Fosgênio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fosgênio
Alerta sobre risco à saúde[1]
Phosgene-dimensions-2D.svg Phosgene-3D-vdW.png
Nome IUPAC Diclorometanal, Cloreto de carbonila
Outros nomes CG; óxido de dicloreto de carbono; oxicloreto de carbono; dicloreto de carbonila; cloreto de cloformila; dicloroformaldeído; diclorometanona
Identificadores
Número CAS 75-44-5
PubChem 6371
Número EINECS 200-870-3
Número RTECS SY5600000
SMILES
Propriedades
Fórmula molecular CCl2O
Massa molar 98.92 g mol-1
Aparência gás incolor
Densidade 4.248 g/dm3 (15 °C)
1.432 g/cm3 (0 °C)
Ponto de fusão

−118 °C, 155 K, -180 °F

Ponto de ebulição

8.3 °C, 281 K, 47 °F

Solubilidade em água se hidrolisa
Solubilidade solúvel em benzeno, tolueno, ácido acético, se decompõe em álcool e ácido
Estrutura
Forma molecular Planar, trigonal
Momento dipolar 1.17 D
Riscos associados
MSDS ICSC 0007
Classificação UE Hazard TT.svgMuito tóxico (T+)
Índice UE 006-002-00-8
NFPA 704
NFPA 704.svg
0
4
1
 
Frases R R26 R34
Frases S S1/2 S9 S26 S36/37/39 S45
Ponto de fulgor não inflamável
Compostos relacionados
Outros aniões/ânions Tiofosgênio, Ácido carbônico, Ureia, Fluoreto de carbonila
Outros catiões/cátions Cloreto de nitrosila (NOCl), Cloreto de tionila (SOCl2)
Compostos relacionados Formaldeído, Monóxido de carbono, Ácido clorofórmico, Cloreto de metanoíla
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Fosgênio é um composto organoclorado formulado em , tóxico e corrosivo. é um gás branco quando puro e em temperatura ambiente, possui um cheiro de feno mofado, fosgênio pertence a família dos agentes de choque, agentes de choque são conhecidos por causar irritação severa ao nariz, garganta, olhos e o trato respiratório, o que causa em excesso de fluidos, estes fluidos acabam então por causar o sufocamento, mesmo sendo dito fosgênio não é um agente de sangue mas é classificado por sua natureza de cancelar o fornecimento de oxigênio que provem da respiração, agentes similares a fosgênio, são, Dióxido de nitrogênio, Cloro, Bromo, oxido nítrico e Difosgenio.

Usos[editar | editar código-fonte]

É usado na fabricação de polímeros de isocianato[2], agrotóxicos, corantes, produtos farmacêuticos, entre outros. Atualmente é usado na indústria como agente de cloração, porém foi usado da I Guerra Mundial como gás de guerra[3], do tipo sufocante, pelo fato de reagir com a água, formando o ácido clorídrico (HCl) e dióxido de carbono (CO2)[4].É classificado como produto perigoso, com a numeração internacional 1076, e sua manipulação requer equipamentos de proteção[5].

Propriedades[editar | editar código-fonte]

É um gás branco para amarelado em temperatura ambiente, a 0 graus Celsius tende a ferver emitindo fumos incolores, possui um cheiro de grama em baixas concentrações ou quando diluído em solução, quando em média e altas concentrações possui um cheiro de feno mofado sufocante, possui um ponto de fusão de -118 graus Celsius e um ponto de ebulição de 8,3 graus Celsius, fosgênio é levemente solúvel em água, sendo solúvel em benzeno, Tolueno e solventes hidrocarbonetos como o Hexano e pentano, o agente tende a persiste em ambiente fechado por dias, em ambientes abertos ele tende a reagir com a luz do sol o que acaba o decompondo em Dióxido de carbono e monóxido de Dicloro, um agente utilizado para a produção da O-mostarda e derivados de agente carcinogênicos, ou tende a reagir com a água presente no ambiente produzindo Cloreto de hidrogênio e Dióxido de carbono, fosgênio é solúvel em óleos e muito solúvel em solventes orgânicos, fosgênio é levemente solúvel em água e logo reage com ela.

Degradação e prazo de validade[editar | editar código-fonte]

Fosgênio possui uma ligação de Cl-C-Cl que tende a reagir e ser quebrada violentamente com pequenas quantidades de água ou ser neutralizada de forma fácil por Hidróxido ou soluções causticas, fosgênio tende a reagir em fotólise com o Oxigênio do Ar ou com Dioxido de Carbono, produzindo agentes como o Dioxido de carbono, Monoxido de dicloro, 1,2-Etenodiona, anidro do ácido clorofórmico, cloro gasoso monóxido de carbono e Cloreto de hidrogênio. em ambiente fechado o agente pode persistir por dias ou até semanas, em ambiente aberto pode degradar-se no máximo de um dia.

Reações do fosgênio em ambiente.png

Efeitos pela exposição[editar | editar código-fonte]

Pessoas expostas a pelo menos a 5 minutos podem ter um aumento dos fluidos pulmonares (catarro), exposição prolongada ao agente podem sofrer de hemorragia nos pulmões o que pode resultar na morte por sufocamento no próprio sangue, fosgênio é pouco solúvel em água o que faz com que viaje até as partes mais profundas dos pulmões e quando chega-se um ponto que o fosgênio reage com a água dos tecidos produzindo Cloreto de hidrogênio e Dióxido de carbono, a dor é causada pela interação do Cloreto de hidrogênio com a Bradicinina.

Mecanismo de ação[editar | editar código-fonte]

O agente quando é inalado vai até as partes pulmonar dos alvéolos e a parede capilar produzindo Cloreto de hidrogênio e dióxido de carbono e em 24 horas os alvéolos estarão inundados com fluidos, fosgênio altera a permeabilidade dos capilares alveolares, isto causa um severo edema pulmonar, esta ação causa também interferência com a troca gasosa dentro dos pulmões, esta interferência acaba por causar em falta de oxigênio no sangue e na perca de fluidos causando diminuição da quantidade de plasma sem diminuição do número de hematias, o que resulta no aumento relativo de hematias. Verifica-se, assim, aumento da densidade, aumento da viscosidade, aumento dos eritrócitos e aumento das proteínas, a falta de oxigênio causa problemas como cansaço, fraqueza e problemas cardíacos, estes efeitos causam um sério comprometimento do Epitélio brônquico, pessoas expostas de forma severa ao agente como a uma dose de 3200 miligramas morrem em um período de 12 para 24 horas.

Fabricação[editar | editar código-fonte]

O Fosgênio é fabricado de forma bastante simples na reação de Monóxido de carbono e Cloro gasoso, a reação utiliza um excesso de Cloro gasoso que atua como solvente da reação a -40 graus Celsius, nesta temperatura o Cloro é liquido, depois da reação a mistura é destilada a -10 graus Celsius para destilar o Cloro gasoso que agiu como solvente e depois a 10 graus Celsius para retirar o Fosgênio.

Produção do fosgênio.png

Processo de obtenção do Fosgênio

Em um frasco que pode-se ser fechado, coloca-se 142 gramas de Cloro liquido e fecha-se o recipiente esfrie-o a -40 graus Celsius e depois coloque por alguma entrada o Monóxido de carbono, o Monóxido de carbono é um agente de sangue então ele começará de absorver o cloro liquido, coloque de poucos a poucos no recipiente onde está o cloro até dar 28 gramas de Monóxido de carbono, mexa-se a solução durante a reação e deixe a reação ocorrer por 2 horas, passado as duas horas abra o recipiente e destile as impurezas a -10 graus Celsius, destilado as impurezas você destila o fosgênio a 8,3 graus Celsius.

Síntese 2[editar | editar código-fonte]

Neste processo o Fosgênio é produzido de maneira simples utilizando um processo de reação de cubos de gelo seco (dióxido de carbono) e Cloreto de hidrogênio frio, a reação irá produzir água e fosgênio.

Produção de fosgênio 2 .png

Processo de obtenção do Fosgênio

Em um frasco que pode-se ser fechado, coloca-se 45 gramas de gelo seco, logo depois esfria-se a solução a -10 graus Celsius e logo depois coloque-se 197 gramas de uma solução concentrada de Cloreto de hidrogênio 37%, logo fecha-se o recipiente e deixa-se a reação ocorrer por 2 horas, a reação pode causar pressão ou a transformação do dióxido de carbono em gás, tenha um recipiente que resista a esta pressão, utilize um medidor de pressão, logo passado as duas horas e não houver pressão ou ter pelo menos diminuído grande parte dela você abre o recipiente e retira a parte congelada que é a água e retira a parte liquida que é uma mistura de fosgênio e gás carbônico, destila-se a 0 graus Celsius e depois a 8 graus Celsius o fosgênio

Referências

  1. Merck Index, 11th Edition, 7310.
  2. CHEMELLO, Emiliano (Setembro de 2010). «Desastre em Bhopal» (PDF). Química Virtual. Consultado em 10 de agosto de 2015 
  3. «Armas químicas: do gás mostarda ao sarin». Exame.com. 27 de julho de 2012. Consultado em 10 de agosto de 2015 
  4. «MÓDULO IX - Envenenamento por Produtos Químicos Industriais». Laboratório de Tecnologias Cognitivas - UFRJ. Consultado em 10 de agosto de 2015 
  5. «Folha de Dados de Segurança do Produto, número 30» (PDF). AGA - Linde Gas Group. Consultado em 10 de agosto de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

[1] [2]

Ícone de esboço Este artigo sobre Química é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.