Food Service

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde agosto de 2013). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada.
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Editor: considere colocar o Mês e o Ano da marcação. Isso pode ser feito automaticamente, substituindo essa predefinição por {{subst:wkf}}

O Food Service (ou Foodservice), também conhecido como Mercado de Alimentação Fora do Lar é mais usualmente definido como “o mercado que compreende a preparação de refeições, lanches e bebidas fora do lar, independente do local de consumo, e incluindo o delivery e o takeout”.

Assim, o local da preparação é o principal divisor de águas entre o Foodservice e o consumo doméstico de alimentos e bebidas.

Mercado[editar | editar código-fonte]

Globalmente, há mercados bastante maduros, destacando especialmente o Norte-americano, o Europeu e o Japonês. Outros mercados emergem mais recentemente, normalmente associados à abertura e desenvolvimento econômico dos Países, destacando, acima de tudo, a China.

Apesar de haver uma grande complexidade em torar diretamente comparáveis os dimensionamentos de mercado de muitos Países, a posição do Brasil no ranking global do Foodservice situa-se entre 4ª e 5ª posição.

Estados Unidos, China e Japão são os 3 maiores mercados do mundo (com a China já superando a posição histórica de liderança dos Estados Unidos). O Brasil situava-se na 4ª posição até poucos anos atrás, mas estima-se que tenha sido superado pela Índia, seja pelo forte crescimento daquele País, seja pelo período de baixo crescimento do nosso mercado a partir do ano de 2015.

Durante praticamente 2 décadas, até 2014, o mercado brasileiro crescia a uma taxa média anual nominal próxima de 15% a.a., taxa esta que recuou para a casa de 7% entre 2015 e 2018.

Os fundamentos que movimentam o Foodservice no Brasil também mudaram ao longo do tempo.

O crescimento acelerado deste mercado nas décadas de 1980, 1990 e 2000 tinham na Urbanização e na Ocupação das Mulheres no Mercado de Trabalho seus 2 principais vetores: em 1980, apenas 66% da população brasileira era urbana e hoje esta taxa já é de 88%; em 1980, apenas 27% das Mulheres estavam no Mercado de Trabalho, enquanto hoje já são mais de 45%.

Nos anos mais recentes, já com alta urbanização e forte presença feminina no mercado de trabalho, os principais vetores de crescimento do mercado passaram a ser Renda e Emprego; a correlação entre estas 2 variáveis e a movimentação do Foodservice superam os 96%.