da FIFA e envolvendo 168 equipes. No mundial, as equipes foram divididas em oito grupos de quatro, com cada equipe jogando entre si uma vez no formato round-robin. As duas melhores equipes de cada grupo avançaram para a fase de mata-mata. O jogo foi disputado no Stade de France, no subúrbio de Saint-Denis, no norte de Paris, um estádio com capacidade para 80 mil pessoas que foi construído especificamente para a Copa do Mundo FIFA de 1998 porque não havia locais previamente existentes grandes o suficiente para acomodar a final.

O Brasil havia vencido a Copa do Mundo anterior nos Estados Unidos em 1994, derrotando a Itália na disputa de pênaltis na final, depois que a partida terminou em 0 a 0 após a prorrogação, a primeira final sem gols da história. A seleção canarinho começou o torneio de 1998 como favorita com Mário Zagallo, seu treinador, tendo se envolvido em todas as quatro vitórias brasileiras anteriores – como jogador em 1958 e 1962 , como treinador em 1970 e assistente técnico em 1994. A seleção francesa não se classificou para o torneio de 1994 porque foi eliminada em seu grupo das eliminatórias, terminando atrás da Suécia e da Bulgária. No entanto, alcançou as semifinais na Eurocopa de 1996, na qual foram derrotados na disputa de pênaltis pela República Tcheca. O meio-campista francês Zinedine Zidane estava empatado em terceiro lugar no concurso de Jogador do Ano da FIFA de 1997 e foi rotulado pelo ex-atacante brasileiro Pelé como "um dos jogadores a serem observados" na Copa do Mundo de 1998. Antes do torneio, Aimé Jacquet, o técnico da França, disse a repórteres que sua equipe estava "aqui para ganhar a Copa do Mundo, nada menos". As duas seleções já haviam se enfrentado duas vezes em Copas do Mundo – na semifinal do torneio de 1958, na qual o Brasil venceu por 5 a 2, e nas quartas de final em 1986, quando a França venceu nos pênaltis após o jogo terminar em 1 a 1 após prorrogação. O embate mais recente à época havia sido no Torneio da França de 1997, em um jogo que terminou em 1 a 1.

A bola usada no torneio foi a Adidas Tricolore, que foi feita especificamente para a Copa do Mundo. A bandeira tricolor e o galo gaulês, símbolos tradicionais da França foram usados ​​como inspiração para o design. Mais de 20 rascunhos foram propostos pela equipe de design da Adidas antes que a versão definitiva fosse aprovada.

Caminho até a Final[editar | editar código-fonte]

Brasil[editar | editar código-fonte]

O Brasil estava no Grupo A da Copa do Mundo, junto com Marrocos, Noruega e Escócia. Seu primeiro jogo foi a abertura do torneio no Stade de France, em 10 de junho contra a Escócia. O Brasil saiu na frente do placar aos quatro minutos quando César Sampaio recebeu a bola na área de um escanteio cobrado por Bebeto, e cabeceou a bola para o gol de Jim Leighton da Escócia. A Escócia empatou através de um pênalti marcado por John Collins, depois que Kevin Gallacher foi derrubado na área. O Brasil voltou a liderar no segundo tempo, quando um voleio de Cafu foi defendido por Leighton, mas rebateu em um gol contra o escocês Tom Boyd. A Escócia apelou por um segundo pênalti no minuto final, alegando que Dunga havia segurado a bola, mas não foi dado e o Brasil venceu por 2 a 1. Seu segundo jogo foi contra o Marrocos, em 16 de junho, no Stade de la Beaujoire, em Nantes. Ronaldo abriu o marcador para o Brasil com seu primeiro gol na Copa do Mundo aos nove minutos de jogo, com Rivaldo e Bebeto também marcando para dar ao Brasil uma vitória por 3 a 0. O Brasil já estava confirmado como vencedor do grupo antes do terceiro jogo, contra a Noruega, mas Zagallo ainda assim escolheu a maioria de seus titulares, deixando apenas Aldair, que havia recebido um cartão amarelo contra a Escócia e arriscava ser suspenso caso recebesse outro; e César Sampaio, que já estava suspenso. O Brasil abriu o placar com Bebeto aos 77 minutos. A Noruega respondeu com dois gols nos últimos dez minutos – Tore André Flo marcou o gol do empate e depois ganhou uma grande penalidade quando foi derrubado por Gonçalves. Kjetil Rekdal marcou de pênalti para dar à Noruega uma vitória por 2 a 1.

O adversário do Brasil nas oitavas de final foi o Chile; a partida foi disputada em 27 de junho no Parc des Princes em Paris. O Brasil abriu vantagem aos 11 minutos, quando uma cobrança de falta de Dunga foi recebida por Sampaio, que foi desmarcado e cabeceou para o goleiro Nelson Tapia. Sampaio dobrou a vantagem do Brasil aos 27 minutos, quando chutou no canto da rede após uma cobrança de falta de longa distância de Roberto Carlos. Ronaldo marcou um terceiro de pênalti no primeiro tempo de acréscimo, depois de ter sido derrubado por Tapia. Marcelo Salas anotou um gol para o Chile no segundo tempo, mas Ronaldo marcou novamente para selar uma vitória brasileira por 4 a 1. Nas quartas-de-final, a seleção canarinho jogou contra a Dinamarca no Stade de la Beaujoire em 3 de julho. A Dinamarca marcou o primeiro gol aos dois minutos de jogo por intermédio de Martin Jørgensen, com Bebeto a empatar oito minutos depois. O Brasil virou o placar com um gol de Rivaldo aos 27 minutos, completando uma jogada envolvendo Dunga e Ronaldo. Brian Laudrup empatou aos cinco minutos no segundo tempo, mas Rivaldo marcou novamente 30 minutos antes do final para selar uma vitória por 3 a 2 para o Brasil. A semifinal do Brasil foi contra a Holanda no Stade Vélodrome em Marselha. Ronaldo deu vantagem ao Brasil pouco depois do intervalo, mas Patrick Kluivert empatou para a Holanda a três minutos do final. O jogo foi para a prorrogação, com a regra do gol de ouro em vigor. Não houve mais gols, no entanto, e o jogo foi resolvido por uma disputa de pênaltis. Os dois lados deram seus chutes alternadamente com o Brasil chutando primeiro e os primeiros cinco pênaltis foram todos marcados, dando ao Brasil uma vantagem de 3-2. O goleiro brasileiro Cláudio Taffarel então defendeu os pênaltis de Phillip Cocu e Ronald de Boer com Dunga marcando novamente para o Brasil, o que significou que o Brasil venceu a disputa de pênaltis por 4 a 2 e avançou para a final.

Brasil Brasil Fase França França
Oponente Resultado Fase de grupos Oponente Resultado
Flag of Scotland.svg Escócia 2-1 Rodada 1 Bandeira da África do Sul África do Sul 3-0
Flag of Morocco.svg Marrocos 3-0 Rodada 2 Flag of Saudi Arabia.svg Arábia Saudita 4-0
Flag of Norway.svg Noruega 1-2 Rodada 3 Flag of Denmark.svg Dinamarca 2-1
Grupo A J V E D GP GC SG Pts
Brasil Brasil 3 2 0 1 6 3 3 6
Flag of Norway.svg Noruega 3 1 2 0 5 4 1 5
Flag of Morocco.svg Marrocos 3 1 1 1 5 5 0 4
Flag of Scotland.svg Escócia 3 0 1 2 2 6 −4 1
Resultado final
Grupo C J V E D GP GC SG Pts
França França 3 3 0 0 9 1 8 9
Flag of Denmark.svg Dinamarca 3 1 1 1 3 3 0 4
Bandeira da África do Sul África do Sul 3 0 2 1 3 6 −3 2
Flag of Saudi Arabia.svg Arábia Saudita 3 0 1 2 2 7 −5 1
Oponente Resultado Fase final Oponente Resultado
Flag of Chile.svg Chile 4-1 Oitavas de final Flag of Paraguay.svg Paraguai 1-0 (pro)
Flag of Denmark.svg Dinamarca 3-2 Quartas de final Flag of Italy.svg Itália 0-0 (4–3 pen)
Países Baixos Países Baixos 1-1 (4–2 pen) Semifinais Bandeira da Croácia Croácia 2-1

Detalhes da partida[editar | editar código-fonte]

Laurent Blanc suspenso, Aimé Jacquet substituiu-o por Frank Lebœuf.Para o resto, Jacquet foi fiel ao seu esquema tradicional com três meias de recuperação usados ​​na Euro 1996 e novamente desde os quartos-de-final contra a Itália.Didier Deschamps evolui no eixo, enquanto Christian Karembeu e Emmanuel Petit são deslocados nos lados.Zinédine Zidane ficou encarregada da armação do jogo e Youri Djorkaeff apoiando Stéphane Guivarc'h e Christophe Dugarry.

O Brasil, sem surpresa. No entanto, antes do incio do jogo comunicada à imprensa noticia, Edmundo e não a estrela Ronaldo, que foi anunciado no do ataque. Um simples golpe de blefar destinado a semear problemas nas mentes francesas? Aprendemos no final que vítima de um mal-estar curioso com perda de consciência na manhã do jogo, Ronaldo foi realmente muito irreconhecível na final.

12 de julho de 1998 Brasil Brasil 0 – 3 França França Stade de France, Saint-Denis
21:00
Crystal Clear app kworldclock.png Histórico
Relatório Zidane Gol marcado aos 27 minutos de jogo 27', Gol marcado aos 45+1 minutos de jogo 45+1'
Petit Gol marcado aos 90+2 minutos de jogo 90+2'
Público: 80 000
Árbitro: Marrocos Said Belqola
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Brasil
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
França
G 1 Taffarel
LD 2 Cafu
Z 3 Aldair
Z 4 Júnior Baiano Penalizado com cartão amarelo após 33 minutos 33'
LE 6 Roberto Carlos
V 5 César Sampaio Substituído após 75 minutos de jogo 75'
V 8 Dunga Capitão
M 18 Leonardo Substituído após 45 minutos de jogo 45'
M 10 Rivaldo
A 20 Bebeto
A 9 Ronaldo
Substituições:
M 19 Denílson Entrou em campo após 45 minutos 45'
A 21 Edmundo Entrou em campo após 75 minutos 75'
Treinador:
Brasil Mário Zagallo
BRA-FRA 1998-07-12.svg
G 16 Fabien Barthez
LD 15 Lilian Thuram
Z 8 Marcel Desailly Penalizado a 48 minutosPenalizado a 68 minutosExpulso a 68 minutos 48', 68'
Z 18 Frank Leboeuf
LE 3 Bixente Lizarazu
V 7 Didier Deschamps Capitão Penalizado com cartão amarelo após 39 minutos 39'
MD 17 Emmanuel Petit
M 19 Christian Karembeu Penalizado com cartão amarelo após 56 minutos 56' Substituído após 57 minutos de jogo 57'
ME 10 Zinedine Zidane
M 6 Youri Djorkaeff Substituído após 75 minutos de jogo 75'
A 9 Stéphane Guivarc'h Substituído após 66 minutos de jogo 66'
Substituições:
M 4 Patrick Vieira Entrou em campo após 75 minutos 75'
M 14 Alain Boghossian Entrou em campo após 57 minutos 57'
A 21 Christophe Dugarry Entrou em campo após 66 minutos 66'
Treinador:
França Aimé Jacquet

Homem da partida

Bandeirinhas:
Inglaterra Mark Warren
África do Sul Achmat Salie
Quarto árbitro:
Arábia Saudita Abdulrahman Alzeid

Pós-jogo[editar | editar código-fonte]

A vitória da França foi seu primeiro título da Copa do Mundo, tornando-se o sétimo de oito países diferentes a vencer o torneio. Também se tornaram a sexta seleção a vencer a competição como anfitriões. Foi apenas a segunda vez que o Brasil perdeu uma final de Copa do Mundo, a primeira foi a derrota por 2 a 1 para o Uruguai na partida final de 1950. O placar de 3 a 0 também foi a maior derrota do Brasil na Copa do Mundo até sua derrota por 7 a 1 para a Alemanha na semifinal da Copa do Mundo de 2014.

O presidente francês Jacques Chirac, o presidente do Comitê Olímpico Internacional Juan Antonio Samaranch, o recém-eleito presidente da FIFA Sepp Blatter e seu antecessor João Havelange, o presidente da UEFA Lennart Johansson e o copresidente do comitê organizador local Michel Platini estavam entre os presentes nas arquibancadas durante a cerimônia de premiação. O presidente Chirac entregou o troféu ao capitão francês Didier Deschamps. Centenas de milhares de torcedores franceses comemoraram a vitória de sua equipe em Paris durante toda a noite, antes de se reunirem ao longo dos Champs-Élysées no dia seguinte para um tour em carro aberto com os jogadores franceses. As celebrações continuaram até terça-feira, feriado nacional do Dia da Bastilha na Franç. Chirac elogiou a solidariedade da nação durante um discurso feito naquele dia.

A aptidão de Ronaldo para a partida e sua omissão inicial e posterior reintegração na equipe do Brasil tornaram-se um assunto de interesse jornalístico contínuo após a partida, com análise continuada mais de 20 anos depois. Surgiram várias teorias da conspiração sobre o incidente, incluindo uma alegação do atacante Edmundo (que deveria jogar no lugar de Ronaldo) de que a Nike, patrocinadora da seleção brasileira, havia pressionado Zagallo a reintegrar o jogador. Zagallo também disse que a decisão foi dele e do jogador, dizendo que "se houvesse interferência, teria renunciado". Um inquérito do governo sobre o envolvimento da Nike com o Brasil foi lançado pelo político Aldo Rebelo e entrevistou vários jogadores, dirigentes e médicos da equipe, mas isentou a Nike de qualquer irregularidade. Outra teoria, divulgada no jornal brasileiro Folha de S. Paulo, era que Ronaldo teve um colapso nervoso durante o torneio, e alguns jogadores também disseram que o médico da equipe Lídio Toledo chorou sobre a condição de Ronaldo quando o encontrou no vestiário. Toledo não o descartou como inapto, no entanto, dizendo mais tarde "imagine se eu o impedisse de jogar e o Brasil perdesse, naquele momento eu teria que ir morar no Pólo Norte".

A França seguiu a sua vitória classificando-se e vencendo o UEFA Euro 2000, disputada na Holanda e na Bélgica. O Brasil conquistou o título da Copa América de 1999 e, em seguida, venceu a próxima Copa do Mundo no Japão e na Coréia do Sul em 2002. A França foi eliminada na fase de grupos do torneio de 2002, tornando-se a primeira campeã da Copa do Mundo eliminada sem chegar à fase de mata-mata. Eles voltaram à final em 2006, perdendo para a Itália, antes de vencer sua segunda Copa do Mundo em 2018.

Referências

  1. «World Cup: History & Winners». Encyclopædia Britannica. 19 de agosto de 2021. Consultado em 22 de setembro de 2021. Cópia arquivada em 28 de agosto de 2021 
  2. «World awaits cup draw». BBC Sport. 4 de dezembro de 1997. Consultado em 29 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 29 de outubro de 2021 
Soccer stub.svg Este artigo sobre futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.