Floresta Nacional de Ipanema

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Floresta Nacional de Ipanema
Categoria VI da IUCN (Área Protegida de Manejo de Recursos)
Localização São Paulo, Brasil
Dados
Área 5 385 ha[1]
Criação 20 de maio de 1992[2]
Gestão ICMBio[1][3]
Sítio oficial www.icmbio.gov.br/flonaipanema
Coordenadas 23° 25' 49" S 47° 37' 22" O
Floresta Nacional de Ipanema está localizado em: Brasil
Floresta Nacional de Ipanema

A Floresta Nacional de Ipanema (FLONA de Ipanema) é uma unidade de conservação brasileira administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio. Está localizada no interior do estado de São Paulo e abrange parte dos municípios de Araçoiaba da Serra, Iperó e Capela do Alto. A missão da Flona de Ipanema é proteger, conservar e restaurar os remanescentes de vegetação nativa do domínio de Mata Atlântica, especialmente o Morro Araçoiaba, e seus ambientes associados, seus atributos naturais, históricos e culturais, promover o manejo florestal, o uso público e ser referência em integração socioambiental, pesquisa e disseminação de conhecimentos[4].

Sítio histórico

Histórico[editar | editar código-fonte]

A Floresta Nacional de Ipanema foi criada pelo Decreto nº 530 da Presidência da República, de 20 de maio de 1992.[2] Quando foi criada, era administrada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - Ibama. Atualmente sua administração está a cargo do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

A FLONA guarda testemunhos da história, com sítios arqueológicos anteriores à chegada dos colonizadores. Esses sítios estão protegidos pela mata densa do Morro Araçoiaba, um fenômeno geológico, de formação vulcânica, com grande diversidade mineral, sendo a magnetita o minério predominante e utilizado para a fabricação de ferro na Real Fábrica de Ferro São João de Ipanema. O empreendimento foi fundado por D. João VI em 1810, mas a extração de ferro na área já era conhecida desde o século XVI, quando a expedição de Afonso Sardinha e seu filho resultou na construção de duas forjas, em 1589, reconhecidas pela Associação Mundial de Produtores de Aço como a primeira tentativa de manufatura de ferro em solo americano.

Caracterização da área[editar | editar código-fonte]

Com aproximadamente 5 069 ha de área, sua vegetação é caracterizada como de transição entre a floresta estacional semidecídua e o cerrado paulista. Sua fauna é composta por mais de 322 espécies de aves, 67 de mamíferos, 18 de anfíbios e 15 de répteis, dentre os quais se destacam: o lobo-guará, a jaguatirica, a lontra, cachorro-do-mato, irara, tamanduá-bandeira, urubu-rei, águia-cinzenta, águia-pescadora, pavó, tucano-toco, sapo-ferreiro, urutu-cruzeiro, cascavel e teiú.

Além de seu patrimônio natural, abriga construções e resquícios da Real Fábrica de Ferro São João do Ipanema. Na FLONA também funciona a Acadebio (Academia Nacional da Biodiversidade), do ICMBio.

Referências

  1. a b «FLORESTA NACIONAL DE IPANEMA». Cadastro Nacional de Unidades de Conservação. 7 de outubro de 2012. Consultado em 7 de outubro de 2012 
  2. a b «DECRETO No 530, DE 20 DE MAIO DE 1992». Presidência da República - Casa Civil- Subchefia para Assuntos Jurídicos. 20 de maio de 1992. Consultado em 24 de dezembro de 2011 
  3. «Flona de Ipanema». Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Consultado em 7 de outubro de 2012 
  4. «Site oficial da Floresta Nacional de Ipanema». ICMBio. Consultado em 13 de outubro de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre Unidades de Conservação da Natureza é um esboço relacionado ao Projeto Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.