Flat design

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Flat design é o nome dado a um tipo de design voltado ao estilo minimalista, comumente utilizados nas interfaces gráficas de utilizador (tais como aplicações web e aplicações móveis), especialmente em materiais gráficos como cartazes, artes, guia de documentos, publicação de produtos e sites.

Definição e finalidade[editar | editar código-fonte]

Flat Design[1] é um estilo de design de interface enfatizando a baixa utilização de elementos estilísticos que dão a ilusão de três dimensões (3D) (tais como o uso de sombras, gradientes ou texturas)[2] e é focada em um uso minimalista de elementos, tipografia e cores "chapadas".[3] Designers podem preferir o flat design porque ele permite que os designs de interface sejam mais racionalizados e simplificados, além de oferecer um visual mais objetivo. É mais fácil transmitir informações através deste visual, além de ser visualmente atraente e acessível.[4] Além disso, através deste estilo, fica mais fácil criar uma interface que é sensível a mudanças no tamanho do navegador através de dispositivos diferentes (design responsivo). Com o mínimo de elementos de design, web sites são capazes de carregar mais rápido e redimensionar-se facilmente, e ainda ajustar-se facilmente em ecrãs de alta definição.

História[editar | editar código-fonte]

Flat Design é principalmente influenciado pelo International Typographic Style (também conhecido como Estilo Suíço), Modernismo, e os estilos emergentes da Bauhaus.[5][6][7] O Estilo Tipográfico Internacional é muitas vezes considerado o de maior influência sobre o flat design, e o seu surgimento e popularização durante os anos 1950 e 1960 é considerado como o ponto de partida do design plano.[8]

O Flat design foi inicialmente introduzido pela Microsoft, com o seu visual Metro. Em 2002, a Microsoft lançou o Windows Media Center e, em 2006 o Zune, um MP3 player das quais continha elementos de design plano (flat design). A Microsoft continuou este estilo de design com o lançamento do Windows Phone 7. O projeto veio acompanhado por fontes sem-serifa na tipografia e imagens com design flat. Devido ao sucesso do design do Windows Phone 7, a Microsoft lançou o Windows 8, sistema operacional baseado no Metro, com a mesma estilo "chapado". O uso de cores ousadas, tipografia simples e sombra são alguns dos elementos cruciais do plano de flat web design. Novamente, o design é dominado por bordas nítidas, cores vivas e tipografia simples e nítida. A Microsoft mudou os seus produtos atuais para o estilo visual Metro, incluindo o Xbox 360, Microsoft Office, e o próprio site da Microsoft.

Em 2013, a Apple lançou o iOS 7 com flat UI design,[9] afastando-se do skeuomorphic design.

Em 2014, a Google lançou o Material Design para que os desenvolvedores incorporem esta sua linguagem de design para aplicativos Android e Chrome OS. O Material Design tem sido chamado de flat design,[10] apesar de incluir alguns elementos de skeuomorphism como sombras.[11][12]


No final de 2014, o Flat 2.0 fez uso de sutis gradações de cor e sombras para servir em uma melhor experiência do usuário para os usuários finais.[carece de fontes?]

Os designers atualizaram para o Flat 2.0, pois era um desafio apresentar interações com o projeto totalmente plano da versão anterior.[carece de fontes?]

Em 2016, a maioria dos principais sistemas operacionais móveis foram adaptados para o flat design, incluindo o BlackBerry OS 10, Tizen OS e KDE Plasma 5.[carece de fontes?]

Críticas[editar | editar código-fonte]

O Flat design tem sido criticado por fazer interfaces de usuário não intuitivas e estáticos. Ao fazer todos os elementos de design (menus, botões, links, etc.) de forma totalmente simples e sem muitos detalhes, distinguir a função que um elemento tem pode tornar-se mais difícil, por exemplo, determinar se um elemento é um botão ou um indicador.[13] Pesquisas tem mostrado que o design plano (flat design) é mais popular entre os jovens adultos que entre adultos mais velhos. A pesquisa também mostrou que, enquanto os jovens parecem mais rápidos na hora de navegar em designs flat, eles também têm problemas com o entendimento da interface do usuário.[14] Em 2013, Jakob Nielsen, um especialista em design de interface de usuário e usabilidade, disse que o design plano era uma "ameaça à usabilidade no tablet". Nielsen também propôs uma alternativa, um meio-termo entre skeuomorphism e design plano.[15]

Referências

  1. Deb Dey (20 Setembro 2016). «Why Flat Web Design is Always a Good Choice». Webs Agency. Consultado em 21 de setembro de 2016 
  2. Turner, Amber Leigh (19 de março de 2014). «The history of flat design: How efficiency and minimalism turned the digital world flat». The Next Web. Consultado em 11 de abril de 2014 
  3. Carrie Cousins (28 de maio de 2013). «Flat design principles». designmodo.com 
  4. Clum, Luke (13 de maio de 2013). «A Look at Flat Design and Why It's Significant». UX Magazine. Consultado em 11 de abril de 2014 
  5. Diogo Terror (17 de julho de 2009). «Lessons From Swiss Style Graphic Design». Smashing magazine. Consultado em 28 de março de 2014 
  6. «A brief history of flat design». Tech Samurais. 31 de julho de 2013 
  7. Xavier Bertels (5 de março de 2014). «The History of Flat Design». Xavier Bertels. Consultado em 23 de dezembro de 2014 
  8. Taimur Asghar (9 de julho de 2014). «The True History of Flat Design». Web Design Ai 
  9. Verve (17 de agosto de 2015). «The History of Flat Design». Infographics 
  10. Summers, Nick (26 de junho de 2014). «9 Principles Google Created for its 'Material Design' UI Refresh» (em inglês). Consultado em 4 de julho de 2016 
  11. «Flat Design vs. Material Design: How Are They Different? - Designmodo» (em inglês). 10 de abril de 2015. Consultado em 4 de julho de 2016 
  12. «Flat Design vs. Material Design: What Makes Them Different? | Creative blog by Adobe». Adobe Dreamweaver Team Blog. Consultado em 4 de julho de 2016 
  13. «Why the Flat Design Trend is Hurting Usability». Vandelay Design (em inglês). 7 de abril de 2015. Consultado em 6 de julho de 2017 
  14. «The Problem With Flat Design, According To A UX Expert». Co.Design (em inglês). 23 de março de 2016. Consultado em 6 de julho de 2017 
  15. «Tablet Usability: Findings from User Research». www.nngroup.com. Consultado em 6 de julho de 2017