Flávia Oliveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para ciclista olímpica brasileira, veja Flávia Oliveira (ciclista).
Flávia Oliveira
Line-style-icons-newspaper.svg
Flávia Oliveira, no programa Observatório da Imprensa, da TV Brasil.
Nome completo Flávia Oliveira da Fraga
Nascimento 2 de agosto de 1969 (52 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Ocupação jornalista
comentarista de economia
Nacionalidade brasileira
Atividade 1993 – presente

Flávia Oliveira (Rio de Janeiro, 2 de agosto de 1969) é uma jornalista brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Flávia Oliveira da Fraga foi criada no bairro de Irajá, na Zona Norte carioca. É técnica em estatística pela Escola Nacional de Ciências Estatísticas (Ence) e formou-se em jornalismo no Instituto de Artes e Comunicação Social (IACS) da Universidade Federal Fluminense.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Flávia iniciou sua carreira em 1992, como repórter do Jornal do Commercio. Depois foi para o jornal O Globo, onde trabalhou como repórter de economia de 1994 a 2000, como editora de suplementos especiais de 2001 a 2005 e passou a produzir a coluna Negócios & Cia a partir de agosto de 2006. Desde 2009, é também uma das comentaristas fixas do programa Estúdio i, do canal por assinatura GloboNews, onde comenta sobre economia. Em abril de 2011 passou a ser também comentarista de finanças pessoais e economia doméstica nos programas Bom Dia Rio e RJTV, da Globo Rio. É colunista do jornal O Globo, comentarista do programa Em Pauta e Jornal das Dez desde junho de 2020, e da Rádio CBN.[2][1]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Em 2001 recebeu os prêmios Esso de Jornalismo, na categoria Melhor Contribuição à Imprensa, por uma série de reportagens chamada Retratos do Rio; em 2002 recebeu os prêmios Fiat Allis de Jornalismo Econômico, Ayrton Senna e Imprensa Embratel, pelo seu trabalho no caderno Pirataria S/A, junto com Nelson Vasconcelos. Em 2003, recebeu o prêmio Imprensa Embratel, pelo seu trabalho no caderno Exclusão Digital, também junto com Vasconcelos. No mesmo ano a Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) concedeu à jornalista o Prêmio Jornalismo para Tolerância, por seu trabalho como coeditora do suplemento A Cor do Brasil, no jornal O Globo. Ainda em 2003, recebeu o Prêmio Elizabeth Neuffer da Associação dos Correspondentes da ONU, por uma série de reportagens sobre desenvolvimento humano junto com a também jornalista Luciana Rodrigues.[1]

Referências

  1. a b c Flávia Oliveira Portal dos Jornalistas
  2. Diego Francisco, para Observatório da Imprensa (9 de Junho de 2020). «Globonews mostra, após críticas, que é possível se reinventar para enfrentar o racismo». Consultado em 14 de Junho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Flávia Oliveira no Twitter