Forte de São Francisco de Lovelhe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Forte de São Francisco de Lovelhe
Forte de Lovelhe.jpg
Forte de São Francisco de Lovelhe: aspecto das muralhas
Mapa de Portugal - Distritos plain.png <div style="position:absolute;top:Erro de expressão: Operador * inesperadopx; left:Erro de expressão: Operador * inesperadopx; width:3px; height:3px; background:#FF0000" title="Localização" onmouseover="width:5px;height:5px;">
Construção João IV de Portugal (1642)
Estilo Abaluartado
Conservação
Homologação
(IGESPAR)
N/D
Aberto ao público

O Forte de São Francisco de Lovelhe, também denominado como Forte de Azevedo, ou simplesmente como Forte de Lovelhe, localiza-se na Freguesia de Lovelhe, Concelho de Vila Nova de Cerveira, Distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Lovelhe já existia à época da ocupação romana da Península Ibérica, e como paróquia em 675, constituindo-se assim em uma das mais antigas freguesias de Portugal. Em eras remotas, antes do reinado do lendário rei Visigodo Vamba, terá existido aqui uma igreja matriz, reputada por sua riqueza e elegância, da qual não restaram vestígios.

O forte seiscentista[editar | editar código-fonte]

A sua fortificação data da época da Guerra da Restauração, integrante da linha defensiva que guarnecia a margem esquerda do rio Minho e aquele trecho do litoral atlântico português. Iniciado em 1642, por determinação do General e Mestre de Campo D. Francisco de Azevedo, cooperava com a Atalaia de Lovelhe e com o Castelo de Vila Nova de Cerveira, cujo assédio, em 1643, assistiu. As suas obras estavam concluídas em 1663.

O forte encontrava-se desguarnecido ainda em meados do século XVIII, embora à época se considerasse que, apesar das suas pequenas dimensões, tinha maiores potencialidades de defesa do que a fortificação de Cerveira.

Da Guerra Peninsular aos nossos dias[editar | editar código-fonte]

Forte de Lovelhe: detalhe de um dos baluartes.

Em 1797 D. Rodrigo de Lencastre mandou reconstruir o forte, que, cerca de dez anos mais tarde, teve um importante papel na defesa ativa da região face às invasões das tropas napoleônicas durante a Guerra Peninsular. À eóca, em 1809 uma explosão no interior do forte, provocada pelo exército francês, destruiu grande parte da estrutura da casamata.

Após este evento, o Forte de Lovelhe não voltou a ser recuperado, permanecendo, desde então, votado ao abandono.

Foi classificado como Sítios de interesse público em Portugal em 3 de outubro de 2018. A Comunidade Intermunicipal do Vale do Minho está a desenvolver um Plano Director das Fortalezas Transfronteiriças do Vale do Minho, com vistas à "valorização e divulgação das fortificações que constituem o sistema defensivo da fronteira luso-espanhola", no qual se insere o Forte de São Francisco.

Características[editar | editar código-fonte]

Erguido conforme os modelos e tipologias da arquitetura militar seiscentista, o forte apresenta planta pentagonal, sendo composto por cinco baluartes, quatro de dimensões iguais, dispostos lateralmente dois a dois, e um quinto, maior, edificado na parede fronteira à porta de armas. Em cada um dos ângulos dos baluartes foram dispostas guaritas circulares.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.