Foz do Douro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portugal Foz do Douro 
  Freguesia portuguesa extinta  
Antiga junta de freguesia da Foz do Douro
Antiga junta de freguesia da Foz do Douro
Brasão de armas de Foz do Douro
Brasão de armas
Apelido(s): Foz Velha ou São João da Foz do Douro
LocalFregPorto-FozDoDouro.svg
Concelho primitivo Porto
Concelho (s) atual (is) Porto
Freguesia (s) atual (is) Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde
Fundação 1836
Extinção 2013
Área
 - Total 3,00 km²
População (2011[1])
 - Total 10 997
    • Densidade 3 665,7 hab./km²
Orago São João Batista

Foz do Douro é uma antiga freguesia portuguesa do concelho do Porto que, pela Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro,[2] foi integrada na União das Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde.

A Foz do Douro, também conhecida popularmente como Foz Velha, foi vila e sede de concelho, com uma única freguesia, entre 1833 e 1836, quando foi integrada no município do Porto.

A Foz do Douro é uma zona interclassista, sendo, no entanto, mais conhecida por ser uma zona habitada pela classe alta da cidade. O seu passeio marítimo, salpicado de esplanadas, bares e jardins à beira-mar fazem, desta zona, uma da mais procuradas dentro do Porto, pelo seu elevado requinte.

No seu património, realce para as primeiras manifestações em Portugal da arquitectura da Renascença, com a capela-farol de S. Miguel-o-Anjo, na Cantareira, e o palácio e Igreja, intra-muros do Forte de São João Baptista da Foz, obras mandadas construir pelo Bispo D. Miguel da Silva, em 1527, com a participação do arquitecto-escultor Francisco de Cremona. A Igreja Matriz e o citado forte (ambos do século XVII) são também de assinalar. Entre as encostas do Monte da Luz e a do Monte, descendo até à Cantareira, existe um aglomerado urbano rico que, em importância, segue logo o do centro histórico da cidade.

Raul Brandão nasceu aqui. Aqui viveram ou vivem a escultora Irene Vilar e os escritores António Rebordão Navarro, Vasco Graça Moura, Eugénio de Andrade e Antero de Figueiredo, entre muitas outras personalidades da nossa cultura. Sobre a Foz, muitas páginas foram escritas por, para além dos citados, Agustina Bessa Luís, Camilo Castelo Branco, Eça de Queirós, e outros, assim como vários artistas utilizaram os seus motivos para obras de arte: Vieira da Silva, Alvarez, António Carneiro, Armando Alves, etc. Apesar destas ilustres figuras, Barão Lencastre e sua família não constam nos pergaminhos dos residentes na Foz mas foram figuras importantes nas periferias, sobretudo, em Vila do Conde.

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Foz do Douro [3]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
3 018 3 777 5 090 5 575 6 998 7 751 8 088 8 491 9 890 10 891 10 316 13 266 12 231 12 235 10 997

Pelo decreto nº 40.526, de 08/02/1956, foram-lhe fixados os actuais limites.

Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 1 819 1 460 6 886 2 070 14,9% 11,9% 56,3% 16,9%
2011 1 408 1 175 5 764 2 650 12,8% 10,7% 52,4% 24,1%

Média do País no censo de 2001: 0/14 Anos-16,0%; 15/24 Anos-14,3%; 25/64 Anos-53,4%; 65 e mais Anos-16,4%

Média do País no censo de 2011: 0/14 Anos-14,9%; 15/24 Anos-10,9%; 25/64 Anos-55,2%; 65 e mais Anos-19,0%

Arruamentos[editar | editar código-fonte]

A antiga freguesia da Foz do Douro contém 152 arruamentos. São eles:

1Partilhada com a freguesia do Nevogilde.

²Partilhada com a freguesia de Lordelo do Ouro.

³Partilhada com a freguesia de Aldoar.

Património[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Foz do Douro

Referências

  1. «População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano)». Informação no separador "Q601_Norte". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 22 de Março de 2014.. Cópia arquivada em 4 de Dezembro de 2013 
  2. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de janeiro de 2014.
  3. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes