Fotografia 51

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Fotografia 51 é o rótulo dado a uma imagem de DNA feita por difração de raio X. Esta fotografia foi tirada por Raymond Gosling em maio de 1952, sendo ele à época um estudante de PhD sob a supervisão de Rosalind Franklin,[1][2][3][4] no King's College London. Esta fotografia foi a evidência crucial[5] para a identificação da estrutura do DNA.[6]

A foto foi mostrada a James Watson por Maurice Wilkins sem o consentimento e conhecimento de Rosalind Franklin, apesar de que o aspirante Gosling já estava novamente sob a supervisão de Wilkins. Assim, juntamente com Francis Crick, Watson observando as características e o aspecto da Fotografia 51 desenvolveu o modelo químico da molécula do DNA. E a partir desse modelo, em 1962, Watson, Crick e Wilkins foram agraciados com o Prêmio Nobel de Medicina. O Prêmio não foi concedido também para Rosalind Franklin porque ela tinha morrido 4 anos antes e as regras do Prêmio Nobel exigem que ele seja dado apenas para pessoas vivas[7]

A fotografia forneceu informações cruciais e necessárias para desenvolver o modelo de DNA como o conhecemos hoje.[6][8]

O padrão de difração determinou a natureza de dupla hélice do DNA. A cadeia de DNA tem como base desoxirribose e suas bases nitrogenadas e moléculas de fosfato formando códigos que permitem a construção de proteínas e por conseguinte a hereditariedade (transcrição genética). A partir dessas informações, e usando a fotografia de Gosling-Franklin, a fotografia 51, Watson e Crick puderam calcular o tamanho e a estrutura da "hélice" do DNA[8]

A Fotografia 51 tornou-se uma fonte importante de dados[9] que culminaram no desenvolvimento do modelo e confirmou a teoria de dupla hélice da estrutura do DNA os quais eram apresentadas por Raymond Gosling em artigos no periódico Nature.

Os historiadores estão reexaminando o período no qual esta imagem foi obtida e grande controvérsias estão surgindo sobre tanto as reais contribuições desta fotografia para o trabalho de Watson e Crick quanto sobre a forma (se ética ou não) que estes obtiveram acesso à fotografia. Rosalind Franklin foi contratada independentemente, isto é, sem vínculo hierárquico, de Maurice Wilkins que mostrou a Fotografia 51 para Watson e Crick sem o conhecimento daquela. Desta forma, um debate acalorado se intensifica ao se questionar se Rosalind Franklin poderia deduzir a estrutura do DNA por contra própria e com seus próprios dados (até onde ela já tinha pesquisado) se Watson e Crick não tivessem tido acesso a imagem para chegarem as conclusões e finalizarem os estudos.[6][10][11][12][10][13][14] Watson falou sobre Rosalind Franklin admitindo importância às realizações dela[15]

Referências

  1. «Due credit». Nature. 496: 270. 18 de abril de 2013. doi:10.1038/496270a 
  2. «DNA: the King's story» 
  3. «Secret of Photo 51. Nova». PBS 
  4. The gene: a historical perspective. [S.l.]: Greenwood Publishing Group. 2007. p. 85 
  5. Krock, Lexi (22 de abril de 2003). «Anatomy of Photo 51». NOVA online. PBS 
  6. a b c Watson, James D.; Crick, Francis (1953). «A Structure for Deoxyribose Nucleic Acid» (PDF). Nature. 171 (4356): 737–738 [ligação inativa]. Bibcode:1953Natur.171..737W. PMID 13054692. doi:10.1038/171737a0 
  7. «My aunt, the DNA pioneer». BBC News. 24 de abril de 2003 
  8. a b Maddox, Brenda (2002). Rosalind Franklin: The Dark Lady of DNA. [S.l.]: HarperCollins. ISBN 0-06-018407-8 
  9. "No instante em que eu vi a fotografia, minha boca caiu e meu pulso acelerou." -- James D. Watson (1968), The Double Helix, page 167. New York: Atheneum, Library of Congress card number 68-16217. Page 168 shows the X-shaped pattern of the B-form of DNA which provided details of the helical structure of DNA to both scientists Watson and Crick.
  10. a b Maddox, Brenda (2002). Rosalind Franklin: The Dark Lady of DNA. [S.l.]: HarperCollins. ISBN 0-393-32044-8 
  11. Max Perutz and the Secret of Life. Published in the UK by Chatto & Windus (ISBN 0-7011-7695-4), and in the USA by the Cold Spring Harbor Laboratory Press.
  12. Wilkins; Wilkins, M. (2003). The Third Man of the Double Helix, an autobiography. Oxford: Oxford University Press 
  13. Watson, James D. (1980). The Double Helix: A Personal Account of the Discovery of the Structure of DNA (1968). [S.l.]: Atheneum. ISBN 0-689-70602-2 
  14. Sayre, Anne (1975). Rosalind Franklin and DNA. New York: W.W. Norton and Company. ISBN 0-393-32044-8 
  15. Watson, James D. Gunther Stent, ed. The Double Helix: A Personal Account of the Discovery of the Structure of DNA 1980 Norton Critical ed. [S.l.]: W.W. Norton and Company. ISBN 0-393-95075-1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]