Frances Perkins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Frances Perkins
Frances Perkins
4.º Secretária do Trabalho dos EUA
Período 4 de março de 1933
a 30 de junho de 1945
Presidente Franklin Roosevelt

Harry Truman

Antecessor William Dock
Sucessor Lewis B. Schwellenbach

Fannie Coralie Perkins (Boston, 10 de abril de 1880Nova Iorque, 14 de maio de 1965) mais conhecida como Frances Perkins foi uma socióloga e política americana que serviu como Secretária do Trabalho dos Estados Unidos entre 1933 e 1945, sendo a pessoa que ficou por mais tempo nessa posição em toda a história do país, além disso, também foi a primeira mulher nomeada para o Gabinete Presidencial dos Estados Unidos. Como fiel apoiadora de sua amiga, a popular primeira-dama Eleanor Roosevelt, ela ajudou a levar o movimento trabalhista para a coalizão do New Deal. Ela e o Secretário do Interior, Harold L. Ickes, foram os únicos membros originais do gabinete de Franklin Delano Roosevelt que permaneceram no cargo durante toda a sua presidência.[1]

Durante seu mandato como Secretária do Trabalho, Perkins foi fundamental na formação de muitos aspectos do New Deal, entre eles o Corpo Civil de Conservação, a Works Progress Administration e o órgão que a sucedeu, a Agência Federal de Trabalho e a parte trabalhista da Lei Nacional de Recuperação Industrial.[2] Por meio da Lei da Segurança Social de 1935, ela estabeleceu benefícios para desempregados, aposentadoria para idosos que na época não eram cobertos pelo sistema governamental e medidas para garantir a melhoria do funcionamento do Estado de bem-estar social.[3] Ela ajudou na criação de leis para reduzir os acidentes de trabalho e leis contra o trabalho infantil. Através da Lei de Padrões Justos de Trabalho, ela estabeleceu as primeiras leis americanos sobre salário minimo, horas extras e sobre a jornada padrão de trabalho de 40 horas semanais.[4][5] Ela foi responsável por formar uma política governamental para trabalhar com sindicatos e ajudar a aliviar greves por meio do Serviço Federal de Conciliação dos EUA.[6]

Secretária do Trabalho (1933-1945)[editar | editar código-fonte]

Em 1933, o então Presidente Roosevelt nomeou Perkins como Secretária do Trabalho dos Estados Unidos. A nomeação foi recebida com apoio da Liga Nacional de Mulheres Votantes e do Partido das Mulheres.[7] A Federação Americana do Trabalho criticou a nomeação da Perkins por causa de uma percepção de falta de vínculo com o trabalhismo.[7] Como Secretária, Perkins supervisionou o Departamento do Trabalho Americano, Perkins ocupou o cargo por doze anos, mais do que qualquer outro Secretário do Trabalho na história do país.[8] Ela se tornou a primeira mulher a ocupar uma posição de gabinete presidencial dos Estados Unidos e, assim, tornou-se a primeira mulher a entrar na linha de sucessão presidencial.[9] A nomeação de uma mulher para o gabinete já havia ocorrido nos quatro governos anteriores, com Perkins sendo o primeira a ser aprovada pelo Senado.[10] Roosevelt havia testemunhado o trabalho de Perkins em primeira mão durante seu tempo em Albany.[10] Com poucas exceções, o Presidente Roosevelt apoiou consistentemente as diversas metas e programas da Secretária Perkins enquanto ela trabalhou ao seu lado.

Como Secretária do Trabalho, Perkins desempenhou um papel fundamental no gabinete, escrevendo a legislação do New Deal, incluindo leis de salário mínimo. Sua contribuição mais importante, no entanto, veio em 1934 como presidente do Comitê de Segurança Econômica (CES) do presidente. Neste cargo, ela esteve envolvida em todos os aspectos dos relatórios, incluindo a sua participação na criação do Corpo Civil de Conservação e dos She-She-She Camps.[2] Perkins também elaborou a Lei de Segurança Social de 1935. No dia em que o projeto foi sancionado, seu marido escapou de uma instituição mental.[11][12]

Em 1939, ela foi criticada por membros do Congresso por se recusar a deportar o chefe comunista da União Internacional de Longshore e Armazéns da costa oeste, Harry Bridges. Em última análise, no entanto, Bridges foi julgado pelo Supremo Tribunal.[13]

Com a morte do Presidente Roosevelt, Harry Truman ascendeu ao cargo em 12 de abril de 1945.[14] Truman escolheu seu próprio gabinete, entre eles Lewis B. Schwellenbach como Secretário do Trabalho.[15] O mandato de Perkins como Secretário terminou no dia 30 de junho de 1945, sendo o mais longo da história, com a tomada de posse de Schwellenbach.

Referências

  1. «Social Security History». www.ssa.gov. Consultado em 31 de julho de 2019 
  2. a b Robinson, Chauncey K. (8 de março de 2018). «Frances Perkins: The woman who helped end the Great Depression». People's World (em inglês). Consultado em 31 de julho de 2019 
  3. «Honoring Frances Perkins, the 'Mother' of Social Security». Common Dreams (em inglês). Consultado em 31 de julho de 2019 
  4. «Leis e direitos trabalhistas nos EUA: 6 pontos que você deve conhecer». Imigrar EUA. 19 de abril de 2019. Consultado em 31 de julho de 2019 
  5. «Fair Labor Standards Act of 1938: Maximum Struggle for a Minimum Wage | U.S. Department of Labor». www.dol.gov. Consultado em 31 de julho de 2019 
  6. «História do Serviço de Conciliação Americano». Governo Americano. Data Desconhecida. Consultado em 30 de julho de 2019  Verifique data em: |data= (ajuda)
  7. a b Humanities, National Endowment for the (1 de março de 1933). «Evening star. [volume] (Washington, D.C.) 1854-1972, March 01, 1933, Image 3»: A–3. ISSN 2331-9968 
  8. «FDR Labor Secretary Frances Perkins wins'Lent Madness' tournament». Washington Post (em inglês). Consultado em 31 de julho de 2019 
  9. «Wharton Alumni Magazine: 125 Influential People and Ideas: Frances Perkins». www.wharton.upenn.edu. Consultado em 31 de julho de 2019 
  10. a b Humanities, National Endowment for the (5 de março de 1933). «Evening star. [volume] (Washington, D.C.) 1854-1972, March 05, 1933, Image 24». 4 páginas. ISSN 2331-9968 
  11. Starr, Alexandra (12 de fevereiro de 2006). «Women Warriors». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  12. Gore, Karenna (2005). Lightning the Way: Nine Woman Who Changed Modern America. [S.l.]: Miramax Books 
  13. «The Trial(s) of Harry Bridges». jacobinmag.com (em inglês). Consultado em 31 de julho de 2019 
  14. Humanities, National Endowment for the (14 de maio de 1945). «The Wilmington morning star. [volume] (Wilmington, N.C.) 1909-1990, May 14, 1945, Image 1». ISSN 0163-402X 
  15. Humanities, National Endowment for the (30 de junho de 1945). «Evening star. [volume] (Washington, D.C.) 1854-1972, June 30, 1945, Image 1». ISSN 2331-9968