Fotoclubismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O fotoclubismo é um tipo de associativismo em que os membros se juntam para discutir ou realizar ações com objeto de promover o desenvolvimento da fotografia. Os primeiros Fotoclubes apareceram na França e na Inglaterra ainda em meados de 1850.

Principal fonte de produção artistica fotográfica brasileira na metade do século XX, principalmente pelos trabalhos produzidos no Foto Cine Clube Bandeirante, tradicional fotoclube paulistano em atividade até hoje.

História[editar | editar código-fonte]

A fotografia foi anunciada ao mundo, oficialmente ,em Paris, na Academia de Ciências da França, no dia 19 de agosto de 1839, consagrando o processo desenvolvido por Louis Jacques Mandé Daguerre.

Pesquisadores existiam em outros locais, que também haviam chegado a resultados satisfatórios, mas não tiveram os "padrinhos" que Daguérre teve. Entre eles, Hércules Florence que, no Brasil, na então pequenina Vila de São Carlos (hoje a cidade de Campinas, SP), comprovadamente já realizara fotografias em janeiro de 1833 e foi o criador, em 1832, do vocábulo "Photographie", definidor do processo de impressão de imagens pela ação da luz. O fato é que o invento de Daguérre conquistou êxito mundial e rapidamente se tornou conhecido em todo o mundo.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil , chegou em Janeiro de 1840 pelas mãos do abade Louis Compte, que o demonstrou no Rio de Janeiro. Com a divulgação do processo e sua repercussão popular, logo surgiram nos países da Europa e nos Estados Unidos, milhares de praticantes que em seguida se reuniriam em associações fotográficas onde expunham os resultados de suas pesquisas procurando aperfeiçoar o processo e discutiam as várias implicações técnico - artísticas que ele suscitava. Isso não aconteceu no Brasil, onde a divulgação da fotografia ficou restrita a poucos profissionais - a maioria dos quais estrangeiros que ali encontraram um novo e promissor meio de vida e, por razões obvias, procuravam guardar para si os "segredos" da nova arte.

Em 1950 o movimento fotoclubista atinge o seu maior potencial artístico e social, resultando na realização da primeira Convenção Brasileira de Arte Fotográfica e o surgimento de entidades nacionais como a a União Nacional de Fotoclubes e a Confederação Brasileira de Fotografia e Cinema, que passou a fazer parte da Fédération Internationale de l'Art Photographique (FIAP).[1]

Fotógrafos amadores[editar | editar código-fonte]

Muito pouco se conhece até hoje , de amadores que naqueles primeiros anos teriam praticado a daguerreotipia e os processos subsequentes. O Imperador d. Pedro II teria sido um dos primeiros. Enquanto nos outros países já se contavam as centenas as sociedades fotográficas (p.ex.Royal Photographic Soc.1853 em Londres, Societé Française de Photographie 1854 em Paris , Societá Fotográfica Subalpina 1889 em Turim), no Brasil , a primeira de que se tem notícia positiva aconteceu em Porto Alegre por volta de 1918 , onde elementos da colônia alemã fundaram o "Photo Club Helios".

Segundo alguns, tentativa anterior ocorrido no Rio de Janeiro , cerca de 1910 , com o "Photo Club do Rio de Janeiro", mas dele praticamente nada se sabe. Movimento mais consistente surgiu , ainda no Rio de Janeiro , em 1923, com o "Photo Clube Brasileiro "que reuniu os mais destacados amadores e profissionais do então Distrito Federal e encetou profícuo trabalho de divulgação da fotografia artística , publicando inclusive excelente revista.

Referências

  1. COSTA, Helouise. RODRIGUES, Renato. A fotografia moderna no Brasil. Cosac Nayfi. 1995.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o portal: