Saltar para o conteúdo

Flávio Venturini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Flavio Venturini)
Flávio Venturini
Flávio Venturini
Informação geral
Nome completo Flávio Hugo Venturini
Nascimento 23 de julho de 1949 (74 anos)
Local de nascimento Belo Horizonte, MG
Brasil
Nacionalidade brasileiro
Gênero(s) MPB
pop
rock
rock progressivo
Ocupação(ões) Cantor, tecladista, pianista e compositor
Instrumento(s) Voz
Teclado
Piano
Violão
Período em atividade 1974-presente
Afiliação(ões) O Terço
14 Bis
Milton Nascimento

Clube da Esquina

Flávio Hugo Venturini (Belo Horizonte, 23 de julho de 1949) é um cantor, tecladista, pianista e compositor brasileiro.[1]

Flávio descobriu a música aos 3 anos de idade e aos 15 começou sua formação musical. Acordeon foi o seu primeiro instrumento. Logo depois ganhou de seu pai um piano, e assim começou seus estudos na Fundação de Educação Artística de Belo Horizonte, onde estudou percepção musical e piano.

Foi revelado nos anos 1970 pelo movimento Clube da Esquina, que também revelou Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes, entre outros.

Participou do grupo musical O Terço[2], entre 1974 e 1976, antes de criar em 1979 o grupo 14 Bis, pelo qual fez sucesso entre 1980 e 1989, quando saiu do grupo para seguir carreira solo[2], também com grande sucesso.

Entre seus principais sucessos, como compositor ou intérprete, estão "Todo Azul do Mar", "Linda Juventude", "Planeta Sonho", "Nascente", "Nuvens", "Espanhola" (parceria com Guarabyra, da dupla Sá e Guarabyra), que é sua música mais conhecida e foi um grande hit entre 1986 e 1987; e "Mais Uma Vez" (parceria com Renato Russo, líder da Legião Urbana, que foi gravada originalmente pelo 14 Bis em 1987 e ganharia uma nova versão em 2003,[3] apenas com a voz de Renato e incluída na trilha sonora da telenovela Mulheres Apaixonadas). Da carreira-solo, destacam-se, entre outras músicas, "Princesa", "Besame", "Céu de Santo Amaro" e "Noites com Sol".

Iniciou em 2015 o projeto “Encontro Marcado com Sá & Guarabyra e 14 Bis”, que foi registrado em CD e DVD.

Em 2020, lançou Paisagens sonoras – Volume 1, com parcerias com Ronaldo Bastos, Nilson Chaves e Luiz Carlos Sá.[4]

Flávio Venturini, na infância, foi coroinha da Igreja Católica. Também já foi militar e jogador de futebol.

É irmão do também músico Cláudio Venturini.[5]

É torcedor do América-MG.[6][7]

Em 2005, Flávio forneceu uma entrevista ao Museu da Pessoa [8], descreve qual foi sua principal inspiração para sua trilha no mundo da música e também como foi seu começo desse caminho durante sua juventude.

"Essa coisa toda dos Beatles eu acho que me fez realmente, me levou para música; tinha aquele sonho de um dia tocar em algum grupo, alguma banda, sei lá. Sentou atrás de mim um amigo, um grande amigo até hoje; um ator aqui de Belo Horizonte, chamado Kimura. Ele tocava uma gaitinha, sentava atrás de mim; tinha um piano no corredor da escola e a gente, nos intervalos, ficava ali fazendo um som. Eu tinha começado a estudar piano um pouquinho, tinha ganhado um acordeom. O primeiro instrumento tinha sido um acordeom que a minha mãe me deu também, que foi a minha iniciação mesmo com a teoria musical, porque eu tinha aulas. Meu pai tinha um restaurante e nesse restaurante tinha um piano, tinha som à noite; tocava um trio, Piano Bar mesmo. Eu ia para lá de tarde, começava a tocar."
— Flávio Venturini

 Em entrevista ao Museu da Pessoa

  • 1979 - 14 Bis 70.000
  • 1980 - 14 Bis II
  • 1981 - Espelho das Águas
  • 1982 - Além Paraíso
  • 1983 - A Idade da Luz
  • 1985 - A Nave Vai
  • 1987 - Sete
  • 1988 - Ao Vivo

Nota: todos os álbuns do 14 Bis ainda com a participação de Flávio Venturini foram lançados pela EMI-Odeon.

  • 1982 - Nascente (EMI/Odeon)
  • 1984 - O Andarilho (EMI/Odeon)
  • 1990 - Cidade Veloz (Chorus/Som Livre)
  • 1992 - Ao Vivo (Som Livre)
  • 1994 - Noites com Sol (Velas) 100.000
  • 1996 - Beija-Flor (Velas)
  • 1997 - Flavio Venturini e Toninho Horta no Circo Voador (Dubas)
  • 1998 - Trem Azul (EMI/Odeon)
  • 1999 - Linda Juventude (Som Livre) (lançado em CD e DVD)
  • 2003 - Porque Não Tínhamos Bicicleta (Trilhos)
  • 2005 - Luz Viva (Trilhos)
  • 2005 - Aquela Estrela (Trilhos)
  • 2006 - Canção Sem Fim (Trilhos)
  • 2009 - Não Se Apague Esta Noite (Trilhos/Som Livre) (lançado em CD e DVD)
  • 2013 - Venturini
  • 2019 - Paraíso - Flávio Venturini & Orquestra DoContra

Tributos a Flavio Venturini

[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Ouça o que poucos sabem sobre Flávio Venturini». OsPaparazzi. Consultado em 17 de outubro de 2023 
  2. a b «Flávio Venturini - Dados Artísticos». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Consultado em 26 de março de 2013 
  3. «Flávio Venturini fala sobre parceria com Renato Russo em "Mais uma Vez"; líder do Legião Urbana faria 43 anos». UOL Música. 27 de março de 2003. Consultado em 26 de março de 2013 
  4. «Flávio Venturini mapeia 'Paisagens sonoras' em álbum que segue trilhas da sinfonia pop mineira». G1. 3 de dezembro de 2020. Consultado em 17 de outubro de 2023 
  5. Minas, Estado de (21 de agosto de 2020). [https://www.em.com.br/app/noticia/cultura/2020/08/21/interna_cultura,1178003/live-4-irmaos-reune-as-familias-borges-e-venturini.shtml «Live '4 irm�os' re�ne as fam�lias Borges e Venturini»]. Estado de Minas. Consultado em 17 de outubro de 2023  replacement character character in |titulo= at position 12 (ajuda)
  6. «Notas Contemporâneas: Flávio Venturini - Estúdio | Acervo MIS». acervo.mis-sp.org.br. Consultado em 6 de setembro de 2021 
  7. «Ouça o que poucos sabem sobre Flávio Venturini». OsPaparazzi. Consultado em 6 de setembro de 2021 
  8. «Atleta de palavra». Museu da Pessoa. 18 de maio de 2005. Consultado em 22 de novembro de 2023 

Ligações externas

[editar | editar código-fonte]
Ícone de esboço Este artigo sobre um músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.