Flávio Bolsonaro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Flávio Bolsonaro
Deputado Estadual pelo Rio de Janeiro
Período 1° fevereiro de 2003
até a atualidade
Dados pessoais
Nascimento 30 de abril de 1981 (37 anos)
Resende, Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Rogéria Bolsonaro
Pai: Jair Bolsonaro
Partido PP (2003-2016)
PSC (2016-2018) [1]
PSL (2018-atualmente) [2]
Religião Cristão Protestante
Profissão Político, empresário e advogado
Website flaviobolsonaro.com.br
linkWP:PPO#Brasil

Flávio Nantes Bolsonaro (Resende, 30 de abril de 1981) é um empresário, advogado e político brasileiro, filiado ao Partido Social Liberal (PSL) e comandante da legenda no Rio de Janeiro. [3][4][5] Possui especializações em Políticas Públicas pelo IUPERJ e em Empreendedorismo pela FGV.[6] É filho do deputado federal Jair Bolsonaro.

Deputado estadual pelo estado do Rio de Janeiro desde 2003, foi eleito para seu quarto mandato nas eleições de 2014, com 160 359 votos.[7][8] No segundo mandato, foi presidente da Comissão Especial de Planejamento Familiar.[9]

Carreira

Deputado estadual

Foi eleito para seu primeiro mandato em 2002. Reelegeu-se deputado estadual em 2006, 2010 e, na sua última candidatura, em 2014, para o mandato 2015–2019. Em abril de 2015, votou a favor da nomeação de Domingos Brazão para o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, nomeação que foi muito criticada na época.[10]

Votou contra a privatização da CEDAE em 2017.[11]

Candidatura à Prefeitura do Rio

Em 23 de julho na convenção do PSC em Bangu Atlético Clube, foi oficializada sua candidatura a prefeitura do Rio de Janeiro. O presidente nacional do partido, Pastor Everaldo, e seu pai, o deputado Jair Bolsonaro participaram do evento partidário. "A nossa candidatura é de protesto contra tudo o que está aí. Governar é eleger prioridades. E o grande ponto de interrogação é o que vai ser o Rio de Janeiro depois das Olimpíadas. Somente uma pessoa independente, de fora desse esquema corrupto da velha política é que vai ter a liberdade de fazer as verdadeiras mudanças", afirmou Flávio Bolsonaro, em discurso.

Nas eleições de 2016, disputou a Prefeitura do Rio e ficou em 4º lugar com 424.307 votos, que representaram 14% dos votos válidos, ficando fora do segundo turno disputado por Crivella (PRB) e Freixo (PSOL), porém à frente de candidatos como os deputados federais Indio da Costa (PSD), Jandira Feghali (PCdoB) e Alessandro Molon (REDE), além de outros quatro candidatos. Apesar da derrota, conseguiu eleger seu irmão, Carlos Bolsonaro, como o vereador mais votado do Rio de Janeiro.[12]

Flávio Bolsonaro é conhecido, assim como o pai, por posições polêmicas. Em entrevista dada em abril de 2011, na qual defendia as posições controversas do pai, Flávio Bolsonaro disse que a resposta do pai no programa CQC valorizava conceitos de "família", valores éticos e morais.[13]

O deputado estadual também defendeu a ditadura militar brasileira em entrevista publicada pelo Estadão em abril de 2011. Segundo ele, "Naquele tempo havia segurança, havia saúde, educação de qualidade, havia respeito. Hoje em dia a pessoa só tem o direito de quê? De votar. E ainda vota mal."[14] Bolsonaro afirmou que não teria havido ditadura no Brasil, pois a época teria sido "um período de transição para a democracia".[15]

Flávio Bolsonaro também é a favor da pena de morte e da diminuição da maioridade penal.[8][16]

Tiroteio

No dia 12 de abril de 2016, Flávio Bolsonaro e seu segurança que também é policial militar trocaram tiros com dois assaltantes que praticavam roubo em um carro a sua frente na zona oeste do Rio de Janeiro, um dos bandidos ficou ferido e fugiu de moto. Flávio Bolsonaro possui porte de armas.[17]

Como outros membros da família Bolsonaro, Flávio se opõe ao que chama de "exploração midiática da aplicação de direitos humanos para o benefício do crime e dos criminosos".[8][18]

Declarações sobre homossexuais

O deputado é acusado de homofobia por suas declarações, como, por exemplo, "o normal é ser heterossexual" e "duvido que algum pai tenha orgulho de ter um filho gay".[14] A fala, que reitera a posição de Jair Bolsonaro na televisão, foi repudiada por vários segmentos da sociedade brasileira.[19][20][21][22] Marcelo Tas, apresentador do CQC, afirmou que sente orgulho de sua filha homossexual e criticou as posições dos Bolsonaros.[23] De acordo com entrevista publicada no Jornal do Brasil, o deputado, que nega as acusações de racismo feitas ao pai, endossa a posição do pai em relação aos homossexuais.[24]

Ver também

Referências

  1. Partido Social Cristão (15 de março de 2016). «NO RJ, Flávio e Carlos Bolsonaro se filiam ao PSC» 
  2. ÉPOCA (6 de fevereiro de 2018). «Presidente do PSL diz que Bolsonaro terá controle absoluto do partido quando se filiar» 
  3. «Perfil: Deputado Flávio Bolsonaro». Site Oficial do Deputado Flávio Bolsonaro. Consultado em 30 de setembro de 2016. 
  4. «Flávio Bolsonaro é confirmado como candidato do PSC a prefeito do Rio». G1. 23 de julho de 2016. Consultado em 30 de setembro de 2016. 
  5. ÉPOCA (6 de fevereiro de 2018). «Presidente do PSL diz que Bolsonaro terá controle absoluto do partido quando se filiar» 
  6. Perfil - Eduardo Bolsonaro
  7. Eleições 2014 - Flávio Bolsonaro
  8. a b c «Flávio Bolsonaro: Perfil» 
  9. Deputados - Flávio Bolsonaro
  10. Pedro Zuazo (29 de abril de 2015). «Conselheiro vapt-vupt: veja quem votou em Brazão para o TCE». Jornal Extra. Consultado em 8 de dezembro de 2016. 
  11. G1 (20 de fevereiro de 2017). «Saiba como votou cada deputado sobre a privatização da Cedae e veja opiniões». Consultado em 18 de setembro de 2017. 
  12. «Apuração Município Rio De Janeiro - RJ». Valor Econômico. Consultado em 5 de outubro de 2016. 
  13. «Filhos de Bolsonaro dizem que pai não é preconceituoso» 
  14. a b «Para filhos, Bolsonaro diz 'o que a maioria pensa'» 
  15. «`Eu tenho imunidade para falar ou para roubar´, ´Eu não admito deixar que o homossexual entre na escola´ diz Bolsonaro» 
  16. «O Pensamento de Bolsonaro :Família,Homossexualidade,Pena de Morte..... (Vídeo)». 17 de novembro de 2014 [ligação inativa] 
  17. «Deputado Flávio Bolsonaro atira contra bandido em tentativa de assalto, na Zona Oeste do Rio». Extra Online. Consultado em 12 de abril de 2016. 
  18. Uol Notícias. «"Direitos humanos só defende presidiário", diz Bolsonaro» 
  19. Paulo Moreira Leite. «Quem protege Bolsonaro». Época 
  20. «Notícias » Brasil » Brasil Ministra: frases de Bolsonaro são 'caso explícito de racismo'» 
  21. «Casal de sargentos gays responde a Bolsonaro» 
  22. «OAB pedirá cassação de Jair Bolsonaro por declarações homofóbicas» 
  23. «Marcelo Tas, Jair Bolsonaro e o orgulho de ter um filho gay» 
  24. «"É óbvio que eu namoraria uma negra", diz filho de Bolsonaro». Jornal do Brasil. 29 de março de 2016. Consultado em 20 de setembro de 2016. 
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Flávio Bolsonaro