Francisco Emílio Póvoa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Francisco Emílio Póvoa (Goiás, 8 de abril de 186730 de maio de 1949, em Goiás Velho) foi um político brasileiro.

Foi membro da junta governativa goiana de 1930, que governou Goiás, de 30 de outubro a 23 de novembro de 1930. Filho de Paulo Francisco Povoa e Luzia Serradourada Povoa. Após os estudos primários em sua terra natal, onde cursou, inclusive, o Lyceu de Goiáz, deslocou-se para outros centros, onde também estudou.

Em 23.12.1891, com 24 anos de idade, formou-se Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Faculdade de Direito de São Paulo, recebendo o diploma do então Diretor, Barão de Ramalho.

Nos anos seguintes, voltou para Goiás Velho, tendo sido nomeado Promotor Público(naquela época, os promotores eram nomeados a bel prazer dos governantes e por isso não permaneciam no cargo).

Logo a seguir, foi nomeado Juiz de Direito da Comarca de Formosa, interior goiano, onde ficou até o ano de 1906, agora com 39 anos. No dia 17.07.1906, tomou posse como Desembargador do Tribunal de Justiça de Goiás. Entre 30.11.1923 e 19.06.1927, exerceu a Presidência do chamado Superior Tribunal de Justiça de Goiás.

Foi também o primeiro Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, em Goiás e do Instituto dos Advogados de Goiás, bem como do Gabinete Literário Goiano. Com a Revolução de 1930, comandada por Getulio Vargas, fez parte da Junta Provisória que governou Goiás, por 30 dias, formada do Desembargador Emilio Francisco Povoa(63 anos), Médico Pedro Ludovico(39 anos) e do Desembargador Mario de Alencastro Caiado(54 anos).

Faleceu em Goiás Velho, em 30 de maio de 1949, com 82 anos de idade.


Precedido por
Carlos Pinheiro Chagas
Junta governativa goiana de 1930
1930
Sucedido por
Pedro Ludovico Teixeira


Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.