Flávia Biroli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Flávia Biroli
Nome completo Flávia Millena Biroli Tokarski
Nascimento 1975 (45 anos)
São José do Rio Preto
Nacionalidade brasileira
Profissão cientista política, historiadora e feminista
Principais trabalhos Autonomia e desigualdades de gênero: contribuições do feminismo para a crítica democrática
Gênero literário feminismo e política

Flávia Biroli é uma cientista política brasileira. É autora de vários livros sobre democracia, gênero e mídia. É professora de Ciência Política na Universidade de Brasília e especialista em teoria política feminista.[1] Coordena, com Marlise Matos, a área temática "Gênero, democracia e políticas públicas", da Associação Brasileira de Ciência Política; integrou a diretoria da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs), de 2010 a 2012. Em 2018, assumiu a Presidência da Associação Brasileira de Ciência Política, com gestão até 2020. [2] [3][4] Integra o Grupo de Pesquisa sobre Democracia e Desigualdades, na UnB, liderado pelo cientista político Luis Felipe Miguel.[5] Faz parte do Grupo de Assessoras da Sociedade Civil da ONU Mulheres no Brasil.[6] Foi co-editora da Revista Brasileira de Ciência Política, entre 2009 e 2016.[7]

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

  • BIROLI, F.; MIGUEL, L. F. (Org.) . Aborto e democracia. 1. ed. São Paulo: Alameda, 2016. v. 1. 242p.
  • BIROLI, F.. Autonomia e desigualdades de gênero: contribuições do feminismo para a crítica democrática. 1. ed. Niterói e Vinhedo: Editora da UFF e Editora Horizonte, 2013. v. 1. 208p.
  • MIGUEL, L. F. ; BIROLI, F. . Caleidoscópio convexo: mulheres, política e mídia. 1. ed. São Paulo: Editora Unesp, 2011. v. 1. 230p.
  • BIROLI, F. Família: novos conceitos. 1. ed. São Paulo: Editora da Fundação Perseu Abramo, 2014. v. 1. 83p.
  • BIROLI, F. Gênero e desigualdades. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2018. v. 1. 252p.
  • MIGUEL, L. F. ; BIROLI, F. . Feminismo e política. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2014. 166p.
  • MIGUEL, L. F. (Org.) ; BIROLI, F. (Org.) . Mídia, representação e democracia. 1. ed. São Paulo: Hucitec, 2010. v. 1. 301p.
  • MIGUEL, L. F. (Org.) ; BIROLI, F. (Org.) . Teoria política feminista: textos centrais. 11. ed. Vinhedo e Niterói: Horizonte e Editora da Universidade Federal Fluminense, 2013. v. 1. 376p.
  • BIROLI, F.; MIGUEL, L. F. (Org.) . Teoria política e feminismo: abordagens brasileiras. 1. ed. Vinhedo, SP: Editora Horizonte, 2012. v. 1. 290p.

Referências

  1. «Cientistas políticos fazem panorama do feminismo atual». Rede Brasil Atual 
  2. https://cienciapolitica.org.br/institucional/diretoria
  3. «AzMina - "No golpe em curso, as mulheres têm muito a perder"». azmina.com.br. Consultado em 11 de dezembro de 2016 
  4. «Aborto e democracia: o déficit de cidadania para as mulheres». Nexo Jornal 
  5. «Equipe». www.demode.unb.br. Consultado em 11 de dezembro de 2016. Arquivado do original em 19 de dezembro de 2016 
  6. «Grupo Nacional Assessor da Sociedade Civil (Brasil): Janeiro/2016 – Dezembro/2017 – ONU Mulheres». www.onumulheres.org.br. Consultado em 13 de dezembro de 2016 
  7. «Ibict | Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - SEER». seer.ibict.br. Consultado em 13 de dezembro de 2016. Arquivado do original em 20 de dezembro de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre sociologia ou um sociólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.