Francisco Leiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O astronauta, escultura de Francisco Leiro em Valdemoro - Madrid.

Francisco Leiro Lois, também conhecido como Paco Leiro é um pintor e escultor galego que mora em Nova Iorque.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Francisco Leiro nasceu em Cambados (Galiza) em 1957 numa família de artesãos e iniciou-se no ofício da escultura com o seu pai, canteiro. Ao mesmo tempo que conhece o granito do país, conhece a madeira e o ferro. Em 1975, expõe pela primeira vez em Cambados, e no seguinte ano acode em Madrid a uma exposição coletiva de artistas galegos na sala Toisón. Com menos de trinta anos, a galeria Malbourough, uma das mais importantes do mundo, interessa-se por ele e, desde então, está presente nas principais citas internacionais, incluída a feira madrilenha ARCO (sem interrupção desde 1986), e ainda na Bienal de Pontevedra.

O homem-peixe, popularmente conhecido como O sereio, em Vigo.

Obra[editar | editar código-fonte]

A obra de Francisco Leiro costuma aparecer em lugares públicos, na Galiza (a ilha das esculturas, em Pontevedra; em institutos de ensino meio no Carril, (Vilagarcía de Arousa), em vários pontos da cidade de Vigo, Ferrol, ou Sanxenxo), bem como no exterior: Biarritz (França). Além disso, está também presente em museus internacionais de arte contemporânea.

O próprio escultor tem denominado "coisas" algumas das suas obras pelo seu alto grau de indefinibilidade. Contudo, mantém a visão de Miguel Ângelo segundo a qual a escultura é o ofício de retirar do bloco matérico a parte sobrante e trabalha preferentemente com metal e com velhos blocos de madeira de carvalho e castanho. Justamente os materiais orgânicos e as ferramentas, incluídas serras, machados e cutelos, contribuem a dar forma às mutilações, deformidades, rostos desgarrados, gritos, humanidades ciclópeas e conceitos humanizados que mostram a visão trágica ou irónica da vida que Leiro quer transmitir. Em 2008, Francisco Leiro foi reconhecido com o Prémio Nacional da Cultura entregue pela Junta da Galiza, na categoria de artes visuais.

O Guerreiro, em Ferrol.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Pablos, Francisco: Mitos y Leyendas de Galicia. Vigo, 1994. (es)
  • Cameron, Dan: Leiro. Pontevedra, Deputação Provincial, 1991. (gl)
  • O rostro do tempo. Vigo, Concelho de Vigo, 1991. (gl)
  • Roma Compostela. Santiago de Compostela, Junta da Galiza, 1989. (gl)
  • Catálogo da exposição do Stedelij Museum Amsterdam, 1986. (ne)
  • F. Pablos: entrevista ao autor no Faro de Vigo, 20 de abril de 1999; (gl)
  • A. Ruiz de Samaniego "Leiro: la pasión del monstruo" en ABC Cultural, 8 de maio de 1999. (es)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Francisco Leiro