Fine Gael

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fine Gael
Líder Enda Kenny
Fundação 1933
Sede Dublin,  Irlanda
Ideologia Democracia Cristã
Conservadorismo liberal
Liberalismo
Liberalismo económico
Europeísmo
Espectro político Centro-direita
Ala Jovem Young Fine Gael
Membros  (2012) 35.000
Afiliação internacional Internacional Democrata Centrista
Afiliação europeia Partido Popular Europeu
Grupo no Parlamento Europeu Grupo do Partido Popular Europeu
Parlamento Irlandês
50 / 158
Senado
18 / 60
Parlamento Europeu
4 / 11
Cores Azul e Branco

Fine Gael é um partido político democrata-cristão da República da Irlanda[1] .

História[editar | editar código-fonte]

O partido foi formado em 1933, graças à fusão de 3 partidos: Cumann na nGaedheal, o Partido Nacional de Centro e a Guarda Nacional (este movimento era conhecido por "Blueshirts", alcunha ainda hoje usada pelo Fine Gael). As origens deste partido remontam à Guerra Civil Irlandesa e à facção liderada por Michael Collins, defensores do tratado assinado, em 1921, com o Reino Unido.

Ideologicamente, o partido é, no panorama irlandês, o maior defensor do liberalismo económico, apoiando a liberdade de concorrência, política de privatizações e de adopção de políticas fiscais e económicas, que promovam a concorrência[2] . Além disto, o partido segue um modelo democrata-cristão[3] [4] e conservadorismo liberal[5] [6] , ou seja, aproxima-se ideologicamente dos partidos de centro-direita a nível europeu. O partido também se destaca por ser um grande defensor da integração europeia, defendendo o federalismo europeu e, por outro lado, ser contra a violência na luta pela reunificação da Irlanda. Importa referir que, apesar de ser centro-direita, o partido, historicamente, governa com o partido de centro-esquerda, Partido Trabalhista, muito devido à enorme rivalidade com o Fianna Fáil, fruto da Guerra Civil Irlandesa[7] .

O partido é liderado, desde 2002, por Enda Kenny[8] , e é membro do Partido Popular Europeu e da Internacional Democrata Centrista.

Resultados Eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Data Votos % +/- Deputados +/- Status
1937 461 171 34,8 (2.º)
48 / 138
Oposição
1938 428 633 33,3 (2.º) Baixa1,5
45 / 138
Baixa3 Oposição
1943 307 490 23,1 (2.º) Baixa10,2
32 / 138
Baixa12 Oposição
1944 249 329 20,5 (2.º) Baixa2,6
30 / 138
Baixa2 Oposição
1948 262 393 19,8 (2.º) Baixa0,7
31 / 147
Aumento1 Governo
1951 349 922 27,2 (2.º) Aumento7,4
40 / 147
Aumento9 Oposição
1954 427 031 32,0 (2.º) Aumento4,8
50 / 147
Aumento10 Governo
1957 326 699 26,6 (2.º) Baixa5,4
40 / 147
Baixa10 Oposição
1961 374 099 32,0 (2.º) Aumento5,4
47 / 144
Aumento7 Oposição
1965 427 081 34,1 (2.º) Aumento2,1
47 / 144
= Oposição
1969 449 749 34,1 (2.º) =
50 / 144
Aumento3 Oposição
1973 473 781 35,1 (2.º) Aumento1,0
54 / 144
Aumento4 Governo
1977 488 767 30,5 (2.º) Baixa4,6
43 / 148
Baixa11 Oposição
1981 626 376 36,5 (2.º) Aumento6,0
65 / 166
Aumento22 Governo
02/1982 621 088 37,3 (2.º) Aumento0,8
63 / 166
Baixa2 Oposição
11/1982 662 284 39,2 (2.º) Aumento1,9
70 / 166
Aumento7 Governo
1987 481 127 27,1 (2.º) Baixa12,1
51 / 166
Baixa19 Apoio parlamentar
1989 485 307 29,3 (2.º) Aumento2,2
55 / 166
Aumento4 Oposição
1992 422 106 24,5 (2.º) Baixa4,8
45 / 166
Baixa10 Oposição
1997 499 936 27,9 (2.º) Aumento3,4
54 / 166
Aumento9 Oposição
2002 417 619 22,5 (2.º) Baixa5,7
31 / 166
Baixa23 Oposição
2007 564 428 27,3 (2.º) Aumento4,8
51 / 166
Aumento20 Oposição
2011 801 628 36,1 (1.º) Aumento8,8
76 / 166
Aumento25 Governo
2016 544 140 25,5 (1.º) Baixa10,6
50 / 158
Baixa26

Eleições europeias[editar | editar código-fonte]

Data Votos % Deputados +/-
1979 443 652 33,1 (2.º)
4 / 15
1984 361 034 32,2 (2.º) Baixa0,9
6 / 15
Aumento2
1989 353 094 21,6 (2.º) Baixa10,6
4 / 15
Baixa2
1994 276 095 24,3 (2.º) Aumento2,7
4 / 15
=
1999 342 171 24,6 (2.º) Aumento0,3
4 / 15
=
2004 494 412 27,8 (2.º) Aumento3,2
5 / 13
Aumento1
2009 532 889 29,1 (1.º) Aumento1,3
4 / 12
Baixa1
2014 369 120 22,3 (2.º) Baixa6,8
4 / 11
=

Referências

  1. «Parties and Elections in Europe». parties-and-elections.eu. Consultado em 2016-04-15. 
  2. «Ireland's politics on the brink of a seismic shift». euobserver.com. Consultado em 2016-02-27. 
  3. Banchoff, Thomas F.; Smith, Mitchell P. (1999-01-01). Legitimacy and the European Union: The Contested Polity Routledge [S.l.] ISBN 9780415181884. 
  4. Slomp, Hans (2011-01-01). Europe, a Political Profile: An American Companion to European Politics ABC-CLIO [S.l.] ISBN 9780313391811. 
  5. «Parties and Elections in Europe». www.parties-and-elections.eu. Consultado em 2016-02-27. 
  6. Hamann, Kerstin; Kelly, John (2010-08-30). Parties, Elections, and Policy Reforms in Western Europe: Voting for Social Pacts Routledge [S.l.] ISBN 9781136949869. 
  7. «Hung Dáil may see parties sleeping with the enemy». www.irishexaminer.com. Consultado em 2016-02-27. 
  8. «Enda Kenny elected Fine Gael leader». RTE.ie. Consultado em 2016-02-27.