Fortim de São Lourenço

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Fortim de São Lourenço, veja Forte de São Lourenço (desambiguação).
Fortim de São Lourenço
Brazilian States.PNG
Construção D. Filipe II (1603)
Aberto ao público Não

O Fortim de São Lourenço localizava-se à margem esquerda da foz do rio Jaguaribe, no local conhecido como Passagem das Pedras, no litoral do atual estado brasileiro do Ceará.

História[editar | editar código-fonte]

SOUZA (1885) apenas refere esta fortificação, da qual colheu o nome na obra "Resumo Chronologico da História do Ceará", de João Brígido dos Santos (op. cit., p. 74).

O litoral do Ceará foi percorrido, entre 1603-1604, por terra, pelo Capitão-mor Pero Coelho de Souza. O Regimento, passado pela Coroa ibérica, determinava-lhe "descobrir por terra o porto do Jaguaribe, tolher o comércio dos estrangeiros, descobrir minas e oferecer paz aos gentios" e "fundar povoações e Fortes nos lugares ou portos que melhores lhe parecerem". Integravam a expedição Martim Soares Moreno, Simão Nunes e Manoel de Miranda, à frente de oitenta e seis europeus e duzentos indígenas. (BARRETTO, 1958:82-83).

Em obediência ao Regimento, iniciou, na foz do rio Jaguaripe, uma fortificação em 10 de agosto de 1603, antes de prosseguir para combater os franceses de Jacques Riffault na Ibiapaba. Constituía-se, certamente, em um simples entrincheiramento paliçado de campanha, em faxina e terra, com a função de proteção contra os ataques indígenas (BARRETTO, 1958:83).

Esse forte foi a segunda tentativa de Pero Coelho de estabelecer-se no Ceará, mas devido à seca que assolava o Ceará nos anos de 1605-06, também foi abandonado.[1]

GARRIDO (1940) informa que este fortim, primeiro estabelecimeto português na costa do Ceará, figura em iconografia de João Teixeira Albernaz, o Velho ("Descrição de todo o marítimo da Terra de Santa Cruz, vulgarmente chamado o Brasil", 1640. Biblioteca Nacional de Lisboa) (op. cit., p. 46).

Referências

  1. Girão, R. Pequena História do Ceará. Fortaleza: Editora Instituto do Ceará, 1962. p. 39-46.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • BARRETO, Aníbal (Cel.). Fortificações no Brasil (Resumo Histórico). Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Editora, 1958. 368 p.
  • GARRIDO, Carlos Miguez. Fortificações do Brasil. Separata do Vol. III dos Subsídios para a História Marítima do Brasil. Rio de Janeiro: Imprensa Naval, 1940.
  • SOUSA, Augusto Fausto de. Fortificações no Brazil. RIHGB. Rio de Janeiro: Tomo XLVIII, Parte II, 1885. p. 5-140.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma fortaleza é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.