Fortaleza de Abuli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A fortaleza de Abuli (em georgiano: აბულის ციხე ), é uma estrutura megalítica da Idade do Bronze localizada no município de Akhalkalaki, na região de Samtsje-Yavajeti, no sul da Geórgia. É uma fortaleza ciclópica construída com técnica de alvenaria seca, na encosta sul do Monte Patara Abuli, a uma altitude de 2.670 metros acima do nível do mar, nas montanhas do Cáucaso Menor, a sudeste do Lago Paravani.[1] A fortaleza inscreve-se na lista de Monumentos culturais da importância nacional.[2]

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

Fortaleza megalítica de Abuli.

A fortaleza Abuli, também conhecida localmente como Korogli, compartilha muitas características arquitetônicas com a fortaleza Shaori, outra importante estrutura ciclópica, estrategicamente localizada ao redor do Lago Paravani.[1]

A fortaleza Abuli é uma estrutura grande e complexa, construída com blocos de basalto vulcânico de 3 a 5 metros de altura, sem o uso de argamassa. Consiste em uma área central fortificada, que inclui a "cidadela" com uma área de 60 × 40 metros. A área central pode ser acessada através de duas portas localizadas ao sul e leste. Casas de tamanhos e formas diferentes são às vezes organizadas em dois ou três níveis, que constituem a chamada "área residencial" e se estendem a leste da "cidadela".[1][3]

Fondo arqueológico[editar | editar código-fonte]

Restos da fortificação de Abuli.

Nenhuma escavação arqueológica foi realizada em Abuli e Shaori, o que dificulta a datação precisa ou a designação para uma determinada cultura.[4] Em geral, a extensão das fortalezas ciclópicas é um testemunho arqueológico da mudança social no sul do Cáucaso, que reflete a diferenciação social e a ascensão das elites. Esses tipos de fortalezas eram comumente construídos na encosta da montanha. A distribuição de assentamentos e material cultural sugere que os responsáveis ​​por esses fortes nas montanhas exerceram controle sobre a terra arável e seus recursos, mas também podem ter fornecido funções econômicas e defensivas para as áreas do interior.[5]

Referências

  1. a b c Berdzenishvili, D. (2002). «ჯავახეთის ძველი სიმაგრეები [Old fortresses of Javakheti]». ka:ჯავახეთი. ისტორია და თანამედროვეობა. Javakheti. History and the Present. Akhaltsikhe: [s.n.] pp. 181–203 
  2. «List of Immovable Cultural Monuments» (PDF) (em georgiano) 
  3. Narimanishvili, Goderdzi; Khimshiashvili, Kakha (2009). «The Bronze Age Settlements from Trialeti». In: Skinner. Vakhtang Beridze 1st International Symposium of Georgian Culture — Georgian art in the context of European and Asian cultures; June 21-29, 2008, Georgia. (PDF). Tbilisi: [s.n.] p. 31. ISBN 978-9941-0-2005-6 
  4. Shanshashvili, Nino; Narimanishvili, Goderdzi (2014). «Environment and Dwelling in the Early and Middle Bronze Ages South Caucasus». In: Narimanishvili. International Conference: Problems of Early Metal age Archaeology of Caucasus and Anatolia. November 19-23, 2014 November 19-23, 2014, Georgia. (PDF). Tbilisi: [s.n.] p. 247. ISBN 978-9941-0-7134-8 
  5. Sagona, Antonio (2017). The Archaeology of the Caucasus: From Earliest Settlements to the Iron Age. [S.l.: s.n.] pp. 378–379 y 385–386. ISBN 9781139061254