Flaviano de Constantinopla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: São Flaviano redireciona para este artigo. Para outros significados, veja Flaviano.
São Flaviano de Constantinopla
Flaviano de Constantinopla
Arcebispo de Constantinopla, Mártir
Morte 11 de agosto de 449 em Hipepa, Lídia, Ásia Menor
Veneração por Igreja Católica e Igreja Ortodoxa
Canonização 451 por Concílio de Calcedônia
Principal templo Relíquias são veneradas na Itália
Festa litúrgica 18 de fevereiro
Gloriole.svg Portal dos Santos

Flaviano (em latim: Flavianus ou Phlabianus) foi um Arcebispo de Constantinopla de 446 até 449. Ele é venerado como um santo pela Igreja Católica e pela Igreja Ortodoxa.

Na Igreja Católica, São Flaviano é comemorado em 18 de fevereiro, a data atribuída a ele no Martirológio romano. Ele não deve ser confundido com Flaviano de Ricina.[1]

Vida e obras[editar | editar código-fonte]

Papa Leão I, grande amigo de Flaviano.
Por Francisco de Herrera, o moço, atualmente no Museu do Prado

Flaviano era o guardião dos vasos sagrados da grande Igreja de Constantinopla e, de acordo com Nicéforo Calisto Xantópulo, tinha a reputação de levar uma vida santificada quando ele foi escolhido para ser Arcebispo de Constantinopla.

Durante a sua consagração, o imperador romano Teodósio II estava em Calcedônia. Seu eunuco, Crisápio, tentou extorquir um presente de ouro para o imperador, mas como não conseguiu, ele começou a articular contra o novo Arcebispo dando seu apoio ao arquimandrita Eutiques em sua disputa com Flaviano.

Flaviano presidiu sobre um concílio de quarenta bispos em Constantinopla em 8 de novembro para resolver a disputa entre o bispo metropolita de Sárdis e dois bispos de sua província. Eusébio, bispo de Dorileia, apresentou seu caso contra Eutiques. O discurso de Flaviano permanece até hoje e termina com um apelo ao bispo de Dorileia: "Deixe sua excelência condescender ao ponto de visitá-lo e discutir com ele sobre a fé verdadeira e se ele se mantiver firme no erro, então ele deverá ser convocado à nossa assembleia sagrada e deverá responder por si mesmo". Eventualmente, o sínodo terminou por depor Eutiques.

Porém, como Eutiques protestou contra este veredito e recebeu o apoio de Dióscoro, Patriarca de Alexandria, o imperador convocou outro concílio em Éfeso. Neste concílio, que se reuniu no dia 8 de agosto de 449, Eutiques e Dióscoro atacaram violentamente o Arcebispo. O concílio então reinstalou Eutiques. Flaviano foi deposto e foi atacado fisicamente, terminando por morrer em seguida, em 11 de agosto, em Hipepa, na Lídia, por conta dos ferimentos recebidos neste ataque e foi enterrado secretamente.

Resultado[editar | editar código-fonte]

O Papa Leão I, cujos legados foram ignorados no concílio (eles traziam cartas do Papa para Flaviano e para Eutiques), e protestou, primeiro chamando o sínodo de "Latrocínio de Éfeso" ou "Sínodo de Ladrões" e declarando que suas decisões não tinham valor.

Após Teodósio II ter morrido em 450, sua irmã Pulquéria retornou ao poder, casando com o oficial Marciano, que se tornou o imperador. O novo casal imperial trouxeram de volta para a capital os restos mortais de Flaviano de uma forma que, nas palavras do autor, pareciam mais "um triunfo…que uma procissão funeral". O Concílio de Calcedônia, convocado em 451, condenou novamente Eutiques, confirmou o "Tomo de Leão" (epístola 28) e canonizou Flaviano como um mártir.

Fontes[editar | editar código-fonte]

Entre os documentos que citam a carreira de Flaviano estão a resposta de Pedro Crisólogo, arcebispo de Ravena, a um apelo de Eutiques e várias cartas de Teodoreto. O Papa Leão I também escreveu uma bela carta para ele antes de saber que ele estava morto.

Outros autores que tratam da vida de Flaviano:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Flaviano de Constantinopla
(446 - 449)
Precedido por: Cruz ortodoxa.png
Lista dos patriarcas ecumênicos de Constantinopla
Sucedido por:
Proclo 44.º Anatólio

Referências

  1. «Flaviano de Ricina» (em italiano). Sancti beati. Consultado em 18 de fevereiro de 2011 
  2. Epístola 23. To his well-beloved brother Flavian the bishop (em inglês). [S.l.]: Newadvent.org  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  3. Epístola 26. A Second One from Flavian to Leo. (em inglês). [S.l.]: Newadvent.org  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  4. Epístola 27. Leo to Flavian, bishop of Constantinople (em inglês). [S.l.]: Newadvent.org  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  5. Epístola 28. The Tome (em inglês). [S.l.]: Newadvent.org  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  6. Epístola 44. Leo, the bishop, and the holy Synod which is assembled at Rome to Theodosius Augustus (em inglês). [S.l.]: Newadvent.org  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  7. «1». História Eclesiástica. Death of Arcadius, and Government of Theodosius the Younger. His Sisters. Piety, Virtue, and Virginity, of the Princess Pulcheria; her Divinely Loved Works; she educated the Emperor Befittingly. (em inglês). IX. [S.l.]: Newadvent.org  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]