Música folclórica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Folk music)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para por outras acepções, veja Folk (desambiguação).
Música folclórica
Béla Bartók gravando cantores camponeses eslovacos em 1908.
Origens estilísticas Música tradicional
Contexto cultural Diferentes nações ou regiões
Instrumentos típicos Ver instrumentos folclóricos
Formas derivadas Música popular - música contemporânea - música de protesto - canção de trabalho - sea shanty (ver: tradições da música folclórica)
Outros tópicos
Música do Mundo

A música folclórica (também conhecida pela abreviatura folk),[1] segundo a etimologia do termo adotada no século XIX, é a música feita pela sabedoria popular (do inglês folklore: folk significa gente ou povo e lore significa conhecimento). A denominaçāo indicava especialmente a música feita pela sociedade pré-industrial, fora dos circuitos da alta cultura urbana. O termo inclui tanto a música tradicional quanto o gênero que evoluiu a partir dela durante o "renascimento folk" (folk revival) do século XX. O termo tem origem no século XIX, mas muitas vezes é aplicado a música que é mais antiga do que isso. Alguns tipos de música folclórica também são chamados de música do mundo (world music). O folk tradicional tem sido definido de várias maneiras: como música transmitida oralmente, música com compositores desconhecidos, ou música realizada por costume durante um longo período de tempo. Foi contrastado com estilos comerciais e clássicos.

A partir de meados do século XX uma nova forma de música folclórica evoluiu a partir da música folclórica tradicional. Este processo e período são chamados de "(segundo) folk revival" e atingiu um máximo na década de 1960. Esse estilo de folk às vezes é chamado de folk contemporâneo para distingui-lo das formas folclóricas anteriores. Reavivamentos menores e semelhantes ocorreram em outras partes do mundo noutras ocasiões, mas o termo música folclórica não foi tipicamente aplicado à nova música criada durante esses reavivamentos. Este tipo de música folclórica também inclui gêneros de fusão, como indie folk, folk rock, folk metal, electric folk e outros. Enquanto a música folclórica contemporânea é um gênero geralmente diferente da música folclórica tradicional, em inglês ela compartilha o mesmo nome (folk music), e muitas vezes compartilha os mesmos artistas e locais que a música folclórica tradicional.

História[editar | editar código-fonte]

Durante o século XX o termo "folk music" recebeu um segundo significado: um tipo específico de música popular que é descendência cultural da música tradicional rural, ou de outro modo influenciada por ela.

Entendida no primeiro significado, a música folclórica sobrevive melhor em zonas onde a sociedade, geralmente rural, ainda não é afetada pela comunicação de massas e pela comercialização da cultura. Era geralmente partilhada e executada pela comunidade como um todo, sendo muitas vezes transmitida pela tradição não escrita.

As canções tradicionais de um povo tratam de quase todos os tipos de atividades humanas. Assim, muitas destas canções expressam crenças religiosas ou políticas de um povo ou descrevem sua história. A melodia e a letra de uma canção popular podem sofrer modificações no decorrer de um tempo, pois normalmente a transmissão é oral e passam de geração em geração.

Vertentes[editar | editar código-fonte]

As "canções de dança" são um dos tipos mais antigos de música popular. Cantadas como acompanhamento para danças, o nome de seus compositores perdeu-se no tempo. Muitas são ainda associadas ao lugar de origem, como a gavota francesa, a mazurca e a polca, da Polônia, o fado e o vira de Portugal, e a tarantela da Itália.

As canções lendárias são geralmente de origem semi-conhecida, às vezes literária, e têm caráter poético. Expressam os acontecimentos interpretados através da perspetiva do cantor. São exemplos disso os romances de tema épico ou criminoso.

As danças e jogos infantis são transmitidas por uma peculiar camada da sociedade que, não utilizando a escritura como meio de transmissão, assemelha à sociedade rural adulta.

No Brasil são geralmente de origem europeia e reduzem-se praticamente às cantigas de roda. Algumas são de criação nacional com influência das modinhas (como "Nesta Rua tem um Bosque"; outras têm influência africana (como "Sambalelê").

As danças populares de sociedade podem ser divididas em dramáticas e não dramáticas. As dramáticas compreendem uma parte representada e têm um tema determinado, como por exemplo Bumba-meu-boi do Norte do Brasil. As não dramáticas não contêm elementos de representação. No Brasil a maior parte delas segue duas espécies de formação: em roda, às vezes com solista no centro de origem africana ou portuguesa ou em fileiras opostas, de origem indígena ou nacional.

Folk revival[editar | editar código-fonte]

Folk revival ou roots revival (algo como "renascimento das raízes") é uma tendência de jovens intérpretes que popularizam o estilo de música tradicional de seus ancestrais.[2] Na América do Norte, durante as décadas de 1930/40, o cantor e compositor Woody Guthrie emergiu da poeira de Oklahoma e da Grande Depressão em meados do século XX, com letras que expunham seus pontos de vista sobre ecologia, pobreza e sindicalização nos EUA, tudo isso com melodias que refletiam os muitos gêneros da música folk americana.

Muitas vezes, as revivals incluem uma adição de canções recém-compostas com letras politicamente conscientes, bem como uma modernização do som tradicional.

Características associadas a um renascimento das raízes inclui:

  • A popularização de estilos pouco populares da música folclórica
  • Adaptação de estilos folclóricos ao pop (ou rock)
  • Invenção de novos formatos como bandas onde apenas os artistas solo existiam
  • Introdução de novos instrumentos
  • Composição das obras por quem vai interpretá-las, em oposição às músicas folk que eram principalmente transmitidas oralmente (ver cantor-compositor)
  • Incorporação de letras politicamente conscientes, muitas vezes críticando um governo, religião ou outra autoridade ou sociedade em geral.

Folk contemporâneo[editar | editar código-fonte]

Folk contemporâneo
O cantor e compositor norte-americano Bob Dylan em 1963. O artista é conhecido por suas canções de cunho político e social e foi um dos precursores do folk contemporâneo.
Origens estilísticas
Contexto cultural Início do século XX
Instrumentos típicos
Formas derivadas Skiffle
Subgêneros
Gêneros de fusão
Outros tópicos
Blues / Country / Bluegrass

Música folclórica contemporânea (ou folk music), é uma grande variedade de gêneros musicais que surgiram em meados do século XX e que foram influenciados pela música folclórica tradicional e também pela música popular (rock, pop, jazz, blues, etc.)[3]

Tendo seu início em meados do século XX, é uma nova forma de música folclórica popular e evoluiu a partir da música folclórica tradicional. Este processo e período são chamados de folk revival (em português: "renascimento da música folclórica/tradicional") e atingiu seu ápice na década de 1960. O nome mais comum para esta nova forma de música também é folk, mas é muitas vezes chamado de "folk contemporâneo", para fazer a distinção entre o folk tradicional e o "novo folk". Enquanto a música folclórica contemporânea é um gênero geralmente diferente da música folclórica tradicional, muitas vezes ambos os gêneros compartilham o mesmo nome. Inclusive, canções individuais podem ser uma mistura dos dois estilos.[1]

Uma das primeiras figuras deste avivamento da folk music foi o cantor e compositor americano Woody Guthrie, que cantou canções tradicionais nas décadas de 1930 e 1940, além de compor seu próprio repertório. No Reino Unido, o "renascimento folk" promoveu uma geração de cantores e compositores como Donovan, que alcançou proeminência inicial na década de 1960. O revival da música folk gerou a primeira onda verdadeira de artistas internacionalmente bem-sucedidos do Canadá, como Gordon Lightfoot, Leonard Cohen, Joni Mitchell e Buffy Sainte-Marie.

Entre os principais artistas que surgiram a partir da década de 1940 até o início da década de 1960 incluem-se também Pete Seeger, Joan Baez e Bob Dylan. O uso de instrumentos elétricos por Dylan ajudou na criação de gêneros como folk rock e country rock, particularmente pelo seu álbum John Wesley Harding (1967).[4] A metade da década de 1960 até o início da década de 1970 foi associada a grandes mudanças musicais, políticas, de estilo de vida e de contracultura. A música folclórica sofreu uma rápida evolução, expansão e diversificação relacionadas ao mesmo tempo. Grandes mudanças ocorreram através da evolução de artistas como Bob Dylan, Joan Báez, Judy Collins, The Seekers e Peter, Paul and Mary, e também através da criação de novos gêneros de fusão com rock e música pop. Durante esse período, o termo "música de protesto" foi frequentemente usado para caracterizar a música folk com tópicos políticos atuais. Os artistas canadenses Gordon Lightfoot, Leonard Cohen, Bruce Cockburn e Joni Mitchell representaram tais fusões e gozaram de grande popularidade nos Estados Unidos. No final da década de 1960, assistiu-se ao advento de grupos folclóricos elétricos (chamado electric folk), uma forma de folk-rock.

Outros subgêneros do folk são o anti-folk, folk punk (por exemplo, a banda irlandesa The Pogues na década de 1980), indie folk, folktronica, freak folk e Americana; além de gêneros de fusão como folk metal, folk progressivo, folk psicodélico e neofolk.[1] O folk é conhecido por ser um estilo de música acústico.[5]

Definições[editar | editar código-fonte]

Joan Baez e Bob Dylan nos anos 60.

De acordo com o site AllMusic, o folk contemporâneo "refere-se aos cantores e compositores folk pós-Bob Dylan nos anos 70 e além." Ainda de acordo com a definição do site, "Antes de Dylan, a maioria dos intérpretes folclóricos interpretava músicas folclóricas clássicas ou escrevia canções tópicas de base ampla. Depois de Dylan, cantores folclóricos mudaram sua abordagem. Não só sua música se abriu, aceitando certas técnicas de produção de pop/rock e instrumentação, mas suas canções se tornaram cada vez mais introspectivas, concentrando-se no pessoal em vez do social. Nas décadas seguintes, os cantores folclóricos contemporâneos às vezes atravessavam o pop, mas seu som permanecia enraizado nas tradições folclóricas e costumavam frequentar seus próprios círculos, lançando álbuns em selos independentes e tocando em clubes folclóricos e casas de café."[6]

As definições de "folk contemporâneo" são geralmente vagas e variáveis.[7] Aqui, entende-se toda a música que é chamada folk e que não é música tradicional, um conjunto de gêneros que começou com (a música tradicional) e, em seguida, evoluiu a partir do folk revival de meados do século XX. De acordo com Hugh Blumenfeld (sobre a cena folk norte-americana):[5]

Este é o uso comum do termo "música folclórica contemporânea", mas não é o único caso de evolução de novas formas tradicionais. A música country contemporânea evoluiu de uma tradição folclórica rural americana, porém de forma diferente. A música Bluegrass é um desenvolvimento profissional da música americana antiga, misturada com blues e jazz.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c What is Folk Music?
  2. All about the folk revival
  3. Contemporary folk music
  4. Digital Library
  5. a b Folk music
  6. Contemporary folk AllMusic
  7. The Never-Ending Revival by Michael F. Scully University of Illinois Press Urbana and Chicago 2008 ISBN 978-0-252-03333-9
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.