Forças Armadas do Iêmen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Forças Armadas Iemenitas
القوات المسلحة اليمنية
Yemeni Armed Forces Emblem.svg
País Iêmen
Ramos Flag of the Yemeni Army.svg Exército
Flag of the Yemeni Navy.svg Marinha
Flag of the Yemeni Air Force.svg Força Aérea
Sede(s) Saná
Lideranças
Presidente Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi
Ministro da Defesa General Mohammad Nasser Ahmed Ali
Pessoal ativo ~ 66 700[1]
Orçamento US$ 1,4 bilhões
Indústria
Fornecedores estrangeiros  Bulgária
 Rússia
 França
 Irão
 China
 Reino Unido
 Estados Unidos
Militares iemenitas.

As Forças Armadas Iemenitas (em árabe: القوات المسلحة اليمنية) são a principal força de combate e defesa do Iêmen (ou Iémen). Seus três braços são: o exército (incluindo a Guarda Republicana), a marinha (incluindo os fuzileiros) e a força aérea (que inclui os sistemas de defesa antiaérea). Devido ao caos que o país passa desde 2011, o papel dos militares na vida pública do país é incerto. Com mais de 66 mil homens em suas fileiras, o exército depende muito da conscrição para conseguir recrutas. O atual formato das forças armadas aconteceu após a unificação do país, a 22 de maio de 1990, em que a República Árabe do Iêmen e o Iêmen do Sul viraram uma só nação.[2]

Em muitos períodos na história do país, desde sua independência na década de 1940, vários generais subiram ao poder. O atual presidente e comandante em chefe é o marechal Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi, que assumiu o cargo em 2012.

Por anos, o país teve uma das maiores forças armadas da região. O caos recente em que a nação se mergulhou reduziu muito o seu efetivo (principalmente por causa das deserções), mas a maioria dos militares permaneceu leal a liderança em Saná. Atualmente o exército tem 66 700 homens, a marinha 7 000 e a força aérea tem 5 000. O serviço militar compulsório foi retomado em 2007.

O Iêmen usou crianças soldado entre 2001 e 2004.[3] Eles continuam sendo usado, pelos militares e, principalmente, pelas milícias tribais até os dias atuais.[4]

Referências

  1. "Yemen Military Strength". Página acessada em 22 de março de 2015.
  2. "Compare Yemen Military to Yemen Military Stats". Página acessada em 22 de março de 2015.
  3. «President Bush Signs Law on Child Soldiers». Human Rights Watch 
  4. United States State Department, Country Reports on Human Rights Practices (2011)