Fome soviética de 1932–1933

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Fome soviética de 1932-1933)
Ir para: navegação, pesquisa

A fome soviética de 1932-1933 afetou as principais áreas produtoras de grãos da União Soviética, que incluía a Ucrânia, o Cáucaso do Norte, a Região do Volga e o Cazaquistão,[1] os Urais Sul, o Oeste da Sibéria.[2] [3] A manifestação da fome na República Socialista Soviética da Ucrânia é conhecida como "Holodomor". Ao contrário da grande fome russa de 1921, as informações sobre a fome de 1932-1934 foram deliberadamente suprimidas da historiografia soviética pelas autoridades da União Soviética, não só pelo regime de Stalin, mas também pelos seus sucessores até a perestroika e a glasnost, as reformas políticas e econômicas lançadas por Mikhail Gorbachev entre 1986-1987 que puseram fim à União Soviética no início dos anos 1990.

Contexto[editar | editar código-fonte]

A coletivização forçada da agricultura pelo governo soviético é considerada por alguns como uma das principais razões para a fome,[4] por ter causado caos no sistema produtivo no campo.

Isso incluiu a destruição de seus bens pelos camponeses, a venda e matança dos cavalos por medo de que seria apreendidos, e abstenção dos agricultores de trabalhar a terra. As autoridades culparam os kulaks (camponeses ricos) e kolkhozs (agricultores coletivizados), acusando-os de sabotagem.

O sinólogo e historiador Lucien Bianco compara fome na China nos anos de 1958-1962 com a fome Soviética de 1931-1933 na Ucrânia e sul da Rússia, apesar desta ter sido mais " modesta", com seis milhões de mortes. citando que Stalin usou a fome para punir o povo ucraniano por sua insolência nacionalista.[5]

Estimativas de perda de vidas[editar | editar código-fonte]

  • O livro The Years of Hunger: Soviet Agriculture, 1931–33 escrito por RW Davies e SG Wheatcroft (2004), dá uma estimativa de 5,5 a 6,5 ​​milhões de mortes.[6]
  • A Encyclopædia Britannica estima que de 6 a 8 milhões de pessoas morreram de fome na União Soviética durante este período, dos quais 4 a 5 milhões de ucranianos.[7]
  • Norman Naimark em sua obra Stalin's Genocides (2010) estima que 3 a 5 milhões de ucranianos morreram de fome.[8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências