Firmamento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Firmamento é um nome para a abóbada celeste, geralmente usada no contexto das religiões baseadas nas escrituras hebraicas (judaísmo, cristianismo). O termo vem do latim clássico firmamentum, usado na Vulgata, que significa "suporte". O termo original hebraico, raqiya' (רקיע), designa uma placa rígida, ampla e sólida, possuindo uma certa espessura. O termo deriva-se da raiz raqa' (רקע), designando a ação de expandir (um metal) batendo-o com um martelo, o processo de se fazer uma placa metálica[1], motivo pelo qual algumas traduções bíblicas usam a palavra "expansão" em vez de "firmamento".

Segundo a cosmologia bíblica, conforme o Livro de Gênesis, a Terra era um grande oceano, um planeta sem forma e vazio, e a porção seca ainda não havia sido criada. Então a expansão foi criada por Javé para "separar as águas", criando assim a atmosfera da Terra, e fazendo separação entre as águas da atmosfera das águas dos mares.

"E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas." Gênesis 1:2 (ACF)

"E disse Deus: Haja uma expansão no meio das águas, e haja separação entre águas e águas. E fez Deus a expansão, e fez separação entre as águas que estavam debaixo da expansão e as águas que estavam sobre a expansão; e assim foi. E chamou Deus à expansão Céus, e foi a tarde e a manhã, o dia segundo." Gênesis 1:6-8 (ACF)

Posteriormente, no firmamento Javé criou o Sol, a Lua e as estrelas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.